Filipe Toledo procura manter liderança no ranking. Filipe Toledo procura manter liderança no ranking. Foto: WSL

Itens relacionados

quinta, 04 outubro 2018 07:46

Filipe Toledo avisa: “leva vantagem aquele que chegar na frente”

Líder do ranking procura manter posição no ranking em França...

 

Líder do ranking, com duas vitórias, um segundo um terceiro e três quintos lugares, o brasileiro Filipe Toledo evita fazer “contas” para o título mundial da World Surf League. Agora, no Quiksilver Pro France, a 9.ª etapa do Circuito Mundial, em Hossegor, ele veste a “yellow jersey” de primeiro classificado da tabela como incentivo para continuar na frente.

 

“Eu uso como motivação, para continuar firme no foco. Não existe contas, existe trabalho duro, determinação em busca dos resultados pré-determinados. Agora é surfar bem, consciente. Esse é o segredo até o final”, afirma Filipe, sabendo que tem como grande rival neste momento o também brasileiro Gabriel Medina. “Sempre foi assim. Nossos amigos de infância um dia acabarão sendo adversários dentro d’água, mas quando toca a buzina para acabar, a amizade continua”.

 

Filipe Toledo tem noção dos bons resultados alcançados pelo atual número 2 mundial, em anos anteriores, na Europa e no Havai, “mas cada ano a história é escrita dia a dia. Então, eu tenho me preparado para isso”. Filipe chega à etapa gaulesa bem preparado e acompanhado da família, como forma de obter mais tranquilidade. Além do seu pai e técnico, Ricardo Toledo, também a esposa Ananda e os filhos Mahina e Koa o acompanham.

 

“Gosto deles perto de mim. Isso aumenta ainda mais a minha confiança e determinação. Meu pai sempre foi importante. Ele me dá o suporte que preciso. Além de ter sido surfista profissional por longos anos, sempre me faz ver as coisas por um outro ângulo, que muitas vezes não conseguimos”, enaltece o líder do ranking mundial, tal como a preparação física que tem vindo a fazer, comandada por Eduardo Takeushi. “Com certeza o trabalho vem surtindo resultado. Mas não só isso, todo o conjunto precisa estar alinhado, corpo, mente e espírito”, ressalva.

 

Vale referir que em oito etapas disputadas este ano, Filipe Toledo venceu duas - Saquarema e J-Bay-; foi segundo na estreia do Surf Ranch, terceiro em Teahupoo e quinto classificado noutras três - Gold Coast, Keramas e Uluwatu, além de ter um 13.º lugar em Bells Beach. 

 

“Conversando com meu pai, chegamos à conclusão que para ser campeão mundial seria de nono para baixo e estou trabalhando duro para isso”, complementa o brasileiro.

 

No Quiksilver Pro France, Filipe estreia-se no Heat 6, com o australiano Connor O’Leary e o francês “wildcard” Jorgann Couzinet. O melhor resultado de Toledo em França foi na primeira temporada que passou entre a elite mundial, em 2013, com um terceiro lugar.

 

Já Gabriel Medina, que se encontra a pisar os calos a Toledo, venceu pela primeira vez em França em 2011 quando tinha apenas 17 anos. Gabi tem, aliás, uma das mais impressionantes estatísticas da WSL: num total de 7 anos de participação no CT de Hossegor, Medina alcançou por cinco vezes a final da prova, venceu três vezes e nunca terminou abaixo do quinto lugar. 

 

--

Texto por Fábio Maradei & Surftotal

Perfil em destaque

Scroll To Top