Itens relacionados

sexta-feira, 04 outubro 2013 11:00

NIC VON RUPP: "CHEGAR AO OUTSIDE NÃO É O FINAL DA META"

À Surf Total, o surfista diz estar preparado para os próximos eventos. 

 

 Foi um ano de altos e baixos para Nicolau von Rupp. Mais altos que baixos. 2013 começou para este surfista luso-germânico com uma experiência incrível na Irlanda. Uma experiência que diz que vai marcar a sua carreira.

 

Tenho uns quantos amigos que vivem na Irlanda e eles sabem que eu gosto de surfar ondas grandes e pesadas. Peguei num operador de câmara e fui para lá, e não podia ter corrido melhor”, conta Nic.

 

Para o surfista da Praia Grande, o ano começou muito bem, tendo sido esta passagem pela Irlanda, que originou um vídeo, um grande “boost” na sua carreira em termos de freesurf, diz.

 

Depois disso ainda venceu o Moche Capítulo perfeito e passou pelo Havai. “Foi o início de ano de sonho. Entretanto como se diz “quanto mais alta a montanha mais alta a queda”, fui-me um bocado abaixo a meio do ano e agora voltei a dar-me bem no Guincho, consegui um segundo lugar na última etapa da Liga Moche. Hoje em dia o nacional tem um impacto muito forte. Temos 6 surfistas a correr o circuito mundial, um segundo lugar não é ganhar, mas ir à final é sempre final”, confessou à Surf Total.

 

Aliás, nesta final, Nicolau teve um percalço que infelizmente acontece por vezes durante os heats. “Quando partes uma prancha, tens a perfeita noção que é para aquilo que estás a treinar, horas e horas no ginásio a treinar para aqueles momentos em que as coisas correm mal, em que partes uma prancha e tens de fazer um triatlo, tens de ir a nadar, chegas à praia tens de correr, para depois voltar a passar a rebentação. E ainda ter energia para fazer os 8 pontos ou 10 pontos. Chegar ao outside não é o final da meta. O final da meta é ter a taça na mão”, diz.

 

O ano de Nicolau ficou ainda marcado pelo lançamento de um novo projeto. “O “My road” é ir a procura das melhores ondas do mundo com os melhores surfistas e disso fazer vários episódios. “Este ano fomos aos Chile, México, fizemos um episódio em Portugal e indonésia”, conta.

 

Um desses episódios, o do México, coincidiu com o aniversário de Nicolau. E além da experiência, o surfista recebeu ainda um grande prémio, vencendo o Pawa Tube Fest, “um evento só para convidados, com tube riders conhecidos pelo mundo fora”. “Só ser convidado para este evento no México já foi um grande orgulho. Não estava nada à espera”, diz.

 

Falando agora do futuro, Nic está ansioso pelos próximos eventos. “Ando a treinar imenso, e sinto que estou preparado para os Trials e Prime. Nos dois o objetivo é ganhar. Nos trials é entrar para o Wct. E no Prime chegar o mais longe possível. Tenho perfeita noção que os campeonatos estão com um nível muito alto, mas sinto-me preparado e focado com boas pranchas, estou rodeado de boas pessoas, treinadores, psicólogos, amigos, e é isso que interessa”, conclui.

 

Patrícia Tadeia

Perfil em destaque

Scroll To Top