Teresa Bonvalot e Maxime Huscenot vencem o Estrella Galicia Caparica Surf Fest 2022

Os dois sobem novamente juntos ao pódio tal como aconteceu no Azores Airlines Pro 2021.

 

 Teresa Bonvalot -  Pedro Mestre / WSL

 

Teresa Bonvalot e Maxime Huscenot foram os grandes vencedores do Estrella Galicia Caparica Surf Fest, prova do mundial de qualificação que terminou, este sábado, na Praia do Paraíso, Costa de Caparica, com as ondas a aumentarem de tamanho neste último dia e com as condições ideais para as finais. Esta foi a última etapa do mundial de qualificação no feminino e estão assim já definidas as 8 vagas para o Challenger Series, onde se incluem, pelo menos, três portuguesas. Está também definido o campeão europeu no masculino: é ele Maxime Huscenot, isto numa altura em que ainda falta decorrer a última etapa, a partir de terça-feira em Santa Cruz, Torres Vedras.

 

Comecemos pela vitória portuguesa na etapa. Na final, aquela que foi a 16.ª bateria de Teresa Bonvalot sem perder, a campeã europeia bateu a francesa de 29 anos Maud de Car, e venceu pela 2.ª época consecutiva esta etapa na Caparica. A portuguesa começou da melhor forma, com uma onda que lhe valeu 7,17 pontos (em 10 possíveis), mas a francesa respondeu com 7,40 pontos, a que somou uma boa onda de “back up” e subiu para o 1.º lugar. A cerca de 10 minutos do fim, a surfista do Guincho virou a bateria, com uma onda de 6,73 pontos e assumiu de novo a liderança da bateria. Bonvalot ainda melhorou a sua onda de “back up” e acabou mesmo por vencer, aproveitando a prioridade nos instantes finais. No final, Teresa totalizou 14,70 pontos (em 20 possíveis), enquanto a francesa fez um score de 14,03 pontos. “Sinto-me tão bem com outra vitória aqui, é de facto um lugar especial, onde já venci no ano passado pela primeira vez no QS. Estou tão feliz por vencer em casa, e pelas ondas que tivemos. O que se segue? A Austrália no final do mês e focar-me no meu surf. Estou muito feliz por finalmente voltar a viajar pelo mundo. Espero que seja uma boa época e que apanhemos muito boas ondas,” disse Teresa Bonvalot.

 

  Teresa Bonvalot -  Pedro Mestre / WSL

 

Quanto a Maud le Car, que antes da prova estava em 10.º lugar do ranking, em igualdade pontual com a basca Janire Gonzalez Etxabarri, sobe assim à 9.ª posição, que não é suficiente para garantir um lugar no Challenger Series. Para se qualificar teria mesmo de vencer na Caparica. “Estou um pouco desapontada, é claro, por chegar tão perto e não conseguir vencer, mas no geral estou super feliz com meu desempenho e resultado”, disse Maud cujo melhor resultado tinha sido um 5.º lugar nos Açores.

 

Olhando para o percurso de Bonvalot até à final, a campeã europeia eliminou a basca Ariane Ochoa nos quartos de final e a algarvia Yolanda Hopkins nas meias-finais. A surfista do Guincho começou com uma boa onda, que lhe valeu 7 pontos, a que somou rapidamente uma direita que lhe valeu 8,33, e aos 10 minutos já tinha deixado Yolanda em combinação. A algarvia ainda fez uma onda de 5,67 pontos, mas não chegou, e Hopkins terminou assim a prova no 3.º lugar. A algarvia que tinha chegado à Caparica na 8.ª posição, mantém a mesma posição, ficando assim à porta do Challenger Series.

 

Já Mafalda Lopes estará na prova de maio a dezembro, depois de ter terminado no 2.º lugar do ranking, com os mesmos pontos que Francisca Veselko. A surfista da Caparica foi eliminada no heat dos quartos de final diante de Hopkins. A algarvia deixou Mafalda Lopes em combinação bem cedo na bateria. A surfista local ainda fez uma onda pontuada com 9 pontos (em 10 possíveis), a que juntou um 5,17, mas que não chegou para bater Hopkins, que no final da bateria aproveitou a sua prioridade para “bloquear” Lopes. De recordar que no ano passado, Mafalda ficou em 2.º lugar na Caparica.

 

Também Francisca Veselko foi eliminada nos quartos de final, mas pela francesa Maud le Car. Apesar da boa performance de Veselko na sexta-feira, desta vez a surfista que nasceu na Califórnia mas cresceu em Portugal não conseguiu seguir em frente na competição. Termina ainda assim no 2.º lugar do ranking e é assim uma das portuguesas a marcar presença no Challenger Series.

 

Assim sendo, são três as portuguesas a marcar presença nessa fase da competição: são elas a campeã europeia Teresa Bonvalot e ainda Mafalda Lopes e Francisca Veselko. A elas juntam-se as bascas Nadia Erostarbe e Garazi Sanchez-Ortun, a francesa Pauline Ado e a alemã Rachel Presti, a quem se junta a wild-card Vahine Fierro (FRA). Esta será a comitiva que, entre maio e dezembro, vai competir em algumas das melhores ondas do mundo, desde a Gold Coast até ao já famoso “pointbreak” de Ribeira d'Ilhas, ou às ondas perfeitas de Haleiwa, no Havai. 

 

 Teresa Bonvalot -  Pedro Mestre / WSL

 

 

Estas serão as provas do Challenger Series 2022:

 

- Boost Mobile Gold Coast Pro pres. by Rip Curl: 7 - 15 Maio

- Sydney Surf Pro pres. by Rip Curl: 17 – 24 Maio

- Ballito Pro presented by O’Neill: 3 – 10 Julho

- VANS US Open of Surfing: 30 Julho – 7 Agosto

- EDP Vissla Pro Ericeira: 1 - 9 Outubro

- Quiksilver / ROXY Pro France: 12 – 23 Outubro

- Corona Saquarema Pro pres. by Banco do Brasil: 1 – 8 Novembro

- Haleiwa Challenger:  26 Novembro – 7 dezembro

 

Maxime Huscenot sagra-se campeão europeu ao vencer na Caparica:

 

 

Maxime Huscenot -  Pedro Mestre / WSL

 

No masculino, Maxime Huscenot foi o grande vencedor, sagrando-se mesmo campeão europeu na Costa de Caparica. O francês venceu Lucas Silveira numa final super renhida, com scores bem altos. De resto, ambos os surfistas mostraram excelentes performances ao longo de todo o evento. O brasileiro até começou melhor, mas o atual líder do ranking não deu quaisquer hipóteses e no final somou um score de 18,34 pontos (em 20 possíveis), enquanto o surfista de 26 anos do Rio de Janeiro – que foi campeão mundial júnior em 2015 – totalizou 13,77 pontos. “É incrível, estou a ter um ano incrível, esforcei-me tanto… E quando as condições estão assim é tao bom, a prova foi fantástica, a organização tomou as melhores decisões. Senti-me super à vontade, e quero agradecer ao meu pai que está sempre aqui, e a toda a minha família e amigos”, disse Huscenot que já tinha vencido nos Açores e soma assim mais uma vitória, conquistando o título europeu.

 

Já Lucas Silveira, que tinha ficado em 5.º lugar em Israel, melhora exponencialmente a sua posição no ranking, subindo ao 5.º lugar. “Gosto muito deste país, é a minha segunda casa, passo muito tempo cá e foi mais um dia incrível. A Caparica não dececionou, estava épico,” disse Silveira no pódio.

 

 

Maxime Huscenot -  Pedro Mestre / WSL

 

Quanto aos portugueses na prova masculina, Vasco Ribeiro terminou a prova na 25.ª posição. Depois de até ter começado melhor a bateria do round 5, o surfista da praia da Poça somava apenas duas ondas na ordem dos 4 pontos, somando um score total de 8,80 pontos, pontuação que o atirou para o último lugar do heat. Com a prioridade, nos minutos finais, Vasco não encontrava a onda que precisava para melhorar o score. A dois minutos do fim, perdeu a prioridade com uma onda em que acabou por cair. Quando faltavam cerca de 15 segundos para soar a buzina, já sem a prioridade, e sem nada a perder, foi-lhe assinalada uma interferência numa onda disputada com o brasileiro Samuel Igo. Vasco terminou a bateria com um score de apenas 4,50 pontos (em 20 possíveis).

O surfista português segue no 23.º lugar do ranking de qualificação, lugar que tentará melhorar no Estrella Galicia Santa Cruz Pro presented by Noah Surf House, já a partir de terça-feira, em busca de uma vaga no Challenger Series.

 

Luís Perloiro foi eliminado nos oitavos de final, depois de ter ficado em 2.º no heat do round 5. O surfista de Lisboa tinha sido o único português, nesta ronda, a seguir em frente e termina assim a prova na 17.ª posição. Na mesma posição ficou Afonso Antunes, depois de ter sido eliminado no round 5, logo na primeira bateria do dia das finais. A dois minutos do fim, o surfista de 18 anos ainda estava na 2.ª posição e apurado para os oitavos de final, mas o francês Thomas Debierre surfou uma onda que acabou por roubar o lugar ao jovem português.

 

Luis Perloiro foi o melhor surfista Português na prova masculina - Pedro Mestre / WSL

 

O mesmo resultado (17.º), na bateria seguinte, obteve o luso-brasileiro de 39 anos, ex-campeão mundial júnior da ASP, Pedro Henrique. De resto, Pedro é mesmo o atleta com as cores lusas melhor pontuado até ao momento no ranking: está na 15.ª posição. Para finalizar, em dois heats bastante renhidos, com scores muito perto uns dos outros, Joaquim Chaves e Guilherme Fonseca acabaram por ser eliminados e abandonaram a prova em 25.º lugar.

 

A competição segue agora, a partir de terça-feira, 12 de abril, em Santa Cruz, Torres Vedras, com o Estrella Galicia Pro Santa Cruz presented by Noah Surf House, o último QS3.000 masculino que vai definir a lista de surfistas europeus que se apuram para o Challenger Series.

 

 

Luis Perloiro foi o melhor surfista Português na prova masculina - Pedro Mestre / WSL

 

 

ESTRELLA GALICIA CAPARICA SURF Final Masculina:

1 - Maxime Huscenot (FRA) 18.34

2 - Lucas Silveira (BRA) 13.77

 

ESTRELLA GALICIA CAPARICA SURF FEST Final Feminina:

1 - Teresa Bonvalot (PRT) 14.70

2 - Maud Le Car (FRA) 14.03

 

ESTRELLA GALICIA CAPARICA SURF FEST Meias-finais masculinas:

SF 1: Lucas Silveira (BRA) 17.06 def. Gatien Delahaye (FRA) 16.90

SF 2: Maxime Huscenot (FRA) 16.43 def. Marco Mignot (FRA) 12.67

 

ESTRELLA GALICIA CAPARICA SURF FEST Meias-finais femininas:

SF 1: Teresa Bonvalot (PRT) 15.33 def. Yolanda Hopkins (PRT) 7.94

SF 2: Maud Le Car (FRA) 13.33 def. Vahine Fierro (FRA) 13.06

 

ESTRELLA GALICIA CAPARICA SURF FEST Quartos de final masculinos:

QF 1: Lucas Silveira (BRA) 15.17 def. Adur Amatriain (EUK) 14.40

QF 2: Gatien Delahaye (FRA) 15.24 def. Thomas Debierre (FRA) 13.77

QF 3: Marco Mignot (FRA) 13.10 def. Ramzi Boukhiam (MAR) 13.00

QF 4: Maxime Huscenot (FRA) 15.26 def. Ian Fontaine (FRA) 12.04

 

ESTRELLA GALICIA CAPARICA SURF FEST Quartos de final femininos:

QF 1: Teresa Bonvalot (PRT) 11.67 def. Ariane Ochoa (EUK) 7.17

QF 2: Yolanda Hopkins (PRT) 16.33 def. Mafalda Lopes (PRT) 14.17

QF 3: Vahine Fierro (FRA) 14.94 def. Pauline Ado (FRA) 9.84

QF 4: Maud Le Car (FRA) 13.93 def. Francisca Veselko (PRT) 10.34

 

  • Créditos fotos: Pedro Mestre / WSL
Scroll To Top