ActivoBank

Itens relacionados

terça, 20 agosto 2019 12:31

TEAHUPOO: PERFEIÇÃO E PERIGO DE MÃOS DADAS

Contamos-te um pouco da história da lendária onda.



Uma esquerda tubular num reefbreak situado na ponta sudoeste do Taiti, vista desde os anos 90 como uma das ondas mais desafiantes e perigosas do mundo. Um campo de batalha onde a tranquilidade da beleza natural contrasta com a ferocidade das ondas.


Teahupoo - que se pronuncia “cho-pu” - significa “crânios esmagados” e toma forma a cerca de 700 metros offshore. As ondas atingem o seu pico entre maio e setembro, e os surfistas que ali chegam fazem-no de barco, porque uma remada da praia leva pelo menos 15 minutos. É a súbita diferença de profundidade do mar em Teahupoo que dá origem aos tubos monstruosos que tornaram o local icónico.

 

É a partir dos 2m, 2,5m que os tubos de Chopes - como é conhecido o pico - ganham corpo, forma, força e perigo. A entrada na onda é vertical e a onda transforma-se numa caverna de parede espessa, com energia suficiente para enviar ondas de choque para o canal. Uma onda de 3m surfada, não é particularmente longa, mas é exigente e implacável: o que se procura é entrar cedo no tubo, manter uma linha e sair no momento em que desacelera antes de explodir no recife de coral.



Os surfistas locais surfavam ali ondas pequenas em 1985, mas são os bodyboarders havaianos Mike Stewart e Ben Severson que têm o crédito de ali ter surfado pela primeira vez com o pico em força máxima. Em meados dos anos 90 os surfistas profissionais começaram a ser visitas regulares do “fundo da estrada” (Teahupoo fica situado no final de uma estrada pavimentada). Kelly Slater e Tom Carroll ‘carregaram’ ali no filme Quiksilver Country de 1996.

 

O Tahiti Pro entrou para o World Tour em 1999 e desde então foi vencido por surfistas como Kelly Slater, Andy Irons, Mark Occhilupo, CJ Hobgood, Bobby Martinez, Mick Fanning e no ano passado, Ace Buchan.

 

O risco causou algumas vitimas mortais, entre elas, em 2000. O local Briece Taerea foi apanhado por uma onda de 4,5m, arrastado para o coral, e depois de fracturar as costas em três sítios e o pescoço, acabou por perder a vida.



Outro momento lendário foi nesse mesmo ano, quando Laird Hamilton encarou uma onda com 5m e depois da experiência aterradora e ao mesmo tempo fantástica, ficou no canal em lágrimas.



Em 2011 foi o ano do Alerta Vermelho (Code Red Swell) e a prova ficou em ’stand by’, devido ao swell gigantesco que se abateu sobre Teahupoo. Nesse ano foram vários os surfistas de ondas grandes que ali acorreram, com Nathan Fletcher a fazer a capa de várias revistas de surf devido a uma gigante, que lhe valeu também os prémios Ride of the Year e Monster Tube nos Billabong XXL Awards.


Neste vídeo podes observar 'Chopes' em toda a sua glória...


Perfil em destaque

Scroll To Top