Patrick e Salvador Stilwell Patrick e Salvador Stilwell Crédito fotográfico: Fernando Sousa

Itens relacionados

sexta-feira, 27 julho 2018 12:56

Irmãos Stilwell lançam discussão sobre indústria no Surf Out Portugal

A indústria do surf vai estar em discussão na Fiartil, no Estoril, nos dias 15 e 16 de setembro, no Surf Out Portugal, numa iniciativa dos irmãos Patrick e Salvador Stilwell. A Surftotal esteve à conversa com estes dois jovens surfistas empreendedores acerca deste evento.

Como surgiu a missão da Surf Out Portugal, quem são os seus fundadores e qual a sua motivação?

Patrick:A Surf Out Portugal tem como propósito evidenciar a fase notável que o surf atravessa em Portugal e lançar o debate sobre a evolução futura do mesmo. Para tal, estamos a promover um evento agregador de todo o setor do surf, que junta todos os melhores produtos, serviços e propostas de valor das mais variadas marcas e entidades estabelecidas no surf em Portugal. Nos dias 15 e 16 de setembro, na FIARTIL, Estoril, pretendemos unir o setor, juntar os surfistas e simpatizantes da modalidade, fazer um showcase do melhor que esta indústria tem numa verdadeira celebração do surf.

Salvador:A Surf Out Portugal foi pensada por mim e pelo meu irmão Patrick, pois, acima de tudo, temos uma grande paixão pelo surf e queremos ver o nosso desporto crescer de forma sustentada. Começámos novos e o surf sempre moldou as nossas vidas. O desejo de desenvolver um projeto profissional ligado ao surf já é antigo, bem como a vontade de poder dar o nosso contributo a este setor.

Acham que a indústria do surf em Portugal está a precisar de uma nova visão?

Salvador:Em termos profissionais, ambos temos um passado e experiência acumulada em outros setores de atividade. No entanto, e voltando a referir a importância que o surf tem nas nossas vidas, sempre estivemos muito atentos ao mercado. Acabámos por acompanhar de perto a evolução deste desporto nas últimas duas décadas, e acreditamos que tem sido feito um excelente trabalho em Portugal. Não obstante, há sempre espaço para evoluir e acreditamos que mais diálogo, mais debate, mais ferramentas e mais abertura são elementos fundamentais para o feito. Gostaríamos de ver, na indústria do surf, a atratividade laboral que gozam outros setores como, por exemplo, o tecnológico.

Que defeitos e virtudes encontram na indústria do surf em Portugal? E são os mesmos da indústria de surf a nível global?

Patrick:Do ponto de vista global, no que diz respeito à indústria, o surf teve nas últimas duas décadas uma ascensão brutal, mas também uma queda muita abruta no seu valor. Este fenómeno levou a que as empresas do meio tivessem de reestruturar e repensar as suas atuações. Algumas foram bem-sucedidas, outras nem tanto. Portugal não foi exceção. Contudo, a nosso favor, e consequência de muito bom trabalho de várias entidades, marcas e pessoas, o surf em Portugal goza de boom mediático muito significativo. Este contexto leva a que mais pessoas e empresas se interessem por este desporto e modo de vida. Sendo este um setor atrativo, é natural que surjam algumas dores de crescimento. A nossa opinião é que mais concertação, colaboração e mais sinergias podem ser favoráveis a um crescimento do setor como um todo. Mas não temos dúvida que Portugal está no bom caminho.

Que bons exemplos podem citar de inovação na indústria do surf?

Patrick:Boas práticas de sustentabilidade ambiental estão na ordem do dia e são inevitáveis de referir. Marcas, produtos e serviços que pensem na sustentabilidade ambiental como um ativo de negócio, estão, certamente, a inovar. Hoje em dia temos bons exemplos de marcas, nacionais e internacionais, que encontram novas soluções, com novas matérias primas, para entregar produtos tão bons ou melhores do que aqueles que estávamos habituados a usar e que eram nocivos para o planeta. Hoje em dia temos foam, quilhas, leashes, decks, wetsuits, e outros produtos feitos a partir de materiais sustentáveis ou reciclados que têm um impacto mais positivo nos nossos oceanos, ondas e praias. Torna-se urgente incentivar a inovação neste sentido, bem como a “educação” dos consumidores.

Estão a planear mais iniciativas do género? Onde, quando e como?

Salvador:O nosso principal objetivo passa por garantir que a Surf Out Portugal seja um sucesso. Tanto para os expositores como para os visitantes. Queremos que este evento seja um ponto de encontro para todos os surfistas, um local de convívio, de troca de experiências. Um local para ver e tocar as melhores pranchas, os melhores fatos, as melhores ideias em torno do surf. Um local para assistir e participar numa série de debates, workshops, atividades que façam deste evento uma experiência imersiva do surf, fora de água. Em linha com o nosso propósito, estamos também a organizar um workshop de inovação - a “Innovation Session”.

O que podemos esperar deste workshop “Innovation Session”?

Salvador:A “Innovation Session” terá lugar dois dias antes da Surf Out Portugal, a 13 de setembro, no hotel The Oitavos, em Cascais. Este workshop é dirigido aos líderes das marcas do meio e marcas associadas ao surf que visam evoluir o seu negócio e acrescentar valor ao setor. O evento será composto por um workshop de inovação apresentado pela Huse Innovation, seguido de um cocktail para network e convívio. Este tipo de workshops são ferramentas muito valiosas para outros setores de atividade e prática bastante comum em grandes empresas que olham para estas iniciativas como apostas essenciais a nível estratégico e de enriquecimento dos seus recursos humanos. Com a “Innovation Session” pretendemos precisamente oferecer ao setor do surf, uma experiência altamente profissional, que possa ser aproveitada da melhor forma.

O que vai mudar na indústria do surf com a Surf Out Portugal?

Patrick:Através de um evento agregador e inclusivo, a Surf Out Portugal procurará envolver a indústria do surf em Portugal e providenciar as ferramentas necessárias para que a mesma se desenvolva de uma forma mais consertada, sustentada e profissional. Já tendo o país conquistado a atenção turística e mediática como destino de eleição de surf, falta agora converter este fluxo positivo em maior valor e retorno para a indústria. A Surf Out Portugal pretende ser uma plataforma de diálogo, de uma maior aproximação das marcas ao seu público, de uma maior união entre todos. Esperamos contar com todos nesta grande festa do surf nos dias 15 e 16 de setembro, na FIARTIL, que fica mesmo em frente ao Centro de Congressos do Estoril.

Nota de agradecimento aos parceiros do evento: A Surf Out Portugal tem o apoio do Turismo de Cascais, da C. Santos VP concessionário oficial Mercedes-Benz, do The Oitavos Hotel e da Partners. Conta ainda com o apoio institucional da Federação Portuguesa de Surf e da Associação Nacional de Surfistas. Surfotal, MEO Beachcam, Fuel TV, e ONFIRE Surf também se juntam ao projeto, como media partners.

 

Perfil em destaque

Scroll To Top