Tatiana Weston-Webb pode passar a representar o Brasil. Tatiana Weston-Webb pode passar a representar o Brasil. Foto: WSL/Matt Dunbar

Itens relacionados

sexta, 20 abril 2018 10:09

Tatiana pode passar a representar o Brasil

Surfista da elite mundial pode mudar de nacionalidade na World Surf League...

 

Tatiana Weston-Webb, namorada de Jesse Mendes, que tem vindo a representar o Havai na World Surf League, pode passar a representar o Brasil muito em breve. A informação foi adiantada pelo site Waves e surge no seguimento da notícia que a Surftotal já tinha adiantado sobre Kanoa Igarashi, que em fevereiro passou a representar o Japão

 

A decisão visa, essencialmente, a representação nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 que vão ter, pela primeira vez, a disciplina de Surf. 

 

Na verdade, a surfista, de 21 anos, camisola número 9 da WSL, é filha de uma bodyboarder brasileira, Tanira Guimarães, e de um surfista britânico, Doug Weston-Webb, e vive em Kauai (Havai) desde as duas primeiras semanas de vida. 

 

Para já, as surfistas Silvana Lima e Tainá Hinckel parecem ser os nomes apontados para representar as cores canarinhas, mas a Confederação Brasileira de Surf encontra-se a analisar o caso. No fundo, todas as federações de surf tentam agora juntar os melhores surfistas. 

 

Caso a mudança de nacionalidade venha a acontecer, o Brasil ganha um novo elemento na elite mundial, ficando assim com 13 presenças no World Tour (11 masculino + 2 feminino). 

  

O processo de qualificação para os Jogos Olímpicos também ficou definido pelo Comité Olímpico Internacional no final de março, após o acordo inicial entre a ISA (International Surfing Association) e a WSL (World Surf League). 

 

Os elementos chave do apuramento passam pelos seguintes pontos: 

 

- 20 homens, 20 mulheres;

- Máximo de 2 surfistas por género por Comité Olímpico Nacional (CON); 

- De acordo com as orientações do COI, os eventos de qualificação foram determinados sob ordem hierárquica, conforme explicado abaixo; se dois surfistas do mesmo sexo se qualificarem através da primeira ordem hierárquica, o CON não será capaz de qualificar mais surfistas do mesmo género através de eventos de menor qualificação na ordem hierárquica de qualificação;

- Todos os surfistas selecionados pelas federações para as suas equipas nacionais devem participar nos ISA World Surfing Games de 2019 e 2020 para serem elegíveis para a qualificação Olímpica. 

 

A ordem hierárquica de qualificação será a que se segue:

 

2019 WSL Championship Tour: Primeiros elegíveis 10 homens e 8 mulheres qualificadas;

2020 ISA World Surfing Games: Primeiro elegíveis 4 homens e 6 primeiras mulheres qualificadas; 

2019 ISA World Surfing Games: 4 homens e 4 mulheres, selecionados com base no continente de origem. Melhor surfista elegível de cada género de África, Ásia, Europa e Oceania;

2019 Jogos Pan-americanos: Primeiro homem e primeira mulher elegíveis nas competições de surf;

Vagas para a nação anfitriã: Um vaga para um homem e uma mulher serão garantidas para o país anfitrião, o Japão, a menos que estas estejam preenchidas através das hierarquias acima descritas. Os atletas japoneses devem qualificar-se regularmente, as suas vagas serão realocadas aos melhores surfistas elegíveis dos 2020 World Surfing Games.

 

--

Segue-nos no Facebook & Instagram 

Perfil em destaque

Scroll To Top