João de Macedo a cruzar os cilindros dos Supertubos, em Peniche. João de Macedo a cruzar os cilindros dos Supertubos, em Peniche. Foto: Pedro Miranda

Itens relacionados

segunda, 12 março 2018 16:36

O Surf tem cada vez mais peso na oferta turística de Portugal

Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal, diz que "Deixámos de ser apenas sol e praia”… 

 

Numa recente entrevista de Luísa Oliveira, publicada na Visão, Pedro Machado fala dos incêndios na região centro, das parcerias que estão a ser empreendidas, da importante reflorestação do Pinhal de Leiria e deixa, sobretudo, um importante aviso à navegação: "Deixámos de ser apenas sol e praia".

 

Com isto, o Presidente do Turismo Centro de Portugal, a maior região de turismo de Portugal, que engloba 100 municípios, de Ovar a Sobral de Monte Agraço, procura deixar claro que as coisas evoluíram ao longo dos últimos anos e que já não é só pelo sol, pelo calor e pelas praias que somos visitados. 

 

O Surf, por exemplo, é cada vez uma parte mais importante da estratégia. "Hoje, Portugal tem uma aposta estruturada na gastronomia, no património, na História, no surf. E o Centro é, por definição, uma região multiproduto, que passa por Peniche ou Nazaré”, pode ler-se na peça. 

 

O Surf, na verdade, como é referido, é presentemente um dos pilares do turismo e uma das grandes fontes de divulgação no exterior. "Existem outras tendências, como o turismo associado aos desportos de deslize [como o esqui e o surf] e ao mar. Peniche ou Nazaré, com o surf, são atualmente um dos nossos focos principais da comunicação internacional”, explica Pedro Machado. 

 

- Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal. Foto: DR

 

Os resultados têm vindo a comprovar, cada vez mais, que o impacto económico é deveras relevante. Há tempos, em outubro de 2017, um estudo revelou que as ondas gigantes da Praia do Norte resultaram em 10,4 milhões de euros gastos na Nazaré

 

Um outro estudo, datado de 2016, sobre impacto socioeconómico resultante da realização do WCT 2015 em Supertubos, revelou que a prova portuguesa gerou lucros na economia superiores a 10 milhões de euros, tendo mais de 100 mil pessoas visitado Peniche e assistido à prova ao longo de dez dias. 

 

Em janeiro de 2017, também ficámos a saber que o Nazaré Challenge, etapa do Big Wave Tour da World Surf League que se realizou pela primeira vez na Praia do Norte, gerou um retorno de 7 milhões de euros ao nível da comunicação e promoção da região e do país.

 

O Surf está cada vez mais presente e tem cada vez mais peso na oferta turística portuguesa. Voltando ao início da peça, no caso específico do Turismo Centro de Portugal, o crescimento foi de 30% no mercado externo, suportado em larga escala por turistas vindos do Brasil, EUA e França.

 

É caso para se dizer: Surf, cada vez mais, em "altas"!

 

- O italiano Leo Fioravanti a voar nas praias a norte de Peniche. Foto: Pikas Photography

Perfil em destaque

Scroll To Top