banner topf

Itens relacionados

quarta, 28 agosto 2019 03:04

TEAHUPO’O ÉPICO CRIA UM DOS DIAS MAIS EMOCIONANTES DE SEMPRE DE UM EVENTO WSL

Para quem assistiu a este dia in loco ou em direto ficará com certeza para sempre na memória.

A onda de Teahupoo acordou e com ela acordaram também os surfistas de elite da World Surf League. Que dia, que momentos de surf. Momentos que muitos de nós com certeza nunca achariam possíveis de acontecer. As ondas passaram por vezes os 4 metros sólidos com lips de mais de 1 metro de espessura, muita água a movimentar, digam o que disserem condições belas para quem vê e assustadoras para o comum dos mortais. Os gladiadores tiveram um desafio à altura e superaram com nota máxima.

O terceiro dia da Sétima etapa do Championship Tour da World Surf League fica na história do surf mundial, não apenas pelas condições épicas que proporcionou, mas também pelos embates de gigantes que proporcionaram um espectáculo de rara emoção para quem assistia à prova no "live internet" ou in loco, estes últimos com certeza sentiram as emoções bastante mais fortes à flor da pele.

As expectativas eram bastante elevadas para perceber como reagiriam os surfistas de elite da World Surf League às condições épicas, pesadas e potencialmente mortíferas de Teahupoo. E podemos dizer que foram com certeza superadas, um surf de elevadíssimo nível misturado com uma atitude e superação extraordinárias. 

Muitas surpresas na terceira ronda, nomeadamente e pela positiva a passagem de Adriano de Sousa à fase seguinte num heat de cortar a respiração com o seu compatriota Italo Ferreira. Aparentemente em desvantagem por estar de backside e por vir de uma lesão há relativamente pouco tempo, Adriano de Sousa surpreendeu tudo e todos ao somar um total combinado de 17.87 contra os 16,83 de Ítalo Ferreira.

 

Por sua vez o Norte Americano Kelly Slater que dizia estar nesta prova para ganhar,  foi derrotado no ultimo heat desta terceira ronda pelo Australiano Jack Freestone fazendo perceber que não há vencedores antecipados no surf no Oceano e ainda mais nestas condições de ondas.

 

Quem teve uma nota também pela positiva e algo surpreendente para o mundo do surf foi o Brasileiro Jadson André. Este competidor mostrou a tudo e todos o caminho da superação e que só desiste quem não quer vencer. Jadson na terceira ronda derrota o super competidor e atleta Kanoa Igarashi e na ronda seguinte efetua uma performance digna de registo surfando as maiores ondas de uma forma imperial alcançando um total na casa da excelência de 18.23 pontos em 20 possíveis. A sua vitima foi o compatriota Deivid Silva.

 

Já o Australiano Owen Wright que optou e bem por surfar de capacete durante os seus heats, pode-se dizer que é considerado nestas condições como um dos fortes candidatos à vitória final. Owen na ronda três derrota Soley Bailey por uma margem minima mas na ronda 4 encontra o surfista local Michel Bourez e num confronto épico em condições épicas derrota por 0,4 pontos o surfista Tahitiano. !8,50 pontos contra 18,10 pontos em 20 possíveis espelham bem o que se passou na segunda bateria da ronda 4.

 

Gabriel Medina foi o surfista que fez o melhor total combinado do dia, um score quase perfeito de 19,23 pontos (9.23 + 10.00) no terceiro heat da ronda 4 com o Californiano Collapinto, este ultimo proveniente de uma performance única na ronda 3 com o Australiano Ryan Kalinan, tendo derrotado Ryan com um total de 18.10 pontos.

 
 
 
Também o Havaiano Seth Moniz, o Sul Africano Jordy Smith, o Francês Jeremy Flores e o Brasileiro Caio Ibelli tiveram boas performances e tendo por isso alcançado os quartos de final.
 
Ficam assim conhecidos os embates dos quartos de final deste Tahiti Pro Teahupoo 2019:
 
 
*A prova terá nova chamada hoje por volta das 18:00 horas Portuguesas com potencial de apurar o vencedor desta sétima etapa do Circuito Mundial de Elite da WSL.
  • Créditos fotos: Kelly Cestari

Perfil em destaque

Scroll To Top