Apesar de serem personalidades muito diferentes, existe imenso respeito entre Gabriel Medina e John John Florence Apesar de serem personalidades muito diferentes, existe imenso respeito entre Gabriel Medina e John John Florence WSL / Sabwigo
sábado, 26 dezembro 2020 11:59

"Parece-me que Florence, Slater e Medina estão a um nível diferente do atual campeão do mundo em Pipeline…"

O melhor surfista do evento ganhou (o Pipe Masters) e quando o isso acontece é bom para o surf Mundial e para o Desporto em geral...

 

A análise do Billabong Pipe Masters 2020 pelo Juiz Internacional Pedro Barbosa...

 

"John John Florence foi o melhor surfista do evento, conseguiu as melhores pontuações da prova e ninguém dominou a bancada de Pipe com mesma autoridade com que ele o fez. É sem dúvida o rei de Pipe neste momento, ninguém no mundo domina tão bem esta onda...."

 

 

 

- Pipe Masters a prova Rainha do World tour -

 

 

 

 

Pipeline a Onda mais letal do Planeta Terra / WSL Brent Bielman

 

 


O melhor surfista do evento ganhou e quando isso acontece é bom para o surf mundial e para o desporto em geral. Finalmente o John John Florence conseguiu o tão ambicionado título de Pipe Masters. A seguir ao título de campeão mundial, o mais prestigiado título que o surf mundial oferece.


John John Florence foi o melhor surfista do evento, conseguiu as melhores pontuações da prova e ninguém dominou a bancada de Pipe com mesma autoridade com que ele o fez. É sem dúvida o rei de Pipe neste momento, ninguém no mundo domina tão bem esta onda.


O ano começou bem porque embora o John John Florence tenha ganho, mesmo num heat com baixas pontuações, a emoção foi até aos últimos minutos. Quase no fim o surfista mais competitivo da atualidade quase lhe “roubava” a vitória e isso demonstra bem o nível destes dois senhores. Numa final com poucas ondas e pontuações baixas o nível de competitividade foi altíssimo, o que nos fez ficar colados ao ecrã até ao último segundo. Gabriel Medina, do ponto de vista estratégico, fez um campeonato brilhante, mas mais uma vez falhou no momento decisivo. No entanto o surf que praticou durante o evento foi mais uma vez fora de série. Interessante foi também que, apesar de serem personalidades muito diferentes, existe imenso respeito entre ambos e foi um prazer ver a forma como Medina celebrou a vitória do seu principal adversário. Muito fair play entre ambos, é desta matéria que são feitos os grandes campeões!!

 

 

 

"Ninguém dominou a bancada de Pipeline

 

com mesma autoridade com que John John Florence fez..."




 

John John Florence - WSL Brent Bielman

 


Relativamente ao julgamento durante o evento senti que algumas ondas do Medina ficaram baixas, por exemplo o 7.83 durante o round 32 contra o Morgan Cibilic ou mesmo a sua primeira onda na final.


Gabriel Medina consegue arrancar mais cedo nas ondas do que a maioria, entra normalmente por trás na 1ª secção com uma suavidade que por vezes parece demasiado fácil, no entanto as suas pontuações parecem não reflectir o nível técnico que apresenta. No heat de Jadson André contra Kanoa Igarashi também pensei que a melhor onda do Jadson fosse um pouco mais alta, um tubo razoável e com uma manobra progressiva com bastante projecção, embora numa zona da onda já com pouca criticidade.

 

 

 

"Relativamente ao julgamento durante o evento

 

senti que algumas ondas do Medina ficaram baixas..."

 

 

 

 

 Gabriel Medina - WSL Brent Bielman


Apesar destas situações é importante lembrar que o painel de juízes quando está a avaliar faz um exercício que nós normalmente não fazemos em casa, que é o de comparar todas as ondas de cada atleta bem como as ondas dos heats anteriores e isso faz toda a diferença. O facto de avaliarem as ondas no local (em Pipe) também contribui para que por vezes possa haver diferenças de percepção entre o painel de juízes e quem está a ver a transmissão ao vivo.
De destacar também a prestação dos semifinalistas. O melhor surfista de todos os tempos(Kelly Slater), quando inspirado, continua ao nível dos melhores do mundo e Ítalo Ferreira, mesmo sofrendo uma lesão nos quartos de final, foi um osso duro de roer para Gabriel Medina. Se não tivesse também caído na sua última onda o resultado seria diferente.

No entanto parece-me que Joh John, Slater e Medina estão a um nível diferente do atual campeão do mundo nesta onda…

 

 

 

"Frederico Morais teve uma boa prestação no 1º heat,

 

penso mesmo que deveria ter sido primeiro..."

 

 

Click to enlarge image 0.0.0.01516.jpg 

Frederico Morais - WSL Brent Bielman


O Kikas teve uma boa prestação no 1º heat, penso mesmo que deveria ter sido primeiro pois no conjunto das 2 melhores ondas foi superior ao Toledo e foi o melhor surfista no heat.
No round seguinte teve pela frente um Jack Freestone, que recentemente se mudou para o Hawai e passa muitas horas em Pipe e isto faz toda a diferença. O Kikas é um grande atleta e que está muito bem acompanhado, vai com certeza fazer a análise do que deve ser feito para melhorar a sua performance nesta onda. Não foi o resultado que o Kikas ambicionava, mas nota-se uma melhoria nas suas performances em Pipe. Esta onda requer muito investimento e são poucos os surfistas que conseguem ter boas prestações e os que têm apresentam normalmente um fator comum: muitas horas a surfar este tipo de onda. Os resultados neste tipo de eventos não são obra do acaso, por exemplo o Medina, ao contrário do que possa parecer, passa horas a treinar em Paúba uma das ondas mais pesadas do mundo, o Leo Fioravanti tem como base de treino os tubos de La Graviere, o Jack Robinson passou a sua infância a surfar as ondas mais pesadas do Oeste Australiano. Estes são alguns exemplos de que o tipo de onda onde o atleta treina e se desenvolve faz toda a diferença especialmente se tivermos em consideração a onda mais difícil do tour.

 

 

 

 

 

"Em Sunset Frederico Morais terá claramente

 

um campo de batalha que joga a seu favor..."

 

 

 

 Frederico Morais em free surf durante o passado dia 15 de Dezembro em Sunset - Burch Youmans

 

 

Agora em Sunset a história muda de figura e o Kikas com as horas de treino nas ondas da Ericeira terá claramente um campo de batalha que joga a seu favor. Força Kikas!!

 

 

 

"Foi dado mais um passo no sentido de permitir às surfistas do Tour

 

desenvolverem as suas capacidades em ondas de consequência..."

 

Tyler Wright Foto: WSL/keoki

 

 

As meninas voltam a fazer história. Parabéns à Tyler Wright por ser a primeira grande vencedora do Pipe Masters. Numa final disputada com a grande candidata Carissa Moore, a Tyler levou a melhor num heat com escassez de pontuações altas.  Foi dado mais um passo no sentido de permitir às surfistas do Tour desenvolverem as suas capacidades em ondas de consequência.  

 

 

"Este será um ano diferente, ao jeito do Super Bowl,..."

 

 

 

Este será um ano diferente em que, ao jeito do Super Bowl, a final será disputada com os 5 melhores surfistas do ano. Vai ser curioso ver a prova de Sunset onde os suspeitos à vitória poderão ser diferentes.
Vamos seguir com atenção o Kikas, Jordy, Wade Carmichael, e companhia acredito que os finalistas desta prova são ser diferentes…!!!

 

 

Por Pedro Barbosa, Juiz Internacional de Surf


Itens relacionados

Perfil em destaque

Scroll To Top