Itens relacionados

terça, 07 janeiro 2014 19:37

JÁ PODES COMEÇAR A VOTAR PARA O CAPÍTULO PERFEITO

Evento decorre num período de espera entre 13 de janeiro e 13 de março.

Por Patrícia Tadeia 

Já está disponível para votação a lista de surfistas que entram na 3ª edição do Capítulo Perfeito Powered by Billabong. Para votares e assim elegeres os 13 finalistas que entram na prova, a decorrer entre os dias 13 de janeiro e 13 de março, em Carcavelos basta que visites o site do evento. A votação está a decorrer até dia 11, e dia 12 serão conhecidos os mais votados. Frederico Morais foi um dos surfistas que marcou presença hoje na conferência de imprensa do evento, em Cascais.

 

Em declarações à SurfTotal explicou o que pensa da realização da prova naquele que é o seu concelho (isto depois de duas edições em Peniche). “Adoro Supertubos, mas eu sou de Cascais e temos sempre o nosso favoritismo. A prova vai puxar imenso por Cascais, pelos surfistas, pelos miúdos que vão estar na praia a ver-nos a dar tubos e aproveitar aqueles dias perfeitos. Vai torná-los ainda mais entusiastas do surf”, confessou.

 

Tendo em conta que o período de espera da prova vai até 13 de março, ainda não sabemos se o surfista do Guincho e atual campeão nacional vai poder marcar presença. “Espero estar presente neste evento. Se não estiver, espero que o resto dos surfistas se divirtam, dêem um grande show e Carcavelos lhes traga as melhores ondas”, avançou.

 

Quisemos ainda saber como é a onda perfeita/dia perfeito para Kikas. “Depende de surfista para surfista, mas talvez um pico triangular a dar ondas para os dois lados. Tubos, offshore um dia de sol e muita gente na praia para nos apoiar”, concluiu o team rider da Billabong

 

Também Rodrigo Pimentão, da Billabong, um dos main sponsors da prova, nos contou como seria essa onda. “Cada um tem a sua onda perfeita. Neste caso como falamos de tubos, é o tubo mais deep, mais profundo, durante mais tempo e com uma saída clean”, explicou.

 

Em relação à marca confessou que é com “imenso orgulho” que esta se envolve neste “evento especial em que os surfistas saem de casa de manhã com um frio na barriga para irem curtir”. “Faz parte da estratégia da Billabong criar esse tipo de sentimento não só aos surfistas mas outras pessoas q estão a ver”, conta.

 

NOVIDADE: WILDCARD DE SALVAÇÃO 

A edição deste ano volta a manter o prize money da edição anterior (10.000 euros) e traz algumas novidades, nomeadamente a existência de um wildcard de salvação. “Temos 30 atletas a votação, e entram 16 atletas. Treze são votados pelo público, e 3 são wildcard. Um para o vencedor da prova anterior, o Nic von Rupp, e um para um local, da praia onde vamos, neste caso Edgar Nozes. O terceiro é de salvação. Identificámos nos últimos dois anos que existem sempre aqueles surfistas condenados a não entrar. Porque este é um evento de partilha, de pedido de votos, de fama, e para podermos preservar o conceito de surf, resolvemos activar um wildcard que já esta identificado. Caso não seja escolhido, salvamo-lo e trazemo-lo para dentro da prova”, explicou Rui Costa da organização.

 

Em declarações à SurfTotal avançou ainda que na sua génese original, este é um evento que “previa a exploração das zonas tubulares por todo o país”. “Estivemos dois anos em Supertubos e decidimos continuar a nossa procura e a nossa aventura”, explica falando na passagem por Carcavelos.  

 

MAIS PRÓXIMO DA CAPITAL

A grande vantagem deste novo “palco” prende-se com a proximidade à capital. “Esperamos uma maior adesão. É indesmentível que Carcavelos é uma praia urbana. Gente que dificilmente iria a Supertubos, caso a prova aconteça num dia de semana, terá agora a possibilidade de estar presente e ver nem que seja um pouco da prova”, disse ainda Rui Costa.

 

O presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, também presente na apresentação não podia estar mais de acordo: “Acreditamos que temos condições únicas, não só pela proximidade a uma capital europeia que é Lisboa, e isso diferencia-nos muito dos outros destinos a nível mundial, mas também numa perspectiva de desenvolvimento económico. O surf é uma cadeia de valor que em si gera riqueza, gera aquilo que hoje é o bem mais escasso no nosso país que é o emprego. E isso leva nos a ter uma aproximação ao surf não só por paixão mas também por interesse. E assim reunimos as componentes necessárias para termos uma forte aposta a nível global.”

 

Carlos Carreiras aproveitou ainda para referir que este é mais um regresso ao berço do surf. “Nós aqui acreditamos que já temos as condições perfeitas, aliás condições perfeitas essas que levaram que o surf em Portugal tenha nascido aqui em Cascais. E de alguma forma é sempre o regresso ao berço quando temos estes grandes eventos a nível do surf”, disse à SurfTotal, confessando ainda simpaticamente que nunca praticou surf, mas que tentou.

 

 “Ao tentar percebi que não tinha talento. Quando era adolescente, em Carcavelos, ainda tentei o arrojo de fazer surf, e imagino que se tivesse havido fotografias havia muitas quedas. Hj em dia acompanho porque se é importante para Cascais tenho q ter conhecimento e ir acompanhando. E depois também começamos a entusiasmar-nos com os nossos campeões”, concluiu.

 

Fica agora com o vídeo de apresentação do evento:

 

 

 

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top