banner topf

Itens relacionados

quarta, 06 fevereiro 2019 12:04

CIENTISTAS DESENVOLVEM FATO À PROVA DE DENTADAS DE TUBARÃO

Cientistas australianos estão a testar um fato feito num material resistente às dentadas de um dos maiores terrores dos surfistas do hemisfério sul.

Um grupo de investigadores da Flinders University, em Adelaide, no sul da Austrália, está a desenvolver um material, para fazer fatos isotérmicos, capaz de salvar a vida de surfistas que sejam alvo das mandíbulas de um tubarão.

FATO ISOTÉRMICO SERÁ QUASE UMA ARMADURA MAS COM A FLEXIBILIDADE QUE SE EXIGE PARA A PRÁTICA DO SURF:

O material que está a ser desenvolvido para a criação de uma espécie de armadura, que permita total liberdade de movimentos, é semelhante ao "Kevlar" e tem como principal função evitar que sejam feitas feridas que causem perda de sangue. Charlie Huveneers, professor da Flinders University ligado ao projecto lembra que "a maioria das mortes por ataques de tubarão deve-se à perda de sangue ou às consequências resultantes da perda de sangue".

Estima-se que um grande tubarão branco consiga impôr numa mordedura uma força de 4.000 libras (1.800 kg) por polegada quadrada (PSI) - uma dentada humana exerce entre 150 e 200 (68 e 90 kg) psi. Para além da grande pressão que consegue exercer com a mandíbula esta espécie de tubarão tem, aproximadamente, 50 dentes afiados que podem facilmente quebrar ossos. Fazer uma protecção que consiga contrariar estas armas parecia impossível mas a ciência parece estar prestes a anunciar um fato que consegue evitar dilacerações e lágrimas.

A este propósito o professor Huveneers acrescenta: "se pudermos reduzir essa perda de sangue e minimizar lesões, com respostas rápidas de emergência, podemos aumentar as taxas de sobrevivência das vítimas dos ataques de tubarões".

O novo material usado no fato de proteção também será resistente ao calor e contará com uma fibra sintética robusta, normalmente utilizada para armaduras à prova de facadas e balas.

Depois do sucesso em laboratório os cientistas já preparam o próximo passo. Os fatos vão ser testados na costa do Golfo de Spencer, perto de Adelaide na Austrália, com tubarões no seu ambiente natural.

Mesmo que as hipóteses de ser vítima de um tubarão sejam infinitamente pequenas, surfistas, mergulhadores e nadadores de águas abertas estão sempre mais expostos ao ataque deste implacável predador.

*Felizmente que nas águas frias do Atlântico que servem a costa portuguesa a presença de tubarões é pontual e a maioria dos que aparecem é inofensiva.

 

Perfil em destaque

Scroll To Top