O Português Alex Botelho está entre os 7 melhores do Mundo no ranking da WSL O Português Alex Botelho está entre os 7 melhores do Mundo no ranking da WSL WSL

Itens relacionados

segunda, 01 abril 2019 17:27

Big Wave Tour - Alex Botelho garantido no Circuito Mundial de Ondas Grandes

Surfista algarvio terminou a temporada 2018/19 no 7.º posto do ranking mundial

Alex Botelho alcançou o 7.º posto final no circuito mundial de Ondas Grandes da World Surf League, depois de o período de espera da temporada 2018/19 ter terminado este domingo. O big rider algarvio, de 28 anos de idade, garantiu, assim, a continuidade entre os melhores do mundo das ondas grandes para a temporada 2019/20.

Depois de ter sido 8.º classificado na última época, Alex consegue agora melhorar uma posição, mantendo-se no Circuito Mundial de Ondas Grandes pelo terceiro ano consecutivo. Um resultado conseguido após ter sido 4.º colocado no Nazaré Challenge e 17.º no Jaws Challenge, no Havai – a terceira prova, que seria em Mavericks, na Califórnia, não se realizou.  

“Representar Portugal é uma força motivadora”, começou por afirmar Alex Botelho. “Tenho alegria e quero continuar a transmitir a positividade que Portugal tem, não só ao nível de atletas, mas das pessoas e da cultura. Esta conquista é apenas a primeira parte de um objetivo maior”, frisou o surfista de ondas grandes.

O surfista português terminou a temporada com 6.828 pontos, ficando bem dentro do top 10 que se apurou automaticamente para a próxima época. Com 16.305 ficou o sul-africano Grant “Twiggy” Baker, que se sagrou campeão mundial da especialidade pela terceira vez na carreira, depois de já o ter feito em 2013 e 2016.

João de Macedo foi o segundo melhor português do ranking, terminando o ano no 11.º posto, com 5.528 pontos, a menos de 200 pontos de integrar o top 10 mundial – ainda assim, deve garantir uma vaga de suplente no circuito do próximo ano. Quanto aos restantes portugueses João Guedes terminou no 25.º posto do ranking e Nic von Rupp e António Silva no 29.º lugar.

Botelho foi o segundo surfista português a chegar à elite mundial depois de o pioneiro João de Macedo o ter feito em duas ocasiões distintas. Na primeira delas, em 2011, conseguiu mesmo a melhor prestação de sempre de um português no circuito mundial de Ondas Grandes – na altura ainda fora da esfera da WSL -, com um 4.º posto.


Perfil em destaque

Scroll To Top