banner topf

Itens relacionados

quinta, 26 setembro 2019 15:19

Foi um Terceiro dia curto no QS 10.000 EDP Billabong Pro Ericeira 2019

Menos ondas e mais vento adiam continuação do round 3 para sexta-feira


 
Ítalo Ferreira, vencedor da etapa portuguesa do Championship Tour em 2018, eliminado

 

?>

 


 O EDP Billabong Pro Ericeira, prova de 10.000 pontos (categoria máxima) das Qualifying Series (QS) da World Surf League (WSL), voltou à água esta quinta-feira, dia 26 de Setembro, para um dia curto, no qual foram realizados apenas oito heats. Uma ondulação em queda e subida da intensidade do vento motivaram o adiamento da competição.
 
O dia começou com os três últimos heats da segunda ronda. O sul-africano Adin Masencamp, o brasileiro Thiago Camarão e o francês Charly Quivront foram os vencedores destes heats, conseguindo todos eles pontuações totais acima dos 13,50 pontos (em 20 possíveis).
 
Seguiram-se os cinco primeiros heats da terceira ronda e, como tem sido apanágio do EDP Billabong Pro Ericeira, as surpresas continuaram. A maior delas foi a derrota de Ítalo Ferreira, vencedor da etapa portuguesa do Championship Tour (CT) de 2018.
 
Num heat de grande competitividade, o surfista brasileiro ficou a 0.59 do segundo lugar, que lhe garantiria a passagem à próxima fase da competição. O norte-americano Ian Crane e o sul-africano Matthew McGilivray foram os vencedores dessa bateria, a quinta da terceira ronda. Crane foi mesmo o autor da mais elevada pontuação do dia, 15.93 pontos (em 20 possíveis).
 
“Nunca tinha passado da 3ª ronda num evento de categoria 10.000 pontos pelo que estou muito contente. Antes do meu heat, as ondas pareciam muito difíceis pelo que sabia que tinha tido uma pontuação boa na minha melhor ondas. Fui capaz de fazer boas manobras” explicou Ian Crane.
 
Cooper Chapman e Jacob Wilcox, ambos australianos, o brasileiro Miguel Pupo e o francês Joan Duru, foram os restantes vencedores de heats, com destaque para a vitória deste último, ele que é surfista do CT.
 
“Estou muito feliz por estar aqui. É um bom início para a “perna europeia” da World Surf League. As ondas estão boas e as previsões também, pelo que estou ansioso pelo resto do evento. Já pude surfar também outras ondas desde que cá estou. Estava muito bom e com pouca gente na água!”” referiu o surfista francês.
 
Frederico Morais, único português ainda em prova, continua à espera do seu momento para voltar à água. Frederico Morais vai competir na contra Chris Zaffis da Austrália, Keanu Asing do Havai e Peterson Crisanto, do Brasil, no heat 7 da terceira ronda.
 
Para amanhã, sexta-feira, dia 27 de setembro, a chamada está marcada para as 7:30 da manhã.

Perfil em destaque

Scroll To Top