Total Surf Total Surf quarta-feira, 09 novembro 2022 23:02

Netflix "ainda" poderá vir a comprar a World Surf League

Apesar de já ter havido uma tentativa em final de 2021...

 Foi num artigo longo e detalhado do Wall Street Journal, que foi noticiada a possível compra de Ligas Desportivas de menor dimensão por parte da Netflix, como a do Surf, por forma a transformá-las em gigantes de audiências.

 

 

"Alguns executivos da Netflix acreditam que, dado o tamanho de sua plataforma, a Netflix poderia transformar desportos menos conhecidos, como o surf,

em grandes sucessos e criar novas competições ou eventos desportivos..."

 

 

Segundo o Wall Street Journal, a Netflix Inc. tem na sua estratégia a curto prazo de oferecer desportos ao vivo na sua plataforma. A empresa recentemente licitou os direitos de transmissão do ATP Tour (ténis) para alguns países do continente europeu, incluindo França e Reino Unido, mas acabou por desistir.


Para além disso, num esforço para contornar os custos cada vez maiores de licitações por direitos desportivos, os executivos da Netflix têm posto em cima da mesa a compra de ligas de menor dimensão, segundo informação interna disponibilizada pelo Wall Street Journal.  A empresa no final de 2021 esteve em negociações para comprar a World Surf League, mas estas fracassaram porque as duas organizações não conseguiram chegar a um acordo sobre um preço, disseram pessoas familiarizadas com o possível acordo.

 

 

 

 A empresa no final de 2021 esteve em negociações para comprar a World Surf League,
mas estas fracassaram porque as duas organizações não conseguiram chegar a um acordo sobre um preço

 

 

Alguns executivos da Netflix acreditam que, dado o tamanho de sua plataforma, a Netflix poderia transformar desportos menos conhecidos, como o surf, em grandes sucessos e criar novas competições ou eventos desportivos.

 

A potencial incursão da Netflix nos desportos ocorre quando muitos de seus rivais de streaming investiram muito em eventos desportivos de alto nível. O AMZN -4,27% Prime Video da Amazon.com Inc. agora é o principal transmissor do "Thursday Night Football", enquanto a Apple TV+ da Apple Inc. e o Peacock da Comcast Corp. têm direitos exclusivos para transmitir jogos específicos da Major League Baseball da ultima temporada nos EUA.

 

A Netflix teve um grande sucesso com séries sobre os bastidores da Formula 1. XAVI BONILLA / DPPI/DPPI/ZUMA PRESS
O exemplo da Fórmula 1 com a Netflix a aumentar exponecialmente a sua popularidade nos EUA:

No início deste ano, a Netflix fez uma oferta pelos direitos de transmissão ao vivo nos EUA para a Fórmula 1 - um desporto cujo status aumentou significativamente nos EUA graças a uma popular série de documentários da Netflix - mas que acabou por perder para a Walt Disney Co.  O “Formula 1: Drive to Survive” and “Cheer”

O co-presidente executivo da Netflix, Reed Hastings, disse em reuniões internas que não quer ser apanhado de surpresa, de acordo com pessoas familiarizadas com as negociações. É em parte por isso que alguns executivos estão a pressionados pela compra de participações em ligas desportivas, disse fonte da Netflix ao Wall Street Journal.

 

Desportos, assim como notícias, estão entre os raros tipos de programação que as pessoas ainda assistem ao vivo:

A Netflix tem-se batido para aumentar o numero de novos assinantes estes últimos trimestres, após anos de rápido crescimento. Recentemente, lançou um nível de serviço apoiado por anúncios e prometeu reprimir a partilha de senhas na tentativa de aumentar a receita e o crescimento de assinantes. A empresa disse que manteria os seus gastos com conteúdo em cerca de US$ 17 bilhões nos próximos anos.

Desportos, assim como notícias, estão entre os raros tipos de programação que as pessoas ainda assistem ao vivo. Isso atrai os anunciantes porque os espectadores que sintonizam um grande evento assistem por horas, geralmente com amigos e familiares. Os fãs devotos de uma determinada liga também tendem a ficar até o final de uma temporada, o que pode ajudar a reduzir as desistência de clientes – outro problema com o qual muitos serviços de streaming estão a lidar.

 

 

Scroll To Top