banner topf

Itens relacionados

quinta, 13 dezembro 2018 09:30

Ryan Callinan vence triagens em Pipe, mas havaianos querem mudanças

Agora está tudo pronto para o arranque do Billabong Pipe Masters... 

 

Finalmente! Após quatro dias de espera, arrancou ontem o Pipe Invitational, a prova que serve de triagens do Billabong Pipe Masters e que apurou os restantes dois “wildcards” para o último CT do ano - aquele que irá definir o novo campeão mundial. 

 

Em ondas não muito convincentes, entre os 1,5 e 2 metros meio desmanchadas pelo vento, com muitos “closeouts” pelo meio, foi Ryan Callinan quem acabou por vencer e agarrar uma das vagas para Pipeline.

 

Há dois dias, ao partilharmos o seu mais recente clipe, que cruza Portugal, tivemos oportunidade de referir que o australiano está em muito boa forma e pronto para surpreender na próxima temporada do WCT. 

 

Para Ryan, que é um dos surfistas que se qualificou para o World Tour 2019, este é o terceiro CT em que marca presença durante 2018, depois de também ter sido convidado para o Quiksilver Pro France, onde ficou em segundo lugar, e o MEO Rip Curl Pro Portugal (13.º lugar). 

 

Juntamente a Callinan, foi o havaiano Benji Brand quem garantiu a segunda vaga para o Pipe Masters, tal como sucedera no ano anterior. Eis os resultados finais:  

 

1 - Ryan Callinan (AUS) 9.67

2 - Benji Brand (HAW) 5.47

3 - Torrey Meister (HAW) 4.67

4 - Soli Bailey (AUS) 2.80

 

 

Com o Pipe Invitational (triagens) terminado, marcado um dia antes pela suspensão de Tanner Hendrickson devido a troca de murros com Michael Rodrigues; também começou a escutar-se um coro de descontentamento e de protestos entre a armada local. 

 

Acontece que a prova é composta por 32 atletas - os 12 primeiros classificados do 2018 Volcom Pipe Pro; 4 atletas havaianos do WQS internacional; 4 atletas havaianos do WQS regional; 6 wildcards; 4 surfistas que se destaquem em Pipe; o campeão do Pipe Invitational do ano anterior; e um dos candidatos ao troféu da Triple Crown of Surfing; mas os havaianos querem mais. Querem um evento de triagens só para surfistas havaianos.

 

A reação de Liam McNamara, há poucos momentos no Facebook, é bem elucidativa de que mudanças são necessárias: 

 

“Gostaria de ter visto um par de havaianos a qualificarem-se para o evento principal! Supostamente, isto é para os locais e é triste quando as ondas estão más e não conseguimos ver os nossos melhores surfistas apurarem-se! Benji Brand é um tipo à maneira e eu respeito o seu talento, conheço-o há muito tempo, mas tem cidadania dupla e representa basicamente duas nações! O Ryan Callinan é australiano e nós já temos muitos australianos no evento! Nós somos os verdadeiros locais! Costumávamos ter 16 surfistas locais no Pipe Masters! Nos últimos anos estou meio confuso com o facto de estarmos a ficar com uma média de apenas um!”

 

Entretanto, com o término do Pipe Invitational ficaram definidas as baterias para a ronda inaugural do Billabong Pipe Masters, que tem nova chamada hoje às 17h30. 

 

Billabong Pipe Masters Round 1:

Heat 1: Jordy Smith (ZAF), Frederico Morais (PRT), Kelly Slater (USA)

Heat 2: Owen Wright (AUS), Yago Dora (BRA), Miguel Pupo (BRA)

Heat 3: Italo Ferriera (BRA), Joan Duru (FRA), Keanu Asing (HAW)

Heat 4: Filipe Toledo (BRA), Matt Wilkinson (AUS), Caio Ibelli (BRA)

Heat 5: Julian Wilson (AUS), Tomas Hermes (BRA), Seth Moniz (HAW)

Heat 6: Gabriel Medina (BRA), Connor O’Leary (AUS), Benji Brand (HAW)

Heat 7: Wade Carmichael (AUS), Griffin Colapinto (USA), Ryan Callinan (AUS)

Heat 8: Kanoa Igarashi (JPN), Sebastian Zietz (HAW), Michael February (ZAF)

Heat 9: Michel Bourez (PYF), Ezekiel Lau (HAW), Ian Gouveia (BRA)

Heat 10: Conner Coffin (USA), Jeremy Flores (FRA), Jesse Mendes (BRA)

Heat 11: Kolohe Andino (BRA), Adrian Buchan (AUS), Joel Parkinson (AUS)

Heat 12: Willian Cardoso (BRA), Michael Rodrigues (BRA), Patrick Gudauskas (USA)

Perfil em destaque

Scroll To Top