"TIVE DE REDEFINIR AS MINHAS PRIORIDADES"

Entrevista exclusiva com Maria Abecasis


Com apenas 21 anos de idade, Maria Abecasis já conta no currículo com dois títulos de campeã nacional - o último em 2012 - e um título nacional de juniores. Conhecida pelo seu backside poderoso e fluído, Maria encontra-se agora numa fase diferente da sua vida, muito por força de uma lesão que a fez ponderar sobre o caminho a seguir. Maria falou com a SurfTotal, falou sobre o presente, e um pouco do que vai ser o futuro. O surf de competição fica, por agora, em 'stand by', mas não é definitivamente uma porta encerrada.


Maria conta-nos como te lesionaste? Estavas a atravessar um excelente momento de forma.
Lesionei-me dia 3 de Dezembro durante um treino no ginásio. Estava a fazer circuitos com bozus e trampolins e pus mal o pé na aterragem de um salto. Tive imensas dores e percebi logo que não tinha sido uma lesão leve. Achei que tinha partido o pé mas depois de alguns exames percebeu-se que tinha feito rotura parcial de um dos ligamentos do tornozelo e estiramento em outros.


Ainda ponderaste entrar nesta prova?
A minha decisão para esta prova foi tomada há algum tempo e não esteve apenas ligada à lesão. No início do ano percebi que tinha de fazer algumas mudanças na minha vida. O surf sempre foi a minha prioridade e tudo o resto era deixado para segundo plano mas no ano passado a faculdade começou a ganhar um peso maior.  Em 2013 tive de dividir o meu tempo entre a faculdade e o surf e os resultados não me satisfizeram. Gosto de sentir que estou a dar o meu melhor em tudo o que faço e isso não estava a acontecer. Considero-me uma pessoa ambiciosa e depois de ser duas vezes Campeã Nacional queria mais! Tinha então duas opções: ou começava a apostar numa carreira Internacional ou investia “a fundo” na faculdade e na minha formação. Tive de redefinir as minhas prioridades e traçar um novo caminho. Depois de muito ponderar e analisando as oportunidades que tinha concluí que acabar o curso era o mais importante para mim neste momento, não sendo isso compatível com o treino necessário para ter uma carreira internacional de sucesso. Perante isto decidi não competir este ano.


Continuas a treinar? Com quem?  
Não, neste momento não. Sempre treinei com a Surftechnique e cresci com o método de trino deste grupo que está muito centrado no compromisso, disciplina e  dedicação! Como tal, tenho ciente que se é para treinar, é para treinar a sério! Como já referi essa não é essa a minha prioridade agora e em conjunto com os meus treinadores vi que era altura de seguir por outro caminho. Vou no entanto estar sempre ligada a este grupo e levo muitos dos seus princípios para o dia-a-dia como a pontualidade, a organização e o sentido de compromisso!


Quem te tem acompanhado nestas decisões?
Para começar a minha psicóloga, Margarida Baptista, da clínica Mindset, a quem tenho de agradecer! É uma grande ajuda poder ser aconselhada por profissionais. Foi fundamental para conseguir analisar toda a situação, gerir e superar medos e perceber o que era realmente o melhor para mim! Tenho ainda de agradecer do fundo do coração aos meus amigos que têm sido tão importantes e me têm apoiado sempre!


Sabemos que renovaste o contrato com a ONeill. Qual a tua relação com a marca? Como ficaste em relação aos restantes patrocinadores?
É verdade! Quando tomei a minha decisão falei logo com os meus patrocinadores. Acima de tudo é importante perceber que isto é um negócio e não apenas relações pessoais. Fui muito sincera e expliquei toda esta situação. Agradeci todo o apoio que sempre me deram mas assumi que não iria ser capaz de treinar como nos anos anteriores nem ter os mesmos resultados e que, sendo assim, preferia não competir. A O’Neill quis continuar a apoiar-me uma vez que quero continuar a surfar e a estar ligada ao mundo do surf! Tenho todo o orgulho em continuar a representar e promover a imagem da marca da melhor forma que conseguir! O mesmo aconteceu com os meus outros dois grandes patrocinadores: a X-Cult (com quem assinei contrato de 3 anos) e a Ocean&Earth (que também continuarei a representar)! Tenho de facto muita sorte em trabalhar com estas marcas!


O que mais te surpreendeu este ano na colecção da O'Neill?
A roupa e os fatos!! É sabido que muitas vezes a roupa de surf é menos feminina que o habitual mas a O’Neill tem vindo a surpreender de colecção para colecção! Já recebi dois caixotes de roupa para este verão e estou ansiosa para que chegue o calor para poder começar a estrear a minha roupa nova! Os fatos também estão cada vez mais elásticos, leves e quentes e os deste verão são super femininos!


Competir é então um assunto encerrado?

Não! Esta minha decisão é para já. Depois de acabar o curso e de recuperar da minha lesão até posso perceber que é mesmo competir que me faz feliz e então voltar a sério! Não sou pessoa de fechar portas definitivamente!

A SurfTotal deseja-lhe toda a sorte do mundo nesta nova fase, e que regresse o mais rápido possível à água!

Itens relacionados

Scroll To Top