Está aí um novo movimento para reinventar um modo de vida sustentável- Bauhaus do Mar segunda-feira, 14 junho 2021 14:22

Está aí um novo movimento para reinventar um modo de vida sustentável- Bauhaus do Mar

Um convite a todos os europeus para a construção de um futuro sustentável e inclusivo...

 

A iniciativa "novo Bauhaus europeu" convida todos os europeus a imaginarem e a construírem juntos um futuro que seja não só sustentável e inclusivo, mas também verdadeiramente belo, tanto para os nossos olhos como para a nossa mente e a nossa alma. Este projeto consiste num movimento criativo e interdisciplinar em desenvolvimento e no qual todos podem participar!

 

Uma nova plataforma que pretende mudar o futuro

É uma plataforma de experimentação e criação de conexões que promove a colaboração entre os pensadores e os empreendedores interessados em criar futuros modos de vida em conjunto e tem como objetivo juntar cidadãos, especialistas, empresas e instituições e promover conversas sobre como tornar mais económicos e acessíveis os espaços de vida de amanhã, mobilizando designers, arquitetos, engenheiros, cientistas, estudantes e mentes criativas de disciplinas diferentes para reinventar um modo de vida sustentável (na Europa e não só). Melhorar a qualidade da nossa experiência de vida, privilegiando os valores da simplicidade, da funcionalidade e da circularidade dos materiais, sem comprometer a necessidade de conforto e de atratividade no nosso quotidiano e dar apoio financeiro a ideias e produtos inovadores através de convites específicos à apresentação de propostas e de programas são também finalidades deste movimento. 

 

 

 

"Bauhaus do Mar propõe uma mobilização continental

 

em torno do primeiro e mais decisivo espaço natural global: o mar"

 

 

Uma escola no mar

Num navio-escola a viajar pelos mares com uma comunidade de novos criativos e os pavilhões de todos os países, entre as principais cidades costeiras da UE e os seus mais remotos territórios insulares, e enfrentando o oceano, cada vez mais, nos dias que correm, fortes ameaças de poluição (plásticos) e de degradação dos ecossistemas face às mudanças climáticas, a Bauhaus do Mar pretende reconhecer e legitimar as mais diversas formas de saber-fazer já presentes nas comunidades e nos ecossistemas costeiros e marinhos, promovendo, através do design e da criatividade, a sua inovação, atualização e articulação com uma nova geração de políticas públicas orientadas para a cooperação e resolução de problemas transnacionais. Assim, o movimento propõe a síntese entre a natureza, as tecnologias e as necessidades estratégicas do projeto europeu: compreender como nos podemos relacionar de forma sensível, consciente e equilibrada com o maior bem comum do planeta, determinante para a regulação do clima e a preservação dos ecossistemas e da biodiversidade, bem como para a exploração sustentável dos recursos alimentares, minerais e energéticos do futuro.

Desta forma, designers, arquitetos, engenheiros, artistas, gestores e cientistas são convidados a formar uma geração em redor do design de soluções sustentáveis para as regiões costeiras e o mar, mudando perspetiva e encarando os desafios ecológicos e digitais como oportunidades para transformar a nossa vida para melhor. Esta é considerada uma ponte entre o mundo da ciência e da tecnologia e o mundo da arte e da cultura. 

A Bauhaus do mar abraça o desafio de aplicar o design a problemas complexos sócio-técnico-ecológicos e mais-que-antropocêntricos de grande impacto nos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU e nas prioridades estratégicas da UE. 

 

 

 

A primeira conferência

O primeiro evento de co-criação da Bauhaus do Mar decorreu no dia 20 de Maio, no MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia), em Lisboa, e foi uma oportunidade para aprender e participar na concepção da nova iniciativa da Nova Bauhaus Europeia e contribuir para concretizar a visão da Bauhaus do Mar.

O mar da Nazaré, onde é visível uma das maiores ondas do mundo, foi tema de uma das participações nesta conferência. Veja aqui a exposição de Miguel Figueira: 

 

 

Scroll To Top