banner topf

Itens relacionados

quarta, 12 junho 2019 07:54

ISA E WSL ASSINAM ACORDO HISTÓRICO ANTI-DOPING

A International Surfing Association (ISA) e a World Surf League (WSL) anunciaram ontem um acordo histórico...

que fará com que ambas as partes adotem um programa antidoping abrangente, garantindo que os atletas sejam elegíveis para a estreia olímpica do desporto em 2020.

O programa será realizado de acordo com o Código da Agência Mundial Antidoping (WADA) e com as Regras Anti-doping da ISA e será realizado durante todo o Championship Tour (CT) em 2019 e 2020.

 

Este é um acordo inédito e um poderoso exemplo de boa colaboração entre uma Federação Internacional e a liga profissional associada nos interesses olímpicos a longo prazo do desporto e o compromisso com a competição limpa.

 

"Este acordo histórico com a WSL e os seus surfistas profissionais sobre este assunto crítico é uma notícia muito importante para o nosso desporto e um passo fenomenal enquanto continuamos a preparar-nos para Tóquio 2020. O surf é um desporto de integridade e estamos comprometidos em preservar e promover o desporto limpo.” – disse o Presidente da ISA, Fernando Aguerre.

 

Com o CT de 2019 a servir como um evento de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a WSL concordou com um programa antidoping reestruturado, garantindo que todos os surfistas do CT estejam em conformidade com a Carta Olímpica e o Código WADA antes da histórica estreia olímpica do Surf.

 

Os atletas do CT estão agora sujeitos a testes dentro e fora da competição e requisitos de localização Foto: WSL/Cestari

 

 

Como um corpo profissional e independente, a WSL não é um signatário formal do código da WADA - uma exigência para atletas ou eventos que buscam elegibilidade olímpica. Como tal, e para garantir a conformidade com as qualificações olímpicas, a WSL concordou em implementar um programa antidoping personalizado sob as Regras Anti-doping do ISA. Todos os surfistas do CT concordaram voluntariamente com o programa antes do início do CT de 2019, e agora estarão sujeitos a testes dentro e fora da competição e requisitos de localização, conduzidos e gerenciados pela WSL e pela International Testing Authority (ITA) de acordo com o Código WADA. O ITA foi formado no ano passado pelas partes interessadas do Movimento Olímpico para garantir maior transparência e credibilidade nos esforços globais antidoping.

 

Ao concordar com as Regras Anti-doping do ISA, os surfistas da WSL reforçam o seu compromisso com a estreia olímpica do desporto. O compromisso da WSL reforça o importante impato que a inclusão olímpica está a ter no profissionalismo do desporto, nas aspirações dos atletas e no futuro a longo prazo do Surf em todo o mundo.

 

"Este acordo não reflete apenas o compromisso contínuo da WSL com um desporto limpo, mas também como um bom parceiro para a ISA e o Movimento Olímpico. Estou orgulhosa de que os nossos surfistas entenderam a importância deste assunto e de bom grado se comprometeram com essa obrigação. Agradecemos essa colaboração contínua com a ISA no processo de qualificação olímpica, a inclusão olímpica mudou o nosso desporto para melhor e mal posso esperar para ver os atletas de elite do Surf a competir no maior palco - será um espetáculo incrível.” – disse a CEO da WSL, Sophie Goldschmidt.

Perfil em destaque

Scroll To Top