John John a um heat do título mundial em Peniche

John John Florence tem o título mundial ao seu alcance, em Portugal, depois de ter passado para as meias-finais da competição.

O primeiro e grande vencedor do dia foi, definitivamente, Travis Logie, hoje, em mais um decisivo dia de competição, em que se disputaram a ronda 5, de manhã, e os quartos-de-final, à tarde. Grande decisão do Comissário adjunto da WSL em fazer o "call" para competir, algo que poucos acreditariam ser possível hoje de manhã.

Com condições extramemente difíceis  — mar a rondar os 2,5 metros em Supertubos — John John competiu directamente nos quartos-de-final e brilhou como é habitual quando o mar está grande e tubular. O havaiano fez uma das ondas do dia, um 9,30 e mandou para casa o australiano Julian Wilson. Algo que, por si, não é tarefa fácil, ou não fosse o australiano também alguém que sabe surfar muito bem em tubos grandes e pesados e que já venceu a etapa portuguesa, em 2012.

Com isto, e tendo em conta a eliminação de Gabriel Medina, basta a John John chegar a final. Isto se o californiano Kolohe Andino, com quem vai disputar a meia-final, o permitir. É que Kolohe está numa forma incrível, tendo-o demonstrado com a segunda onda mais alta do dia (9,67) e o segundo total mais alto do dia (17,34), frente a Adriano de Souza.

Mas quem fez a nota mais alta e o total mais alto do dia? Já lá vamos...

É que depois de falar das prestações de John John e Kolohe Andino, temos de dar a coroa desta jornada de Supertubos a Jordy Smith. O sul-africano defrontou Sebastian Zietz nos "quartos" e parecia em apuros, com mais de metade do heat decorrido, a precisar de uma combinação de pontos. Mais eis que Jordy fez um tubo de 7,4 e depois encontrou a "bomba" do dia: uma direita gigante e tubular, como se quer nesta praia, e que Jordy negociou de forma incrível, desde o "drop" aéreo até ao encaixe e a saída de braços no ar, fixando o palanque de juízes, em desafio.

E o painel não teve dúvidas em fazer, rapidamente, a vontade ao sul-africano: 10 unânime, perfazendo 17,4 e carimbando o lugar nas meias-finais.

Jordy pode ter, em suma, uma palavra a dizer na disputa do título mundial, mas tudo depende, agora, de Kolohe Andino e John John. E se o havaiano ganhar, vai haver festa do título em Peniche. O primeiro de John John Florence. O primeiro de muitos, diz o mundo so surf. Um título histórico para Peniche e para o surf nacional.

 

Meo Rip Curl Pro Portugal Round 5:


Heat 1: Adriano De Souza (BRA) 9.90 def. Joel Parkinson (AUS) 7.57
Heat 2: Michel Bourez (PYF) 6.06 vs. Julian Wilson (AUS) 16.33
Heat 3: Jeremy Flores (FRA) 6.17 vs. Conner Coffin 7.26 (USA) 
Heat 4: Sebastian Zietz (HAW) 8.80 vs. Stuart Kennedy 8.43 (HAW)

 

Meo Rip Curl Pro Portugal Quartos-de-final:

Heat 1: Kolohe Andino (EUA) 17.34 vs. Adriano de Souza (Bra) 8.10
Heat 2: John John Florence (Hav) 16.90 vs. Julian Wilson (Aus) 13.57
Heat 3: Conner Coffin (EUA) 12.66 vs. Miguel Pupo (Bra) 5.94
Heat 4: Jordy Smith (RAS) 17.40 vs. Sebastian Zietz (Hav) 13.56
 
 
Meo Rip Curl Pro Portugal Meias-finais:
 
Heat 1: Kolohe Andino (EUA) vs. John John Florence (Hav)
Heat 2: Conner Coffin (EUA) vs. Jordy Smith (RAS
 
 
  • Créditos fotos: Pedro Mestre

Itens relacionados

Scroll To Top