banner topf

Itens relacionados

quinta, 25 julho 2019 04:17

FRANCISCA VESELKO CONQUISTA MEDALHA DE PRATA PARA PORTUGAL NO EUROSURF 2019

Surfista lusa liderou a final, mas uma última onda perfeita por parte de Claire Bevilacqua, entrega a vitória e o título europeu da categoria à seleção italiana.

O Eurosurf 2019, evento que está inserido no programa desportivo do Santa Cruz Ocean Spirit, apresentou esta quarta-feira as melhores ondas da competição para eleger o primeiro campeão europeu de surf.
 
Em ondas absolutamente clássicas (1,5 a 2 metros em condições glass), que deram obviamente azo a notas altas, a portuguesa Francisca Veselko sagrou-se vice-campeã da Europa de surf feminino. Na verdade, a jovem surfista lusa liderou a final do início ao fim, mas uma última onda a roçar a excelência, na casa dos sete pontos, por parte de Claire Bevilacqua, acabou por entregar a vitória e o título europeu da categoria à seleção italiana.
 
Após a entrega de prémios, Claire ainda estava nas nuvens e em êxtase: “este sítio é lindo e as ondas estiveram ótimas a semana toda, e por isso pude surfar e dar o meu melhor, todos os dias. As pessoas são muito amigáveis, fiquei muito impressionada com este lugar, com as suas boas vibrações e boa energia. Estou muito feliz por esta conquista, significa muito para mim e para o meu país. O nível deste ano foi realmente muito alto. Todos os países presentes na minha final foram realmente muito bons e incentivaram-me a fazer o meu melhor. Mas acho que os portugueses foram definitivamente a equipa mais difícil de vencer, há muitos bons surfistas a sair de Portugal, sei que vão ser uma boa representação para o surf português e desejo-lhes boa sorte”.


 
Ainda assim é de destacar o resultado de Francisca(foto acima) que não deixa de ser muito importante para as aspirações da seleção portuguesa, ainda mais sabendo que estão por definir os campeões de três categorias: Surf Masculino, Longboard Masculino e Feminino.
 
No final, Kika Veselko traçou o essencial sobre o extraordinário resultado e a experiência que está a viver no seio da equipa das quinas: “sinto-me super feliz, só tenho 16 anos e consegui ser vice-campeã da Europa. Adorava ter sido campeã, mas tenho um longo caminho pela frente, ainda por cima este campeonato é open e eu ainda sou júnior. Nada disto seria possível sem acreditar e sem a força da equipa portuguesa, mal posso esperar por apoiar os meus colegas de equipa, levar a taça para casa e sermos campeões da Europa”.
 
No lado masculino, Pedro Coelho disse adeus à competição, mas Eduardo Fernandes e Pedro Henrique continuam a dar cartas e a fazer os portugueses sonhar. Edu venceu uma vez mais com distinção e mantém-se no quadro principal. Já Henrique, após ter sido afastado no heat da manhã pelo Galês Jay Quinn e o alemão Leon Glatzer, reagiu e assegurou a continuidade na prova ao qualificar-se na sua bateria do Round 4 das Repescagens, realizada ao final do dia.
 
Para o alemão Leon Glatzer, que assinalou a nota mais alta da competição até ao momento (um espetacular air reverse que valeu 9,50 pontos), precisamente no heat de Pedro Henrique, a qualidade das ondas portuguesas não são propriamente uma novidade, realçando: “este evento é realmente ótimo, toda a organização está a fazer um excelente trabalho. A competição está a correr-me bem, o meu último heat foi incrível, alcancei um 9,5 e um 6, e em geral penso que a nossa equipa está a sair-se muito bem. Sabemos que o nível de todos os participantes é muito alto, cada equipa é muito forte, os atletas são incríveis e todos estão a obter pontuações altas. A nossa equipa é sólida, estamos empenhados a 100%, uma vez que nos estamos a preparar há muito tempo para isto”.
 
Para hoje, quinta-feira, 25 de julho, a chamada está marcada para as 9h30 e, como é de esperar, ainda mais sabendo que o título europeu feminino está entregue, prevê-se um dia bem preenchido com o Surf Masculino a reclamar agora a sua quota-parte de atenção.
 

Perfil em destaque

Scroll To Top