"Acho que devia ser dada maior importância aos circuitos regionais e às finalíssimas de Surf de cada categoria..."

Entrevista com o Presidente da Associação de Surf e Bodyboard dos Açores...

 

A Surftotal esteve em São Miguel, Açores e entrevistou o actual Presidente da Associação de Surf e Bodyboard dos Açores. Antonio Benjamin está este ano de saída da direcção e expressa nesta entrevista a sua opinião sobre diversos temas importantes do surf nacional e regional.

 

 

Entrevista António Rui Guterres Benjamim Presidente executivo da Associação Açores de Surf e Bodyboard

 

 

 

 

 

Antonio Benjamin durante uma etapa do Circuito Regional de Surf e Bodyboard dos Açores 
 

"Apesar de todos os contratempos e da prova não se ter realizado, esta ficou marcada pela sessão de surf no Nordeste,..."

 
 
 
Surftotal: Olá António Benjamim bom dia, e obrigado por esta entrevista, sabemos que estas de saída da Associação Açores de Surf e Bodyboard enquanto seu Presidente, e vamos já falar sobre isso, mas 1º gostaríamos de ter o teu feed back sobre o QS Azores Pro.

António Benjamin: Apesar de todos os contratempos e da prova não se ter realizado, esta ficou marcada pela sessão de surf no Nordeste, uma sessão que correu mundo e veio mostrar o potencial que os Açores têm para oferecer, por vezes as coisas acontecem sem que consigamos perceber a razão, mas o facto de não ser possível fazer a prova em Santa Bárbara e a onda do nordeste funcionar por vários dias, permitiu mostrar à comunidade local a mais valia que é ter uma onda como dinamizador da economia e fator de promoção turística. Sabemos que há intenção de construir um paredão de proteção das casas ali existentes, no entanto isso irá destruir aquela onda, pode ser que agora haja um repensar desta situação.

 

Foi um grande contratempo para os atletas, organizadores e WSL, mas o Surf é mesmo assim, depende da natureza e suas condições, como tens visto esta prova ao longo dos anos? Tem sido um vector de desenvolvimento para o Surf Açoreano? Porquê?

Ao longo dos 15 anos que esta etapa do circuito mundial de qualificação, assistimos ao crescimento de toda uma geração de surfistas locais que todos os anos podem ver e surfar com atletas de topo mundial, de tal forma que já há atletas locais a terem nível para participar neste tipo de eventos. Muito importante, também, é o factor dinamizador da economia local, transformando a Ribeira Grande na Capital do Surf dos Açores, e onde a autarquia, na pessoa do seu presidente Alexandre Gaudêncio, tem tido a sensibilidade para perceber que o Surf é um fator de desenvolvimento nos locais onde há boas ondas. A Ribeira Grande tem isso tudo, possui praias magníficas com ondas de classe mundial, e está a aproveitar isso da melhor forma, transformando toda a sua frente de mar e criando um destino turístico jovem, criativo, moderno e sustentável, captando um novo mercado e dinamizando a economia.

 

Este ano havia quantos atletas Açoreanos inscritos na prova?  Seria a maior participação de sempre? 

O apuramento para participar nesta prova, é feito pela classificação no campeonato regional, sendo que para o open recebem wilcard o campeão e vice campeão open masculino e feminino e pra o pro junior, a classificação na categoria sub 18, a autarquia apoia todos os atletas que participam, assumindo os custos com a inscrição. No pro junior tivemos a participação de 4 atletas e no open 4 atletas.

 

 

"O Surf é agora um factor dinamizador da economia local, transformando a Ribeira Grande na Capital do Surf dos Açores..."

 

 

 

 Estrutura parcial de apoio ao Circuito Regional de Surf e Bodyboard dos Açores  
 
A prova da WSL acabaram por ser adiada e cancelada, respectivamente, isso acabou por correr bem para os juniores açoreanos que vão à Ericeira?

Esta foi uma situação que surgiu porque havia sobreposição do Azores Pro com a final nacional da categoria sub 18, sendo que segundo as regras a prova com nível inferior é alterada, o que não se veio a verificar, criando uma situação complicada para os atletas nacionais e regionais inscritos na duas.

 

 

"...quero deixar aqui um profundo agradecimento a toda a equipa que integrou esta direção..."

 

 

 
Agora vamos ao balanço desta tua direcção na Associação Açores de Surf e Bodyboard (AASB), que mais marcou o teu mandato e que mais te marcou enquanto Presidente?

Antes de mais, quero deixar aqui um profundo agradecimento a toda a equipa que integrou esta direção, Aires Ferreira, Pedro Viegas, Roberto Pastor e Miguel Cruz, pois este foi um trabalho de equipa e não de um indivíduo. Acima de tudo o que mais marcou, foi a união e o companheirismo no Tour Regional, de todos os atletas, pais e staff.

 
Há um grande número de jovens atletas Açoreanos a competir neste momento, havendo nos regionais por vezes próximo de 100 inscritos por etapa, a que se deve essa participação massiva? Qual tem sido o segredo para motivar os jovens açoreanos a surfar e competir nas respectivas categorias?

Julgo que tem a ver com a estratégia que definimos há 4 anos, tornar o surf numa modalidade organizada e credível, para o efeito estabelecemos parcerias com entidades publicas e privadas, empresas, autarquias e governo regional. Depois descentralizamos o campeonato regional, para além de S.Miguel, levando à Terceira e Graciosa, e por último promovendo o Surf na RTP, onde pela primeira vez tivemos a cobertura de todo o campeonato, com um programa de 30 minutos para cada etapa, nunca um circuito regional teve esta cobertura, disponível na RTP Play, dando o retorno desejado a todos os patrocinadores. O surf foi a modalidade que mais cresceu nos Açores, de tal forma que passou a ser reconhecida como modalidade estruturada, aumentando assim o apoio por parte do desporto da região, passou, também a estar presente no CADAR (Conselho Açoriano para o Desporto de Alto Rendimento).Neste momento é uma associação com uma boa base financeira, com uma forte representação em S.Miguel, Terceira e Graciosa.

 

 
 
 
"Neste momento, acho que devia ser dada maior importância aos circuitos regionais e às finalíssimas de cada categoria, pois é aqui que estão as bases e os atletas do futuro, à semelhança do que fizemos nos Açores..."
 
 
Também és Pai de um atleta, um dos maiores talentos emergentes do Surf Açoreano, como vês enquanto Pai o que se tem vindo a fazer em prol da evolução do surf em Portugal?

Neste momento, acho que devia ser dada maior importância aos circuitos regionais e às finalíssimas de cada categoria, pois é aqui que estão as bases e os atletas do futuro, à semelhança do que fizemos nos Açores. É, também, muito importante levar o surf e o desporto em geral às escolas, pois não é com 2 horas de educação física por semana que vamos ter atletas olímpicos, à que criar uma cultura de pratica desportiva na população e nos jovens em Portugal, coisa que não existe.

 
Achas importante que haja sempre um prémio para os quatro finalistas de cada categoria? Se sim porquê?

Claro que sim, porque há que premiar o esforço feito para chegar à final.

 

E a estrutura de prova, consideras fundamental haver uma estrutura digna e que faça perceber aos participantes a força dos organizadores assim como para quem está de fora perceber o que se passa e respeitar mais o surf enquanto modalidade desportiva? 

O circuito regional dos Açores tem, uma das melhores estruturas de prova do pais, pois basicamente, damos as mesmas condições de uma prova da WSL, havendo uma zona de atletas, contentor para juízes, contentor para o staff e secretariado, serviço de catering ao longo de toda a prova segurança com mota de água, desta forma conseguimos promover a modalidade junto dos patrocinadores e do publico em geral.

Importante, será dizer, que o Surf, ao contrário das modalidades de ginásio e de campo, onde o espaço é sempre igual, e onde a estrutura, manutenção, funcionários, despesas com água, luz, etc, é tudo pago pelo governo, no Surf temos o mar que é gratuito e temos que criar toda uma estrutura de raiz, para as provas com fundos que vêem do orçamento da associação.

 

 

"O circuito regional de surf dos Açores tem, uma das melhores estruturas de prova do pais, pois basicamente, damos as mesmas condições de uma prova da WSL..."

 

 

 

Prémios para todos os finalistas - Circuito Regional de Surf e Bodyboard dos Açores  

 

 

 

"Todos os finalistas de uma competição de surf deverão ser premiados pois há que premiar o esforço feito para chegar à final."

 

 

 

 

Como vai ser o futuro da Associação de Surf dos Açores?

Se continuar o caminho que foi feito até aqui, vai ser muito positivo, mas é muito importante que haja um maior envolvimento por parte dos pais dos atletas.

 

E tu que vais fazer?

Para além da minha atividade profissional, tenho a surfshop que faz 20 anos em 2023, sendo uma das mais antigas em Portugal, foi, também dado inicio a um novo projeto que pretende transformar os Açores numa reserva mundial de surf, foi criada a Save Azores Waves, que, em parceria com a Save the Waves Coalition da Califórnia, está a trabalhar nesse objetivo. Irei continuar a dar todo o apoio necessário à próxima direção da AASB.

 

 

"Se continuar o caminho que foi feito até aqui, vai ser muito positivo, mas é muito importante que haja um maior envolvimento por parte dos pais dos atletas...."

 

 

 

Itens relacionados

Scroll To Top