Costa da Caparica esta manhã. Frame live cam Surftotal.com Costa da Caparica esta manhã. Frame live cam Surftotal.com

Itens relacionados

terça, 05 fevereiro 2019 10:52

Só federados vão poder surfar em dias de alertas na Costa da Caparica

Polícia Marítima prepara-se para abrir excepção depois da proibição implacável feita na semana passada que criou revolta nas praias da margem sul do Tejo

Quando o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) lançar um alerta que seja, pelo menos, "amarelo" (3º menos grave, abaixo de "laranja" e "vermelho") só os surfistas licenciados pela Federação Portuguesa de Surf e ou "atletas de alto rendimento" vão poder entrar no mar da Costa da Caparica. Os restantes vão continuar a ser impedidos pela Polícia Marítima (PM). Esta informação foi dada a uma fonte Surftotal pela Capitania do Porto de Lisboa.

A nova regra, ainda não implementada, surge depois da polémica causada na passada 4ª feira, 30 de Janeiro, quando a PM impediu todo e qualquer surfista de se fazer ao mar depois do IPMA ter lançado um "alerta amarelo" e ameaçou com multas quem desafiasse as ordens. A tomada de posição da autoridade marítima manteve-se apesar das previsões em relação às condições do mar terem acabado por não se verificar e das ondas não terem ido além de 1m de altura, como contámos aqui.

ESCOLAS DE SURF INDIGNADAS COM TAIS PROIBIÇÕES E ATUAÇÃO DA POLICIA MARITIMA DA COSTA DA CAPARICA:

Abrangidas pela proibição continuam as escolas de surf, que se queixam de "perseguição" por parte da PM da Costa da Caparica. O dono de uma destas escolas disse à Surf Total que existe "excesso de zelo" por parte da polícia nesta localidade e refere que "são os únicos que cumprem as indicações dos alertas à risca". O mesmo empresário considera, também, "haver excesso de alertas" lançados pelo IPMA e lembra que "há praias que só funcionam em cenário de tempestade", tendo referido, como exemplo, Sesimbra e Praia da Torre (Oeiras) como spots onde "mesmo com alertas existem condições perfeitas e seguras para uma aula de surf".

O conflito entre os Agentes do Surf e a Polícia Marítima da Costa da Caparica já não é novidade. Ganhou expressão no Verão de 2018 quando 6 surfistas (entre dos 12 e os 14 anos de idade) foram multados e ficaram com as pranchas apreendidas por estarem a surfar em frente a uma zona concessionada da praia que não tinha licença que permitisse a prática do surf. Uma polémica relatada e acompanhada aqui pela Surftotal.

Perfil em destaque

Scroll To Top