segunda-feira, 28 junho 2021 08:58

Daniella Rosas e Edgard Groggia vencem o Corona Salinas Open

E garantem lugar na Challenger Series...

 

Daniella Rosas (PER) e Edgard Groggia (BRA) venceram o Corona Salinas Open presented by Hyundai New Tucson 2022 depois de apresentarem atraentes performances na praia de La FAE, na Península de Santa Elena em Salinas, Equador.

 

 

Final Masculina entre Edgard Groggia e João Chianca foi um show de aéreos

Na Final Masculina, Edgard Groggia superou o atual Campeão Regional da WSL para a América Latina, João Chianca (BRA).

A Final foi um verdadeiro show de aéreos, com os dois brasileiros a apresentar um desempenho de nível de elite nas fortes direitas na praia de la FAE. Depois de se ter sagrado vice-campeão no Corona Montañita Open na Final contra Lucca Mesinas (PER), Groggia queria garantir a sua qualificação para a Challenger Series e começou o heat com um grande aéreo que não conseguiu completar. Por outro lado, Chianca optou por iniciar a Final com dois ataques fortes de frontside que lhe valeram uma pontuação de 8,50 (em 10 pontos possíveis).

 

Destemido, Edgard Groggia aterrou um aéreo reverse que lhe rendeu um 7,00 seguido de outro aéreo numa onda sucessiva pontuado com 7,30 pontos, fechando a lacuna da pontuação de 14,50 (em 20 pontos possíveis) e 14,30 a favor de João Chianca. Precisando de 7,21 pontos nos 10 minutos finais, Groggia sabia que precisava de fazer algo grande. Depois de arrancar numa direita de tamanho decente, Groggia acelerou ao longo da linha e lançou um alley-oop massivo que aterrou com reflexos de gato. À medida que a antecipação crescia enquanto os juízes deliberavam a pontuação, a praia inteira explodiu enquanto o locutor retransmitia a pontuação quase perfeita de 9,50, dando ao surfista uma vantagem que ele não abandonaria. Chianca não conseguiu recuperar a liderança e Groggia comemorou a sua primeira vitória na World Surf League (WSL) com um total combinado de 16,80 contra os 14,50 de João Chianca.

 

 

 

Edgard Groggia Foto: WSL/Kevin Moncayo

 

 

 

A declaração de Edgard Groggia

"Estou muito feliz. Quero agradecer a todos aqui na praia, ainda estou sem palavras para descrever o que estou a sentir. O heat com o João Chumbinho (Chianca) foi super difícil. Ele é incrivelmente talentoso, então eu sabia que teria que surfar o meu melhor e, felizmente, a onda certa veio e eu tive a sorte de aterrar aquele grande aéreo. No último evento em Montañita, perdi a final para o Lucca Messinas, mas senti que me saí bem. Aqui eu estava mais focado na minha qualificação para a Challenger Series, então nesta final, quando percebi que tinha a possibilidade de vencer o evento, dei o meu melhor em todas as ondas e felizmente tudo saiu perfeitamente. “

 

 

 

Os atletas masculinos da América Latina que disputarão a Challenger Series pelo ranking regional

Com esta vitória Edgard Groggia subiu duas posições no ranking regional da WSL América Latina, saltando do 11º para o 9º lugar. O atual Campeão Regional da WSL para a América Latina, João Chianca, permaneceu na 6ª posição. Os restantes atletas regionais que se classificaram para a Challenger Series são Alonso Correa (PER), Marco Giorgi (URY) e seis brasileiros, Wiggolly Dantas, Ian Gouveia, Thiago Camarão, Weslley Dantas, Samuel Pupo e Rafael Teixeira. Os eventos da Challenger Series acontecerão no segundo semestre de 2021 e determinarão os doze surfistas que irão competir como parte da elite mundial de surf no Championship Tour em 2022.

 

 

 

Daniella Rosas venceu Summer Macedo na Final Feminina

Na Final Feminina, as condições melhoraram muito desde o início do dia, com ambas as finalistas a atacar as direitas na praia de la FAE. Daniella Rosas (PER) começou com uma onda que lhe valeu 5 pontos, mas Summer Macedo (BRA) rapidamente conquistou 6,00 pontos (em 10 possíveis). A liderança continuou a ir e vir numa luta entre as duas surfistas até que a peruana acumulou um 7,00 e um 5,75 em duas ondas consecutivas.

Daniella Rosas aproveitou a situação de prioridade e optou por uma direita sólida, que lhe rendeu um 8,00 dos juízes, deixando Summer Macedo a precisar de um 9,00 a cinco minutos do final. Conforme o tempo passava, a oportunidade nunca apareceu e Daniella Rosas comemorou a sua segunda vitória na Qualifying Series com um total combinado de 15,00 (em 20 pontos possíveis) contra os 10,65 de Summer Macedo. A sua primeira vitória foi na Argentina em 2019, ano em que ela também conquistou o título regional da WSL para a América Latina.

 

 

 

Daniella Rosas Foto: WSL/Kevin Moncayo

 

 

 

Brasilian Storm reforçada

Summer Macedo (BRA), nascida no Havaí, mas filha de pai brasileiro, teve um impacto imediato no circuito da WSL da América Latina ao anunciar a sua decisão de representar o Brasil nos eventos da World Surf League. Depois de ser derrotada por Silvana Lima (BRA) na Final do Corona Montañita Open, Summer Macedo procurou melhorar o seu resultado com uma vitória em Salinas. Os dois eventos no Equador foram os primeiros que a surfista escolheu para representar o país natal do seu pai. Seguindo em frente, Summer Macedo vai agora lutar como atleta brasileira e já começou bem, com duas participações em Finais consecutivas com a bandeira verde e amarela no ombro.

 

 

 

Summer Macedo Foto: WSL/Kevin Moncayo

 

 

 

As atletas femininas da América Latina que disputarão a Challenger Series pelo ranking regional

Daniella Rosas é a atual campeã regional da WSL para a América Latina e lidera o ranking regional atual que determina as cinco surfistas que se qualificam para os eventos da Challenger Series (CS) agendados para o segundo semestre de 2021. Antes de conquistar a sua segunda vitória no QS, Daniella Rosas confirmou a última vaga das eliminatórias da CS para a surfista local Dominic Barona (ECU), com a vitória sobre Julia Duarte (BRA) nas semifinais.

Este foi o segundo presente especial que Daniella Rosas deu à sua amiga Dominc Barona. Rosas também garantiu a vaga da equatoriana nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A peruana já se tinha classificado por ter vencido os Jogos Pan-americanos de Lima em 2019, derrotando Dominic Barona na final. No entanto, há três semanas, Rosas obteve a dupla qualificação nos ISA World Surfing Games em El Salvador, deixando a vaga dos Jogos Pan-americanos para Barona.

As duas estarão juntas no Japão e nos eventos da Challenger Series também no final do ano. As restantes atletas femininas da WSL da América Latina que disputarão a Challenger Series pelo ranking regional são: Silvana Lima (BRA), que também estará nas Olimpíadas, Sol Aguirre (PER) e Josefina Ané (ARG). O primeiro evento da Challenger Series será o US Open of Surfing, programado para 2 a 8 de agosto em Huntington Beach, Califórnia.

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top