Itens relacionados

terça-feira, 29 outubro 2013 16:10

A VISITA DO SHAPER FLANAGAN A PORTUGAL

“É um dos países de surf mais importantes da Europa!”

Natural do norte da Austrália, o shaper e surfista Jason Flanagan, cresceu com a influência do seu pai Patrick (Flanagan) reconhecido shaper australiano da década de 70, não tardando em seguir as suas pisadas. Mas foi na sua primeira viagem a Bali que decidiu fazer do shape a sua vida, depois de assistir a vários australianos e havaianos produzirem pranchas de surf, ganharem um bom dinheiro com elas e ainda por cima apanhar boas ondas. Jason já produziu pranchas para surfistas como Tom Curren, Michele Bourez, Adam Melling e Owen Wright. Esteve recentemente em Portugal numa visita à fábrica de pranchas da ORG e a surftotal aproveitou para uma pequena conversa.

 

SurfTotal: Como surgiu o shape na tua vida?

Jason Flanagan: Acho que aconteceu naturalmente. Pratico surf desde os 5 anos, o meu pai era surfista e shaper e fez a minha primeira prancha de surf. Esteve ligado à indústria de pranchas de surf, por isso, eu andava sempre por perto das fábricas, shapers e bons surfistas. Acabou por tornar-se o meu estilo de vida.

 

Quando surgiu a tua primeira visita a Portugal? A primeira vez que cá estive foi em 2001 para trabalhar com Bruce Mckee e o pessoal da fábrica SPO, em Santa Cruz. Desde esse dia que gosto de Portugal. Boas ondas, excelentes pessoas, boa comida e vinho. Fiz bons amigos aqui e sempre que tenho oportunidade dou um salto a Portugal e visito os meus amigos da ORG, Rabbit e Xino, eles são fantásticos. Além de conhecerem bem o seu trabalho são também boas pessoas.

 

Qual é o teu best seller? Estou constantemente a melhorar os meus designs, procurando produzir as melhores pranchas de surf para o meu team e clientes. As pranchas que têm mais sucesso são a F2, The Mistress, The Fling e a Shiraz.

 

Como vês o surf em Portugal? Portugal é um dos mais importantes países de surf na Europa, sendo uma questão de tempo até ser o melhor a nível de surf e indústria. A indústria aqui é sólida. Já há muitos anos que tenho vindo admirar o trabalho desenvolvido pela Polen International em pranchas de surf, como existem outros também. Vocês têm ondas fantásticas e a maior parte da população vive perto do mar. Existe aqui muito talento, principalmente nos mais jovens, que já crescem cheios de ambição e determinação. Acho que realmente falta pouco tempo até Portugal ter mais surfistas no WCT.

 

Planos para 2013 e 2014? Continuar ativo, seguir em frente com o meu o shape, sem nunca deixar de passar tempo com os meus filhos e de surfar. Este é o meu principal objetivo!

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top