quarta-feira, 06 outubro 2021 22:16

MEO Vissla Pro Ericeira avançou até aos 1/8 de Final

Esta quarta feira dia 06 de Outubro de 2021...

 

Embora a previsão indicasse uma pequena quebra no tamanho e consistência das ondas, as ondas apareceram e foi mais um emocionante dia de ação em Ribeira d’Ilhas, dia em que se realizaram os heats 11 e 12 do 2.º round masculino e toda a 2.ª ronda feminina. Yolanda Hopkins voltou a vencer o heat, desta feita, no segundo round do MEO VISSLA PRO ERICEIRA, 2.ª de quatro etapas do Challenger Series, que está a decorrer em Ribeira d'Ilhas, na Ericeira.

 

 

Três surfistas Lusas das quais 2 passaram aos oitavos de final:


Na água estiveram hoje as três portuguesas, com destaque para Yolanda Hopkins que venceu a bateria 4, com um score total de 15,86 pontos em 20 possíveis, somando duas ondas, uma delas com várias manobras, pontuada com 8,33 (em 10 pontos possíveis) e outra com 7,53 pontos.

“Foi tão divertido, a verdade é que ia partindo a prancha, mas assim que vim o set, tentei encontrar as melhores ondas e assim que vi as rochas, arrisquei tudo. As minhas quilhas iam saindo, felizmente não saíram”, brincou Yolanda. “Mas o mais importante é que me diverti imenso. A onda teve 8 manobras? Pronto foi um ponto por cada manobra. No próximo heat faço dez [risos]”, concluiu a jovem surfista. Na próxima ronda, a surfista algarvia vai encontrar a havaiana que também tem estado em destaque nesta etapa: Gabriela Bryan.


Na bateria seguinte foi a vez de vermos Carolina Mendes entrar em ação. A surfista de 21 anos até começou bem - com uma onda pontuada com 8,33 pontos (em 10 possíveis), nos primeiros minutos da bateria - mas não conseguiu uma onda de back-up e terminou o heat na 3.ª posição. Carolina acabou, assim, por ser eliminada da prova, alcançando um 17.º lugar. No Heat 5, seguiram em frente a surfista do Championship Tour Brisa Hennessy (16,70 pontos) e Ariana Ochoa (15,63 pontos).
Aliás, a costa riquenha Brisa Hennessy provou, com uma grande demonstração de surf, por que está no CT há dois anos. Soube escolher as ondas e fez um score total de 16,70 pontos (em 20 possíveis).

“O mar estava divertido e estava calor, o que é ótimo, estávamos todas a adorar. O CT foi definitivamente uma montanha-russa de emoções para mim, aprendi muito sobre mim mesmo e sobre como competir, mas cada evento é diferente e de cada vez que entras na água é um tipo diferente de pressão à qual temos de nos adaptar”, disse.


Já Teresa Bonvalot entrou em ação no Heat 7. A surfista de Cascais, bicampeã europeia júnior, não teve tanta sorte nas ondas como as suas compatriotas, mas soube aproveitar as que lhe surgiram e terminou a bateria em 2.º lugar. A experiência também foi crucial ao ditar-lhe o uso da prioridade nos instantes finais da bateria. Teresa está assim na 3.ª ronda da prova, depois de ter feito um score total de 10,80 pontos (em 20 possíveis), na bateria em que Macy Callaghan saiu vencedora, com um score total de 13,17 pontos.

Pela frente, no próximo round, Bonvalot terá a havaiana Luana Silva.

 

 

Prova masculina com 8 Brasileiros ainda em prova:

 

 

No masculino, Josh Burke e Imaikalani Devault estiveram em destaque. Fizeram scores de 16 e 16,50 pontos respetivamente.

“Já estive cá duas vezes e nunca me dei bem, mas desta vez estou a amar esta onda”, disse o surfista havaiano. Devault fez mesmo o maior score do dia, mas a onda mais alta coube ao surfista de 24 anos dos Barbados.

“Estava à procura de uma onda bem comprida, na maré baixa, mas tive sorte de apanhar aquela pequena onda no inside, para começar o heat. Depois remei bastante e encontrei aquela onda que realmente era o que eu procurava”, disse Burke.

Neste momento há 8 Brasileiros, 6 Australianos, 2 Havaianos assim como 1 atleta dos Barbados, Japão, França, Peru e Costa Rica

 


A próxima chamada do MEO Vissla Pro Ericeira está agendada para amanhã, quinta-feira, dia 7 de outubro, às 7h35, para avaliação das condições.

Itens relacionados

Scroll To Top