Rio Waida Rio Waida WSL / Dunbar terça-feira, 06 dezembro 2022 09:47

Quem são os novos surfistas que vão competir no CT 2023?

Quem regressou, quem se vai estrear, e quem fez história.

 

 

 O Challenger Series 2022 já terminou, e já se sabe quem são os surfistas que se vão juntar à elite do surf no CT 2023. São cinco mulheres e dez homens novos - vamos ficar a conhecê-los. 

 

 

Quem regressou?

 

mid-season cut cortou vários nomes do Tour este ano, e alguns deles conseguiram regressar através do Challenger Series. Na categoria masculina, é o caso de Leonardo Fioravanti (#1), Ryan Callinan (#2), João Chianca (#8) e Ezekiel Lau (#10). Fioravanti, Lau e Callinan já têm alguns anos de experiência no CT, mas Chianca estreou-se este ano, e apesar de ter sido um dos nomes que mais impressionou na primeira metade do circuito, acabou por cair. Agora, regressa para continuar a impressionar. 

Outro surfista que regressa é o brasileiro Michael Rodrigues. Michael não é vítima do mid-season cut, pois não estava no CT em 2022. A sua última participação completa no circuito foi em 2019, o que significa que o atleta ainda não competiu entre a elite com este novo formato. Como se vai sair?

Na categoria feminina, vemos o regresso de duas das rookies cuja qualificação no ano passado representou o início de uma nova fase no surf feminino - são elas Bettylou Sakura Johnson (#1) e Molly Picklum (#3). As duas foram ceifadas pelo mid-season cut, mas a sua prestação no Challenger Series este ano indica que ainda não terminaram de contar a sua história. Regressa também Macy Callaghan, já com alguns anos de participação no CT.

 

 

 

 

Quem se vai estrear?

 

Tanto na categoria masculina como na feminina, há atletas que conseguiram a qualificação no ano passado mas que acabaram por não competir no CT. Um deles foi Liam O'Brien, que em 2021 ficou em 3º lugar no ranking do Challenger Series, mas lesionou-se e não pôde competir. Na categoria feminina, Caitlin Simmers terminou 2021 em 4º lugar no ranking, mas decidiu abdicar da sua vaga para amadurecer fisicamente e psicologicamente. Este ano, ambos os surfistas voltaram a conseguir a qualificação - Liam em 9º lugar e Caitlin em 3º - e tudo indica que vão usufruir das vagas desta vez. 

Além de Simmers, Sophie McCulloch será também rookie no CT 2023, ainda sem nenhuma participação no Tour. A qualificação veio de forma surpreendente, quando a surfista venceu a última etapa do ano em Haleiwa.

Na categoria masculina, há um número maior de estreantes. São eles Rio Waida (#3), Maxime Huscenot (#4), Ramzi Boukhian (#5) e Ian Gentil (#6). Todos contam com participações pontuais em eventos do CT, mas esta será para todos a primeira temporada completa. 

 

 

 

 

Quem fez história?

 

Por uma razão ou outra, há qualificações que nos chamam a atenção mais do que as restantes. Este ano, dois atletas se sobressaíram, não apenas pelas suas prestações (que também são motivo de admiração), mas também pelo que elas representam. 

Rio Waida, da Indonésia, e Ramzi Boukhiam, de Marrocos, fizeram história ao serem os primeiros surfistas dos seus respectivos países a conseguir a qualificação para o CT. Waida foi o primeiro atleta a qualificar-se este ano, depois de ter conseguido duas vitórias seguidas que o deixaram na liderança do ranking nas primeiras etapas do circuito. Boukhiam teve que esperar até à última, tendo recebido a notícia da sua qualificação apenas em Haleiwa.

Além da superação pessoal, ambos os atletas viram nas suas conquistas as vitórias colectivas dos seus países. Boukhiam afirmou que tem orgulho em poder "mostrar às pessoas em Marrocos que [têm] o que é preciso", e salientou: "fiz isto por mim e por todos nós". 

 

Itens relacionados

Scroll To Top