Itens relacionados

terça-feira, 17 março 2015 14:48

Justiça para Tiago Guerra: "Não se prende ninguém para se investigar! Investiga-se para depois prender"

O português Tiago Guerra está preso preventivamente em Dili desde outubro de 2014 e a família clama por justiça.

 

 

Tiago Guerra, que já praticou surf e é um nadador exímio, foi detido em outubro do ano passado, no aeroporto de Dili, juntamente com a mulher e os filhos, que seriam libertados horas depois. O frágil e ainda pouco experiente sistema de justiça timorense, mantém Tiago Guerra há 5 meses detido em condições muito ténues e a família luta para que seja feita justiça, uma vez que a detenção foi feita sem acusação formal e até hoje assim continua. Como explica a irmã, Inês Guerra Lau, à SurfTotal. 


"O Tiago tinha, há uns anos, uma empresa de consultadoria em Dili, chamada Olive Consultoria Unipessoal, da qual era dono 100%. É também consultor do Banco Mundial. O Tiago foi detido com a mulher e os filhos no aeroporto de Dili, no dia 18 de Outubro, na altura, sem acusação nenhuma (soubemos muito tempo depois que a suspeita é de branqueamento de capitais), nem sequer uma explicação, em frente aos filhos pequenos... diz, quem viu, que foi de cortar o coração. A mulher e os 2 filhos pequenos ficaram fechados dentro de uma sala durante mais de 8 horas, sem água, sem comida, sem wc, sem nada. E sem nunca lhes ter sido dada qualquer explicação".


"Antes da partida, como têm muitos amigos em Timor, participaram de diversas festas de despedida nas quais estiveram individualidades ligadas ao governo, o Tiago encerrou legalmente a sua empresa em Timor, informou a escola dos filhos de que iria abandonar o país , vendeu as suas viaturas e muitos pertences e transferiu legalmente pela via bancária cerca de 210.000 USD,correspondentes às vendas das 2 viaturas e pertences. Apesar disso foram acusados de estar a fugir do país. Quem foge despede-se dos amigos? Vende os pertences e transfere o dinheiro legalmente?", questiona Inês Guerra.


"O Tiago é totalmente inocente e está preso há quase 5 meses, numa prisão, onde dorme no chão desde o 1º dia (sem sequer um colchão), onde come arroz branco e sopa de couve branca ao almoço e jantar. Esteve doente e vários dias sem acesso a assistência médica por não haver na época um médico na prisão e também por se terem recusado a deixar entrar um médico de fora. A situação chegou ao ponto de o terem levado para o hospital (algemado), onde esteve a soro e foi medicado (mas isto depois de vários dias em profundo sofrimento e nas condições precárias em que está). Ao voltar à prisão, não lhe permitiram que telefonasse à mulher, durante dias, para que esta lhe comprasse os remédios prescritos no hospital e esteve muito doente durante 2 semanas e emagreceu 10 kg", confidenciou.

 

 

O que a família de Tiago Guerra pede é que o português tenha "hipótese de se defender. Não pedimos que acreditem na sua inocência porque como poderiam fazê-lo se não o conhecem? Consigo colocar-me do outro lado e entender que, não conhecendo a pessoa em questão, exista uma desconfiança. Não esperamos que o considerem inocente, e compreendemos as dúvidas que surjam. O que pedimos é que se dê a oportunidade a um homem para se defender. Isto é uma violação dos Direitos Humanos e uma causa humanitária. Não se prende ninguém para se investigar! Investiga-se  para depois prender."

 

Inês Guerra Lau despede-se com uma mensagem para todos os que têm manifestado o seu apoio. "Obrigada pelo carinho e apoio de todos... somos tão gratos!".


Junta a tua voz a esta causa através do facebook: Justice for Tiago

Para assinares a petição, vai aqui: petition/Primeiro_Ministro_de_Timor_Leste_Justica_para_o_Tiago_Guerra



Para escreveres às autoridades timorenses e portuguesas: justicefortiagoguerra

Perfil em destaque

Scroll To Top