sexta-feira, 08 outubro 2021 21:31

Condições épicas no Meo Vissla Pro permitem a definição das 1/2 finais

2 surfistas Australianos, 1 Hawaiano e 1 Brasileiro ainda em prova...

 

O MEO VISSLA PRO ERICEIRA arrancou hoje com condições épicas, secções incríveis e novas regras para os surfistas: 35 minutos de heat, com direito a jet ski. As ondas de cerca de 2 metros e os muitos sets, frequentes e seguidos, obrigaram assim às novas regras. Durante o dia de hoje realizaram-se 8 baterias dos oitavos de final da prova masculina e duas dos quartos de final, sendo que, a meio da segunda bateria do dia, a prova foi interrompida. Esteve “on hold” entre as 9h e as 14h05 devido ao intenso e súbito nevoeiro que se abateu sobre Ribeira d’Ilhas, na Ericeira. Quando foi retomada, as baterias passaram a ser de 30 minutos, ainda com o auxílio do jet ski.

 

 


 
No primeiro heat do dia, Ezekiel Lau foi o vencedor com um score total de 15,80 pontos (em 20 possíveis). O havaiano somou duas ondas de 7,67 e 8,13 pontos (em 10 possíveis) e seguiu assim para os quartos de final. Pelo caminho, no 9.º lugar desta 2.ª etapa do Challenger Series, ficou o peruano Lucca Messinas, que não foi além de 15,06 pontos, somando 3.500 pontos no ranking. De notar que Zeke Lau eliminou depois, nos quartos de final, Jordan Lawler, o australiano que, quando o segundo heat do dia tinha sido retomado, até tinha feito uma onda de 9 pontos (em 10 possíveis).

 


 
Já Nat Young deu um verdadeiro show de estilo e técnica, alcançando um score total de 19,30 pontos nos oitavos de final e 18,23 nos quartos de final. E se a 1.ª etapa do Challenger Series, em casa, na Califórnia, não lhe correu da melhor forma (ficou em 49.º lugar), o mesmo não se pode dizer desta paragem em Ribeira D’Ilhas. Nat Young venceu a 4.ª e 5.ª baterias consecutivas e esteve perto da perfeição com 4 ondas acima dos 9 pontos (em 10 possíveis) nos 2 heats: 9,63 e 9,67 pontos, no Heat 3 dos oitavos de final e 9 e 9,23 pontos no Heat 2 dos quartos de final.
 
“Num dia como este, é normal que os juízes queiram ver grandes manobras e grandes ondas. É quase como em Sunset ou Haleiwa, não precisas de uma prancha tão grande, mas a sensação é semelhante”, disse Nat Young que eliminou assim o brasileiro Thiago Camarão nos oitavos e Carlos Munoz nos quartos. Aliás, este que foi o último heat do dia foi bastante equiparado, com o costariquenho a totalizar duas excelentes ondas (8,33 + 9,23) e um score total de 17,56, aquém ainda assim do norte-americano, que fez 18,23 pontos.
 
Com a maré a subir, as condições tornaram-se mais difíceis, e pelo caminho ficou ainda o brasileiro Samuel Pupo, que em 2019 conquistou o QS10.000 na Ericeira. Já Alejo Muniz seguiu em frente na prova – é o único brasileiro ainda em competição – batendo o australiano Callum Robson.
 
Quem também parece que não deu pelas dificuldades foi o havaiano sensação da prova (único a fazer uma onda perfeita) Imaikalani deVault. O surfista fez mais um score total com mais de 16 pontos, e eliminou Josh Burke. “Este heat foi realmente mais difícil, mas estou feliz por ter conseguido seguir em frente. As ondas hoje estão muito mais potentes e maiores”, disse o havaiano.


 
A próxima chamada do MEO Vissla Pro Ericeira está agendada para amanhã, sábado, dia 9 de outubro, às 7h15, para avaliação das condições e possível dia de finais.
 
PRÓXIMOS HEATS DOS QUARTOS DE FINAL FEMININO MEO VISSLA PRO ERICEIRA:
QF 1: Silvana Lima (BRA) vs. Pauline Ado (FRA)
QF 2: Shino Matsuda (JPN) vs. Gabriela Bryan (HAW)
QF 3: Brisa Hennessy (CRI) vs. Ariane Ochoa (EUK)
QF 4: Bettylou Sakura Johnson (HAW) vs. Luana Silva (HAW)
 
PRÓXIMOS HEATS DOS QUARTOS DE FINAL MASCULINO MEO VISSLA PRO ERICEIRA:
QF 3: Jackson Baker (AUS) vs. Dylan Moffat (AUS)
QF 4: Alejo Muniz (BRA) vs. Imaikalani Devault (HAW)




 

 

  • Créditos fotos: Pedro Mestre / WSL

Perfil em destaque

Scroll To Top