Desaparecimento de Pierre Agnès a fazer a atualidade da semana. Desaparecimento de Pierre Agnès a fazer a atualidade da semana. Foto: DR

Itens relacionados

sexta, 02 fevereiro 2018 11:03

O legado de Pierre Agnès, CEO da Quiksilver

O percurso do CEO da gigante Quiksilver... 

 

Pierre Agnès, CEO da Quiksilver, nasceu há 54 anos no sudoeste francês onde viveu até ao presente momento - tinha casa em Capbreton. O francês está desaparecido no mar desde terça-feira, altura em que saiu com o seu barco, sozinho, de manhã para pescar. Mais tarde, o barco deu à costa, na praia de Boiteux em Soorts-Hossegor, sem ninguém a bordo. 

  

De imediato foram iniciadas as buscas por parte das entidades oficiais, que terminaram ontem. Com o término das operações, as esperanças em encontrar o francês com vida esfumaram-se por completo. Pierre Agnès deixa três filhos (Marine, Manon e Mathieu), a mulher Marianne, família, amigos e todos os empregados do grupo Boardriders, cujo quartel-general está situado em Saint-Jean-de-Luz (França), e a comunidade do surf em geral verdadeiramente consternada e à espera de um milagre. 

  

A vida deste francês era guiada pela paixão pelo mar, tendo em tempos representado a Seleção Francesa de Surf e formado até a sua própria marca - a Omareef que criou aos 23 anos e veio a ser vendida à Quiksilver em 2002. 

 

- Em baixo, a sessão de surf no mesmo dia que marcou o desaparecimento de Pierre Agnès como que se transformou numa espécie de homenagem no sudoeste francês.

 

Fã de veículos motorizados, surfista e pescador orgulhoso, mas também um autêntico "homem do leme" da Quiksilver através dos tempos. Um visionário, em empreendedor ambicioso. Há 30 anos que tinha aceite o desafio de entrar na gigante da surfwear, tendo ocupado o cargo de Presidente da Quiksilver Europa entre 2005 a 2014. 

 

Inicialmente, em 1988, as suas funções eram de Team Manager, mas logo passou a cumprir operações de Marketing na Europa até se tornar Chefe Executivo, revelando-se assim uma das figuras que mais sabia de surf, que mais estava dentro do mercado do surf e dos seus negócios. 

 

Reconhecendo a sua liderança e sucesso através dos anos, em 2015 aceitou aquele que seria o seu último desafio: tornar-se CEO do grupo, a figura máxima daquela que é, eventualmente, a maior empresa de surf do Mundo. Fez uma gestão inteligente e atravessou a tormenta dos mercados financeiros liderando a companhia até águas mais calmas. 

 

Recentemente, no início de janeiro, a empresa-mãe norte-americana das marcas Quiksilver e Roxy adquiriu a rival australiana Billabong, passando a deter os dois importantes nomes do surfwear.

 

As duas empresas totalizam atualmente 630 lojas em 28 países, 7000 clientes em 110 países e sites online em 35 países. A Boardriders está sob o controlo do fundo de investimento Oaktree.

 

Para a história, fica a memória de um homem de gostos simples, surfista de corpo e alma, leal à família e amigos. 

 

Perfil em destaque

  • Rodrigo Chaves Rodrigo Chaves

    Conhece um dos jovens surfistas da região da Grande Lisboa… 

Scroll To Top