quinta, 27 abril 2017 08:38

Brent Dorrington vence Komune Bali Pro; prova pode ter visto o melhor heat de sempre

Boas ondas marcam etapa de Keramas que é definitivamente uma das melhores do calendário… 

 

O Komune Bali Pro presented by The Mad Hueys, 25.ª paragem da Qualifying Series da WSL que acontece na bela onda de Keramas, em Bali, Indonésia, já tem novo vencedor. A prova tem apenas categoria QS1000, a mais baixa do circuito mundial de qualificação, mas não se deixem enganar: o nível é altíssimo. A edição deste ano ficou marcada por ter registado, eventualmente, um dos melhores heats de sempre na história do surf. Quem o diz é a própria World Surf League. 

 

Foi no Heat 4 do Round 3 que tudo aconteceu. Taj Burrow, que venceu a prova nos últimos dois anos, juntou-se aos aussies Mickey Wright e Jack Robinson e ainda ao indonésio Pepen Hendrick . Os três australianos deram um show de tubos, carvings e evidenciaram a extrema qualidade do spot que é, definitivamente, de “high performance”. 

 

No final, Wright somou 18.10 pontos, Robinson 17.90 pontos (com uma nota 10 pelo meio) e Taj 15.25 pontos. Na última posição Hendrick que somou apenas 9.30 pontos. No vídeo que se segue podes ver do que estamos a falar. 

 

 

Para as finais Keramas voltou a mostrar-se no seu melhor e os oito surfistas que ainda se encontram em prova não deixaram escapar a oportunidade de registar bons scores. Ondas de 4 a 5 pés, tubulares e sem vento, serviram de palco à vitória do australiano Brent Dorrington que reclamou o troféu na edição 2017. 

 

No último heat, cuja duração foi de 35 minutos, Brent contou com a oposição do indonésio Rio Waida que, apesar dos seus 16 anos, revelou mestria nos tubos e muito conhecimento local. Na troca de tubos constante, o vencedor acabou por ser encontrado na escolha das melhores ondas que oferecessem a chance de combinar tubos com manobras. A experiência e a paciência também tiveram uma palavra a dizer. 

 

Dorrington venceu Adriano de Souza nas meias finais (depois de este ter conseguido um par de 10 pontos nos quartos de final), enquanto Waida fez as malas a Sebastian Zietz. No final, o campeão era um homem feliz: “Bem, que dia! Este é um dos campeonatos que sempre quis vencer, pois é uma das minhas ondas favoritas. O Rio quase levou a melhor, cheguei a pensar que já não tinha hipótese, mas consegui dar a volta e sair com uma vitória. Muito contente. Agora é tempo para celebrar!"

 


Perfil em destaque

Scroll To Top