ActivoBank
Gabriel Medina e Caio Ibelli no polémico heat em Peniche  Foto: (Laurent Masurel/WSL) Gabriel Medina e Caio Ibelli no polémico heat em Peniche Foto: (Laurent Masurel/WSL)
terça, 22 outubro 2019 15:24

"W.S.L. DEVERÁ MOSTRAR AS IMAGENS QUE COMPROVAM A CHEGADA MAIS RÁPIDA DE IBELLI AO OUTSIDE"

Quem o diz é a série Brasileira "Ao Fundo"....

A etapa do Meo Rip Curl Pro tem dado que falar em todo o mundo após o polémico heat entre Gabriel Medina, candidato ao Título Mundial de Surf 2019, e Caio Ibelli no passado Domingo.

A cerca de 08 minutos do final do heat, Medina tinha já um total de 14,34 pontos (em 20 possíveis) contra os apenas 7,10 pontos de Caio Ibelli quando ao disputarem uma onda e, segundo as imagens de quem assistia online, sob a prioridade de Caio Ibelli, ambos remaram para a mesma onda. Nessa altura Gabriel Medina estava na parte mais interior da onda que quebrava para a direita e ao tentar apanhar a onda barrou momentaneamente a entrada do seu compatriota Ibelli nessa mesma onda, tendo os juizes assinalado uma interferência de prioridade de Gabriel Medina sobre Ibelli perdendo assim a pontuação total da sua segunda melhor onda tendo consequentemente sido eliminado da competição.

Desde o final do heat, Medina tentou que o mesmo fosse repetido tendo inclusive publicado um post no instagram a explicar o que aconteceu durante o heat, no entanto a WSL mostrou-se firme na sua decisão tendo anunciado ontem que o mesmo não será repetido.

Segundo a própria publicação de Medina, ambos tinham apanhado a mesma onda, tendo  cada um seguido para seu lado. A onda de Medina foi mais curta, tanto que enquanto voltava para o outside, Ibelli ainda estava a surfar a sua onda. Ao chegar ao outside, Medina tinha tanta certeza que a prioridade era sua que não olhou para a placa de prioridade, que na altura dava prioridade a Ibelli, e ao vir a onda seguinte acabou por arrancar na onda acabando por levar interferência.

A situação é difícil de analisar. As imagens divulgadas por Medina não são conclusivas, e as poucas imagens pós-heat publicadas pela WSL levam a crer que Medina chegou antes ou ao mesmo tempo que Ibelli ao outside, o que pela regra daria prioridade a Medina, uma vez que na onda anterior Ibelli tinha tido a prioridade.

Segundo as regras, se por algum erro de prioridade houver alterações no resultado de um heat, este pode ser repetido, mas Renato Hickel, tour manager da WSL, negou essa hipótese dizendo num comunicado oficial que a chamada de prioridade do juiz de prioridade é soberana, sendo o 'call' único e dele.

Tendo em conta que as imagens mostradas tanto por Medina como pela WSL não são conclusivas, a WSL deveria mostrar a imagem da remada e quem de facto chegou ao outside primeiro, caso contrário a dúvida ficará para sempre o que é menos favorável para a credibilidade da WSL e do desporto.

Vê nos vídeos abaixo as opiniões e análise do polémico heat das duas séries Brasileiras especializadas na análise aos eventos da WSL.

 


Perfil em destaque

Scroll To Top