Previsão não é favorável para os primeiros dias da janela. Previsão não é favorável para os primeiros dias da janela. Foto: WSL

Itens relacionados

quinta, 09 agosto 2018 10:30

Apostas seguras para o CT de Teahupoo

Quatro nomes que poderão fazer ruído na Polinésia… 

 

Todas as fotos por World Surf League

 

A ronda inaugural do Tahiti Pro Teahupoo, a sétima etapa do Championship Tour da WSL, já é conhecida e encontra-se disponível aqui. Entre a lista de competidores, agora que se sabe que John John Florence e Kelly Slater não irão competir, há quatro atletas que se destacam e poderão ter uma palavra a dizer no desfecho da competição e também na tua Surftotal Fantasy by Carver Skateboards

 

Antes, vejamos a previsão para Teahupoo

 

Swell de consistência média até hoje, com orientação de SSW-Sul, que poderá gerar ondas de até 1,5m e alguns sets perdidos com mais de 2 metros. A energia da ondulação diminui até ao final da semana, com ondas na casa dos 0,5m que se manterão por vários dias. Até quarta ou quinta-feira da próxima semana é este o cenário previsto, o que pode indicar uma etapa em ondas pequenas. No entanto, é sempre de realçar que esta previsão é de longo prazo e pode mudar a qualquer momento. 

 

JULIAN WILSON

Queensland, 29 anos, camisola número 17

Não é detentor da yellow jersey, mas está em segundo lugar no ranking e tem fome de vencer. Desde que entrou no Tour, em 2011, Julian Wilson tem sido um dos mais talentosos surfistas de observar. O seu arsenal de manobras aéreas e rasgadas fortíssimas têm vindo a conferir-lhe reconhecimento entre os quatro cantos do globo. Venceu Gabriel Medina, outro dos favoritos neste etapa, em duas finais importantes: no Pipe Masters em 2014 e em Teahupoo o ano passado. 

 

 

GABRIEL MEDINA

São Paulo, 24 anos, camisola número 10

O que dizer de Gabriel Medina? Este miúdo, campeão mundial em 2014, tem talento e os níveis de confiança em crescendo. Ainda não venceu uma etapa em 2018, mas está em terceiro lugar no ranking e começa a acreditar que é possível voltar ao topo do pódio. Medina venceu esta prova em 2014 e foi segundo em 2015 e 2017 e ainda terceiro em 2016. Wowww! É por isso seguro dizer que o brasileiro brilha nos tubos de Teahupoo e tem a capacidade de transformar ondas de fraco ou quase nenhum potencial em grandes ondas. 

 

 

JEREMY FLORES

Ilha Reunião, 30 anos, camisola número 97

Muitas vezes de capacete na cabeça e mão no rail, o francês não teve problemas em sair em primeiro lugar em 2015, alcançando a sua primeira vitória de sempre neste evento, embora, refira-se, já o tivesse ameaçado por inúmeras vezes. O ano não é o melhor para o gaulês, mas encontra-se em 18.º no ranking e foi pai recentemente, o que poderá ser um bom tónico para competir sem pressão. No Taiti sente-se como se estivesse em casa. 

 

 

ADRIAN BUCHAN 

Nova Gales do Sul, 35 anos, camisola número 21

Ace Buchan é um dos veteranos do World Tour onde compete há mais de uma década. O goofyfooter de Avoca Beach possui um dos estilos mais agradáveis no mundo do surf e já venceu por uma vez em Teahupoo. Foi em 2013 e na altura superou Kelly Slater na final. Excetuando os anos de 2008 e 2010, Ace Buchan não tem terminado no Top 10, mas este ano ficou em segundo na Gold Coast e encontra-se em 14.º. Um bom resultado no Taiti podem atirá-lo uns bons lugares mais acima da tabela. 

 

 

--

Lista de campeões no Tahiti Pro aqui

 

Perfil em destaque

Scroll To Top