Na foto acima onde se lê miradouro do surf em São João da Caparica. E pela lei Portuguesa não se pode surfar. Na foto acima onde se lê miradouro do surf em São João da Caparica. E pela lei Portuguesa não se pode surfar.

Itens relacionados

sexta, 14 setembro 2018 13:03

A CONFUSÃO QUE SE VIVEU EM S.JOÃO DA CAPARICA EM DETALHE

O episódio que aconteceu esta quinta feira na Costa da Caparica levou a Surftotal a investigar e falar com diversos intervenientes que assistiram ao sucedido.

Após diversos contatos efectuados pela Surftotal esta manhã onde quisemos perceber os detalhes do que se passou ontem durante a tarde, em que 6 menores com idades compreendidas entre os 12 e os 14 anos foram multados e as respetivas pranchas apreendidas, na Praia de São João na Costa da Caparica.

Facto 1 - Segundo testemunhas que se encontravam no local havia cerca de 20 praticantes de surf na água, sendo que com a maré a encher a zona onde a onda rebentava começou a ficar definida em apenas um pico, estando próximo da zona sinalizada de banhos. 

Facto 2 - Houve um praticante de surf que se aproximou mais do inside passando muito próximo de uma banhista, levando esta ultima a chamar os nadadores salvadores.

Facto 3 - Os nadadores salvadores avisaram por duas vezes os surfistas(da areia para o local onde estes se encontravam), apitando da areia por duas vezes, embora com gestos que poderiam ter sido mais claros para que os atletas se apercebessem que estavam próximos ou mesmo dentro da zona de banhos onde é proibida a prática do surf.

Facto 4 - Cerca de dois minutos após o aviso dos nadadores salvadores a policia marítima compareceu no local.

Facto 5 - A policia marítima falou com os nadadores salvadores e após a conversa estes últimos pegaram na sinalização da zona de banhos e aumentaram-na por cerca de 10 metros, abrangendo assim o pico de surf.

Facto 6 - Apesar de estarem cerca de 20 surfistas no pico, apenas 6 deles foram identificados, sendo estes apenas crianças com idades compreendidas entre os 12 e os 14 anos de idade. Alguns turistas estrangeiros que se encontravam a surfar sairam do local com a permissão da Policia Marítima.

Facto 7 - A policia marítima irá multar estas crianças num valor que pode variar entre os 65 e os 500 euros cada, apreendendo também as respetivas pranchas (dos jovens atletas) impedindo assim que estes participem das competições oficiais de surf que decorrem este fim de semana, dias 15 e 16 de Setembro.

 

FOTO TIRADA ANTES DA CHEGADA DA POLICIA MARITIMA:

*O Pico de surf encontrava-se no limite da zona de banhos e apenas após os nadadores salvadores deslocarem a sinalização, este ficou abrangido pela area de banhos.(dito por uma testemunha in loco)

 

EM PORTUGAL É PROIBIDA A PRÁTICA DE SURF EM TODA A ZONA DE PRAIAS CONSESSIONADA DURANTE A ÉPOCA BALNEAR.

Segundo a lei Portuguesa a prática do surf é totalmente proibida durante a época Balnear (01 de Maio a 15 de Outubro - "variando entre zonas") em todas as áreas concessionadas para banhos. Aqui os próprios concessionários podem abrir exceções ao comprarem nas capitanias licenças para permitirem a prática do surf dentro da respetiva concessão.

Ou seja um País que promove o Surf e capta turismo de surf, que possui mais de 200.000 praticantes da modalidade, o recorde da maior onda surfada do Mundo, com atletas na elite mundial do surf, ainda possui uma lei que não defende os seus próprios interesses?

A SIMBIOSE ENTRE OS SURFISTAS E NADADORES EXISTE E DEVERÁ CONTINUAR PARA A SEGURANÇA DOS BANHISTAS

O que se tem passado durante a ultima década de crescimento exponencial e ainda persiste é o bom sendo entre os diversos agentes, neste caso Capitanias, Areas Concessionadas, e os diversos agentes do surf, incluindo os  Surfistas. Aliás após esta realidade o resultado de afogamentos nas praias portuguesas diminuiu significativamente, isto devido aos milhares de salvamentos feitos pelos surfistas Portugueses ao longo de toda a Costa. O trabalho que é feito em boa fé e em prol da segurança da sociedade Portuguesa de uma forma pura e gratuita.

Ou seja essa simbiose durante o episódio de ontem foi quebrada por um ato que segundo as testemunhas apelam de má fé. Esperemos que tudo isto não tenha passado de um equivoco e que o bom senso continue a imperar, já que as entidades competentes ainda não mostraram a capacidade de adaptar uma lei à nova realidade já há muito existente nas praias do nosso País.

* Reparem na foto acima onde se lê miradouro do surf. E pela lei não se pode surfar. Que sentido é este?

 

Perfil em destaque

Scroll To Top