O sábio do surf O sábio do surf
sábado, 30 outubro 2021 16:38

Kelly Slater defende que vacinação contra a covid deve ser voluntária e enfrenta controvérsia

Mas ao longo dos anos não se tem inibido de tomar posições mais controversas...

 

 *Por Pedro Quadros

Kelly Slater defende que vacinação contra a covid deve ser voluntária e enfrenta controvérsia

 

Slater afirma publicamente o seu ceticismo quanto às vacinas contra a covid e defende que a vacinação deve ser um acto voluntário

 

Kelly Slater, 11 vezes campeão do mundo de surf profissional, muito provavelmente o surfista mais popular de sempre, considerado por muitos como o melhor surfista de sempre,  tem sido também o surfista mais influente graças à sua propensão para afirmar em público as suas posições e convicções, seja relativamente aos aspectos mais técnicos do surf – as suas análises à competição e às pranchas de surf são das mais claras, penetrantes e minuciosas que podemos encontrar. É também um grande defensor de um estilo de vida saudável, promovendo o cuidado com a alimentação e a atenção à forma física, por sinal invejável, que lhe permite que aos 49 anos ainda seja um adversário de respeito no Tour.

As suas opiniões fortes e fundamentadas têm feito dele uma espécie de sábio (wise man) do mundo do surf, alguém sempre ouvido com atenção e interesse.

 

“Sou naturalmente céptico quanto a muita da informação que nos é fornecida pela comunicação social”

 

Mas ao longo dos anos não se tem inibido de tomar posições mais controversas, como o interesse por teorias conspirativas acerca do 11 de Setembro (de 2001), afirmando ser “naturalmente céptico quanto a muita da informação que nos é fornecida pela comunicação social, e creio que na maioria das vezes os meios de comunicação de massa estão a mentir-nos”. Ou relativamente ao uso recreativo de drogas [como a marijuana] – tendo mesmo afirmado que “honestamente, não consigo ver alguma coisa contra fazer parte de uma cultura permissiva quanto ao uso de drogas”, acrescentando que “de facto, qualquer sub-cultura que seja explicitamente contra as drogas é provavelmente também contra outras coisas agradáveis [fun things]”.

 

“Temos todo o direito a estar confusos e por isso a colocar questões”

 

Nos últimos dias tem-se envolvido em acesas discussões no Instagram acerca da  obrigatoriedade da toma da vacina contra a covid [vaccine mandate], afirmando ser “pessoalmente contra a obrigatoriedade, numa sociedade livre, de uma vacina que especialistas consideram ser insegura (leaky)”, alegando que “quando virologistas e médicos reconhecem que se pode apanhar ou carregar carga viral mesmo se vacinado, temos todo o direito a estar confusos e por isso a colocar questões”.

Segundo ele, “se reconheço os riscos (consentimento informado) e avalio o que me beneficia/prejudica, sustentado em estatísticas e informação, bem como na minha condição de saúde, eu posso escolher”.

Talvez levado pelo ímpeto de frisar o seu ponto de vista, Kelly poderá ter-se mal explicado quando referiu que “eu conheço mais acerca do que é ser saudável do que 99% dos médicos”, salientando que “a maioria da informação sobre a covid de que disponho vem directamente de médicos amigos, muitos deles em desacordo com a ‘ciência’ oficial”.

Esta posição levou-o a ser interpelado publicamente por um jornalista de desporto australiano muito conhecido, Peter FizSimmons, que afirmou que “não se pode falar de liberdade de escolha se essa [recusa na vacinação] tiver impacto em outras pessoas – trata-se de ajudar outros”. Outro que interviu, foi Adrian “Ace” Buchan, surfista ex-WT, alertando que “não ouviria médicos sobre qual a melhor prancha para Pipeline, ouviria sim outros surfistas; mas não ouviria estes acerca de tratamentos para o caso de me lesionar. Ouviria os médicos”.

Mas Kelly também tem sido defendido, seja nas caixas de comentários, seja por surfistas como Ian Cairns (surfista australiano com um papel decisivo no reconhecimento do surf como um desporto profissional), que afirmou que “numa altura em que a Austrália está sujeita a níveis incríveis de supressão de liberdade de expressão e de alternativas médicas, devemos aplaudir Kelly Slater por tomar uma posição pública a favor de tratamentos e opiniões alternativas, nossas prerrogativas como australianos”.

 

Trata-se certamente de um debate que prosseguirá, até porque como Kelly afirma, “o surf não deixa de ser um microcosmos da nossa cultura e sociedade”.

Kelly Slater enfrenta o seu  público. Click por WSL

 

 

Itens relacionados

Perfil em destaque

Scroll To Top