“Supertubos é o nosso Pipeline” – Afonso Antunes sobre as suas expectativas para o CT de Peniche Imagens e entrevista conduzida por Pedro Motas (@madskillsmotas) quinta-feira, 03 março 2022 17:46

“Supertubos é o nosso Pipeline” – Afonso Antunes sobre as suas expectativas para o CT de Peniche

Afonso Antunes é um dos wildcards para a etapa de Peniche.

 

 

Afonso Antunes recebeu o wildcard da organização para competir no MEO Pro Portugal, que começou hoje. O wildcard conversou com a Surftotal sobre as suas expectativas neste momento único da sua carreira.

Sobre as previsões para o mar durante a janela de competição, Afonso está entusiasmado com o que aí vem, mas sugere que surfar em Supertubos é entusiasmante independentemente das condições: “Supertubos é o nosso Pipeline”, afirma. “É minha onda favorita em Portugal, e a minha segunda favorita no mundo. A primeira é mesmo Pipeline.” O atleta acredita que Supertubos “tem sempre altas ondas a dar, esteja grande ou pequeno. Vão dar uns bons tubos, vai haver um bom show de surf”.

 

 

“Quando soube que ia receber o wildcard,

acho foi o melhor dia da minha vida"

 

 

 

Quanto às suas expectativas, Afonso está sobretudo contente pela oportunidade, e quer “aprender com os melhores do mundo. É uma oportunidade única que vou tentar aproveitar ao máximo”. Acrescenta, rindo, que vai “pedir os autógrafos aos surfistas”.

Sem a pressão de quem tem tudo em jogo nesta etapa, Afonso vai competir sem grande estratégia “vai ser só disfrutar”. “Em Supertubos o essencial é estar no pico e esperar por uma bomba. O mais difícil é mesmo sair do tubo, por isso se conseguir fazer essas 3 coisas bem, metade está garantido.” Quando perguntado sobre a potencial vantagem que os portugueses terão por estarem a competir em casa, Afonso concede que podem ter alguma, mas opina que Supertubos é uma onda que “não tem muito segredo”. Além disso, “os atletas do CT já vêm aqui há vários anos, por isso conhecem bem esta onda.” Se os portugueses têm vantagem, Afonso acredita que será contra os rookies.

 

 

 

Sobre a sua estadia no Havai e o CT de Pipeline: "Foi surreal"

 

Afonso passou uma temporada no Havai, onde pôde assistir ao arranque do CT 2022. Sobre a viagem, faz um balanço positivo: “Surfei todos os dias e apanhei altas ondas”. Um dos pontos altos para si foi assitir à primeira etapa do CT, em Pipeline. “Ver a final do Kelly em Pipe, o ambiente na praia, foi surreal, e deu-me mais pica para competir”, contou. Confessou também que já nessa altura começou a pôr os olhos na possibilidade de conseguir um wildcard para Peniche, e que entrou em contacto com a organização a perguntar se havia possibilidade de ficar com este wildcard.” É um momento especial para o surfista, que reforça: “só tenho a agradecer”.

 

 

 

"Adorava competir contra o Kelly."

 

 

 

A propósito da final de Pipeline, vale referir que Kelly Slater é um ídolo de Afonso. E, enquanto para muitos a possibilidade de competir contra o GOAT é causa de ansiedade, o português gostaria muito de poder fazê-lo: “Adorava competir contra o Kelly. Ele sempre foi uma inspiração para mim, seria um sonho realizado”.

Afonso Antunes termina partilhando connosco o seu amor por este desporto: “O surf para mim é tudo. Faço surf todos os dias, e venho de uma família de surfistas, por isso o surf sempre teve impacto na minha vida. Significa tudo para mim”.

Afonso deve competir amanhã, no heat 6 da ronda inaugural, contra Kanoa Igarashi e Callum Robson.

Itens relacionados

Scroll To Top