quarta, 26 fevereiro 2014 15:20

SURFTOTAL EM FERNANDO DE NORONHA: BEM PERTO DO PARAÍSO

A SurfTotal esteve lá e agora mostra-te tudo.

Texto: Rui Oliveira

Imagens: Rui Oliveira e Tiago Segurado

 

Todos sabemos que o Brasil é um país lindo, independentemente dos problemas sociais que ainda atravessa. No geral, os países da América do sul têm aquele ambiente que nós europeus não temos e que tanto valorizamos, o ambiente tropical. Tal como noticiámos anteriormente, estávamos prestes a chegar a Fernando de Noronha. Esta ilha transborda genuinidade, natureza, hospitalidade, felicidade, e tudo o que vocês possam imaginar para descrever um local quase perfeito.

 

Quase perfeito porque, a perfeição realmente não existe. O estado pretende manter a ilha de tal ordem crua e virgem, tornando alguns aspectos deficitários, tais como algumas vias de acessos, preços dos produtos, e claro está, aquilo que fez com que um WQS Prime deixasse de se realizar nesta pérola oceânica: uma internet com rapidez e acessibilidade quase ao nível no início dos anos 90.

 

No entanto segundo os locais, este evento poderá voltar à ilha já no próximo ano. E acreditem que sofremos muito com isto. Mas, ainda assim, e quando perguntámos a um local como se chamavam os habitantes de Noronha, ele não hesitou e sorrindo afirmou ‘felizes’.

 

Bem, então e os famosos “close outs”? Eles realmente existem, mas entre alguns lá vão surgindo as mais perfeitas ondas que possam imaginar, e o nosso atleta Miguel Blanco esteve lá nos momentos certos, afirmando a sua presença no “line up” e chamando à atenção pelos tubos profundos.

 

Na parte norte do pequeno arquipélago fica uma das mais conhecidas ondas, Abras. Um “point break” perfeito que quebra para a esquerda nos dias de maior swell. Mais na zona central outro spot a visitar, Praia do Boldró, também um “point break” mas de direitas.

 

Por perto uma praia bastante acolhedora abençoada por uma imagem da deusa do mar Iemanjá, a praia da Conceição. Nesta praia opera umas das poucas escolas de surf da ilha, projeto iniciado por um grupo de Surfistas de Cristo. Cacimba do Padre foi, sem dúvida alguma, o spot mais ansiado pelos elementos desta expedição e realmente não desiludiu.

 

Mas o primeiro spot explorado foi o pico do Porto, um local mais abrigado que se apresentava com bastante crowd, pois os restantes spots estavam com más condições. Mas, rapidamente o mar se tornou surfável e no dia seguinte, e restantes, a Cacimba do Padre, praia onde se erguem as ilhas dos Dois Irmãos, presenteou-nos com as melhores condições.

 

Muito calor, água quente, visual deslumbrante e, claro está, ondas fantásticas. Aqui encontrámos muitos bons surfistas, tal como Patrick Tamberg, local da ilha e atual surfista profissional. Outra presença que se esperava era o antigo competidor do circuito mundial Fábio Gouveia, que conhece bem os tubos da Cacimba e, nesta altura do ano, não deixa de por aqui aparecer.

 

Nesta passagem pela ilha, não faltou quase nada. Houve ondas, sol, surf, calor, forró, boa comida, alegria e até tubarões. Chega assim ao fim esta aventura. Resta-nos regressar a casa com a certeza que já estivemos perto do paraíso. Fica aqui com alguns dos melhores momentos, e vai começando a juntar alguns trocos pois Noronha tem de estar na lista de destinos de qualquer surfista.

 


Perfil em destaque

Scroll To Top