A DESPEDIDA (EM GRANDE) DE CJ HOBGOOD

Uma nota 10 no último campeonato da carreira para o surfista norte-americano…

 

C.J. Hobgood já era para ter saído do World Tour em 2014, mas acabou por ser resgatado pela WSL por mais uma temporada. Afinal o norte-americano de 36 anos, natural da Flórida, campeão do mundo em 2001, é um dos mais carismáticos elementos da elite mundial e a verdade, digam o que disserem, é que ainda tem muito para dar/ensinar ao surf.

 

Tal como Fred Patacchia e Glenn Hall (aqui), Hobgood também aproveitou a presente temporada para encerrar de vez a carreira profissional. Depois de algumas vitórias incríveis como, por exemplo, o Quiksilver Pro France (2000), Billabong Pro Tahiti (2004), US Open of Surfing (2007) ou o Billabong Pro Mundaka (2008), acabou por se despedir dos fãs com uma presença nos 1/4 de final do Billabong Pipe Masters, frente a Gabriel Medina, eliminando pelo caminho nomes fortes da nova geração como John John Florence (ronda 5) e Ítalo Ferreira (ronda 3).

 

Como se isso não fosse suficiente, venceu de forma categórica a bateria da ronda 1, deixando Taj Burrow em 2º e Kelly Slater em 3º, com um tubão que não se vê todos os dias (vídeo em baixo). Os juízes deram-lhe a nota mais do que merecida na hora da despedida: um 10 perfeito e unânime.

 

Nas redes sociais acabou por escrever:

 

“Esta tarde é o primeiro dia do resto da minha vida. Tenho uma mulher que amo, uma família linda, os melhores amigos do mundo e para sempre farei parte da restrita família do surf que, independentemente do tempo que passou ou onde quer que eu esteja no mundo, é precisamente aí que retomaremos a conversa. Obrigado a todos!”

 

Obrigado pela dedicação e inspiração ao longo dos anos. 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top