Fomos acompanhar a chegada de Teresa Bonvalot a Lisboa quinta-feira, 08 dezembro 2022 12:08

Fomos acompanhar a chegada de Teresa Bonvalot a Lisboa

Tivemos também oportunidade de estar um bocadinho à conversa com o Pai da Teresa, João Bonvalot.

 

A SurfTotal foi acompanhar a chegada de Teresa Bonvalot a Lisboa, após a esta última etapa do ano realizada em Haleiwa no Havai, onde Teresa ficou a uma unha negra de entrar no Championship Tour do próximo ano.

O voo, que fez escala em Los Angeles, e Nova Iorque, aterrou por volta das 9:10, sendo que Teresa desceu a rampa do aeroporto cerca de 40 minutos depois, onde foi recebida em euforia por família a amigos. (ver vídeo abaixo)

 

"Acredito que os pais não devem cortar as asas aos filhos, e quando de facto existe alguém com muito talento e muita força de vontade,
então sim devem apostar e investir nessa carreira, que de facto não é para todos.”

 

 

Tivemos também oportunidade de conversar um bocadinho com o Pai da Teresa, João Bonvalot.

 

Surftotal: Antes de mais parabéns por todo este percurso incrível da Teresa, o apoio da família tem sido com certeza fundamental. Como é o sentimento de acompanhar os seus feitos por vezes in loco e por vezes online?

João Bonvalot: Tem sido muito desafiante, é uma tarefa difícil, onde de facto temos que lidar com a ansiedade que é natural que aconteça. É verdade que a família é fundamental. Hoje em dia, no surf não basta um atleta ter talento, ou ter muita vontade, é preciso uma estrutura, sobretudo quando eles são mais novos, que exige muita presença e muita dedicação por parte dos pais, porque logo desde de cedo eles têm que ser muito profissionais.

Quando a Teresa era mais nova, já tive um papel mais activo, já fiz de motorista, de lava-fatos, um bocadinho de tudo. Hoje a Teresa é uma mulher, e para além disso, tem uma equipa profissional à volta dela para todas as vertentes, e o meu papel acaba por se resumir mais a ser Pai.

Depois acompanhar no local ou online, isso hoje em dia é igual, o sentimento é o mesmo. Talvez a diferença seja que quando estamos no local, e as coisas correm mal, podemos estar lá para dar uma força, mas quando as coisas correm bem, já não somos precisos.

 

"A verdade é que ainda é muito cedo para pensar nisso, mas no fundo se tivesse que dizer alguma coisa, é que agora se irá fazer um balanço"

 

Surftotal: O que acha que nos pode trazer a próxima época?

João Bonvalot: A verdade é que ainda é muito cedo para pensar nisso, mas no fundo se tivesse que dizer alguma coisa, é que agora se irá fazer um balanço, onde se irá avaliar as coisas boas e as coisas menos boas, e consoante isso delinear uma estratégia, sobre a qual se irá trabalhar.

 

Surftotal: Por fim, gostaria de deixar alguma mensagem ou sugestão para os pais dos atletas que queiram investir numa carreira profissional no surf?

João Bonvalot: A minha resposta é um pouco ambígua, porque hoje em dia penso muitas vezes se voltaria a fazer o mesmo investimento. Mas acredito claro, que os pais não devem cortar as asas aos filhos, e quando de facto existe alguém com muito talento e muita força de vontade, então sim devem apostar e investir nessa carreira, que de facto não é para todos.”

Scroll To Top