banner topf
Vasco Ribeiro, ontem, em Sunset Beach. Vasco Ribeiro, ontem, em Sunset Beach. Foto: Clifton Youmans

Itens relacionados

sexta, 07 dezembro 2018 08:49

WQS chega ao fim com 9.º lugar de Vasco Ribeiro em Sunset Beach

Português ficou a dois heats de assegurar a qualificação para o WCT 2019…

 

Foi por muito pouco que o surf português não viveu esta madrugada mais uma página dourada da sua história, depois de Vasco Ribeiro ter ficado à porta de se qualificar para o World Tour 2019. O surfista de Cascais terminou no 9.º lugar do QS10,000 de Sunset Beach, no Havai, ficando a apenas dois heats de alcançar o tão aguardado sonho.

 

Vasco até começou o dia final da prova havaiana em grande estilo, conseguindo um triunfo que lhe permitiu avançar mais uma ronda na mítica arena de Sunset, que contou com ondas bem grandes e desafiantes, na casa dos 5 metros. Contudo, a caminhada do português acabou por chegar ao final nos quartos-de-final, depois de nos últimos segundos da bateria não aguentar uma manobra arriscada que lhe permitiria, seguramente, virar o heat e seguir para as meias-finais. 

 

Vasco viu assim o sonho escapar num heat em que perdeu para o havaiano Zeke Lau, que acabou por vencer o campeonato, e ainda para o brasileiro Jesse Mendes, que com este resultado garantiu ele a requalificação para o World Tour. O campeão mundial júnior de 2014 ficou assim a pouco mais de 2 mil pontos de alcançar o “cut”, que foi fechado pelo australiano Jack Freestone. Com um 4.º lugar, ou seja, alcançando a final do campeonato, Vasco teria conseguido mesmo a qualificação.

 

 

Apesar de tudo, o 9.º lugar garantiu a Vasco Ribeiro o 23.º lugar do ranking do WQS. Uma posição que lhe vai permitir começar a próxima temporada como cabeça-de-série em praticamente todas as provas em que entre. Para Vasco, apesar do sabor agridoce, este foi o melhor ranking final de sempre no QS (o ano passado tinha ficado em 32.º lugar).

 

CLICA AQUI PARA A GALERIA DE FOTOS

 

Quanto aos restantes portugueses, apenas Frederico Morais conseguiu juntar-se a Vasco no top 100 do ranking de qualificação, terminando a temporada no 54.º posto. 

 

Mas Kikas ainda terá uma batalha pela frente em Pipeline, onde a partir de sábado começa a última etapa do WCT 2018. Atualmente no 21.º posto do ranking, Frederico terá de se segurar entre o top 22 para garantir a permanência na elite mundial para o próximo ano.

 

 

Destaque ainda para o 120.º posto final de Miguel Blanco, que lhe permite uma abordagem diferente ao WQS para 2019. Tomás Fernandes foi o outro português a terminar dentro do top 200 mundial, fechando a época no 152.º posto.

 

Seguem-se Pedro Coelho (234.º), Nic von Rupp (240.º), Luís Perloiro (241.º), Jácome Correia (278.º) e Pedro Henrique (288.º) a fechar a participação portuguesa no top 300 mundial.

 

Ao nível do circuito de qualificação feminino, Portugal também ficou às portas de uma qualificação que seria histórica, depois de Teresa Bonvalot ter terminado o ano no 17.º posto e a apenas 7 lugares de entrar no WWT 2019. No top 100 mundial feminino Portugal contou ainda com a presença de Camilla Kemp (66.ª) e Carol Henrique (75.ª).

 

 

Qualificados pelos 10 primeiros lugares do WQS temos então Seth Moniz, Ryan Callinan, Peterson Crisanto, Deivid Silva, Ricardo Christie, Leo Fioravanti, Jadson Andre, Jesse Mendes, Soli Bailey e Jack Freestone. Na prática, apenas 4 destes nomes são rookies (Moniz, Crisanto, Silva e Bailey), todos os outros já tinham competido "full time" no WCT. 

 

Kanoa Igarashi e Zeke Lau já estão assegurados via WCT e não precisam usar o ranking WQS, abrindo assim espaço para Soli Bailey e Jack Freestone. Se conseguir manter a posição 20 do WCT, Griffin Colapinto não precisará do ranking WQS (está em 2.º) e confirmará em definitivo a entrada de Freestone. Caso contrário, caso Colapinto termine fora do "cut" dos 22 do WCT (fruto do resultado que venha a obter no Pipe Masters), então terá que usar a qualificação via WQS e aí jack Freestone continuará a lutar pela qualificação no próximo ano. 

 

Fora do “cut”, sem alternativa, em 14.º lugar, está Ethan Ewing que deitou tudo a perder ao ser eliminado muito cedo em Sunset Beach. 

Perfil em destaque

Scroll To Top