Itens relacionados

quarta-feira, 23 outubro 2013 11:56

ALTOS E BAIXOS DO MOCHE PRO PORTUGAL BY RIP CURL

Com Frederico Teixeira, Event Manager do Moche Pro Portugal by Rip Curl!

 

No dia 17 de outubro de 2013 Kai Otton (AUS) derrubou dois campeões do mundo, o rookie do ano, tomando pela primeira vez (na sua vida) o duche de champanhe do World Championship Tour! Mas o Moche Por Portugal by Rip Curl não se resume apenas a esta vitória! Muito “sangue foi derramado” durante a mais recente passagem dos melhores do mundo por Supertubos. Desde a agressão, da qual foi vítima Joel Parkinson, por parte de um bodyboarder local, passando pela interferência (ou não) de um fotógrafo durante a bateria inaugural de Kelly Slater, ou mesmo a surpreendente vitória do português Frederico Morais sobre o 11 vezes campeão do mundo!

 

Quem tem uma opinião bem formada sobre tudo isto, é o Events manager do Moche Pro Portugal by Rip Curl, Frederico Teixeira, nosso convidado da rubrica Altos e Baixos!

 

Quem?


…mais se destacou? Sem dúvida que foi o Kikas (Frederico Morais). Na nossa perspetiva foi o atleta que na história de Peniche, Moche Pro e Rip Curl Pro, mostrou que quando os atletas portugueses querem, conseguem realmente estar ao nível dos melhores do mundo. O Kikas foi um bom exemplo disso, ao derrotar o melhor atleta da história do surf mundial.

 

…mais desiludiu? Primeiro acho que foi o Kelly Slater, a começar pela postura dele, na maneira como encarou o evento. Parecia que não estava com muita vontade de competir, inclusive também na forma como lidava com os seus fãs. Depois, a pessoa que mais desiludiu pela sua prestação foi o Gabriel Medina. É um atleta que tem uma grande afinidade com este campeonato, desde 2011 quando altura em que competiu em Peniche pela primeira vez. Esperava muito mais da sua prestação no evento.




…foi o mais focado? O Mick Fanning, que apresentou com uma atitude de campeão do mundo. Sempre que era chamado para declarações a resposta dele era sempre a mesma: “Estou aqui para ganhar. Quero é competir, seja aqui ou seja no Guincho, com meio metro ou quatro metros off shore. Estou aqui para competir!" Estava com uma atitude de campeão e acredito que será campeão no Havai.


 …foi mais favorecido?
Essa é uma pergunta um bocado ingrata. Na minha perspetiva foi o Joel Parkinson. Em caso de dúvida as boas notas caiam para o lado dele. Em dois heats, um contra o Alejo Muniz e outro que não me recordo as pontuações caíram sempre para o seu lado.


 …são os teus favoritos ao próximo evento internacional em Portugal? Penso que será o Gabriel Medina. Depois da sua derrota prematura em Peniche ficou muito focado neste evento. Já tive oportunidade de conversar com ele e o próprio diz que quer ganhar aqui. Outro dos atletas que também gostava que vencesse, pela forma que tem vindo apresentar-se e pelo surf que está a praticar é o Kikas. Gostávamos que ele tivesse uma boa prestação em Cascais. Que continue aproveitar esta boa energia que está à volta dele

 

Curiosidades:

Foi um evento de sucesso para a ocean events? o primeiro de muitos?  

Tal como nas edições passadas o balanço é francamente positivo. Em termos de ondas embora tenha faltado alguma consistência pensamos que Supertubos não deixou os créditos em mãos alheias. Relativamente à dinâmica do evento  em si, o público voltou a aparecer em massa, o que demonstra que somos ainda referência nos eventos em Portugal e na Europa. Relativamente à segunda parte da pergunta sem dúvida o primeiro de muitos. Podem esperar por grandes novidades em breve.

 

Peniche para 2014 está garantido?

Nada está garantido. Toda a gente sabe que a ASP está atravessar uma fase de mudança, com novos modelos de gestão. O que podemos adiantar é que está tudo muito bem encaminhado. Existe vontade de ambas as partes para que o evento continue em Portugal.

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top