Michel Bourez é um dos surfistas que se encontra nos 1/4 de final. Michel Bourez é um dos surfistas que se encontra nos 1/4 de final. Foto: WSL/Cestari

Itens relacionados

quarta, 14 março 2018 09:42

Rookies voltam a dominar a ação em Snapper Rocks; prova pode passar para Kirra

Dia de competição deixa quartos de final alinhados… 

 

O quarto dia do Quiksilver Pro Gold Coast foi carregado de ação e viu as rondas 3 e 4 (eliminatórias) serem realizadas em Snapper Rocks, deixando a competição nos quartos de final. Em ondas de 1,5 a 2 metros, mais mexidas e exigentes que o dia anterior, com mais corrente, mais imprevistas e com mais vento, foram, uma vez mais, os “rookies” que deram que falar. 

  

Como já tínhamos mencionado, vale sublinhar que o fim das repescagens intermédias foi uma das novidades anunciadas pela WSL para este ano. Ou seja… na prática o Round 2, que também é de repescagem, irá manter-se em ambas as divisões, mas o Round 5 desaparece na grelha masculina e o Round 4 na feminina. No Heat anterior a essas fases, que é composto de três elementos, passam agora os dois primeiros classificados (aos 1/4 de final) e apenas o 3.º lugar é eliminado da competição (em 9.º lugar).    

 

Round 3

Destaque para a vitória de Mick Fanning sobre Conner Coffin no Heat 2. O australiano parecia motivado em chegar longe e pensou-se mesmo num grande resultado, mas, como vamos poder ler mais à frente, não foi bem assim. 

No Heat 4, num confronto de titãs, Filipe Toledo venceu Italo Ferreira, mas por uma diferença curta (14.60 vs. 13.70). No entanto, uma vitoria importante e galvanizante. 

Mikey Wright, o “wildcard” do evento, voltou a surpreender no Heat 6 ao afastar Gabriel Medina. Depois de JJF, foi a vez do campeão mundial de 2014 tombar frente ao australiano. 

No Heat 8, Frederico Morais começou melhor, mas depois o japonês Kanoa Igarashi tomou contou da bateria, tendo vencido com duas notas na casa dos sete pontos (7.33 + 7.93), enquanto Morais apenas registou dois pares de cinco (5.43 + 5.67). O português volta a despedir-se em 13.º lugar na primeira prova do ano. 

Os rookies voltaram a conquistar o seu espaço, com Tomas Hermes a superar Kolohe Andino (Heat 3), Griffin Colapinto a fazer as malas ao Rei de Snapper, Joel Parkinson (Heat 9) e Michael Rodrigues a cilindrar nada mais nada menos do que Jordy Smith. É cedo de mais para se falar, mas isto parece mesmo o render da guarda… 

 

Heat 1: Owen Wright (AUS) 14.50 def. Willian Cardoso (BRA) 9.04

Heat 2: Mick Fanning (AUS) 11.67 def. Conner Coffin (USA) 7.37

Heat 3: Tomas Hermes (BRA) 12.40 def. Kolohe Andino (USA) 9.60. 

Heat 4: Filipe Toledo (BRA) 14.60 def. Italo Ferreira (BRA) 13.70

Heat 5: Adrian Buchan (AUS) 13.36 def. Jeremy Flores (FRA) 13.10 

Heat 6: Mikey Wright (AUS) 16.07 def. Gabriel Medina (BRA) 14.90

Heat 7: Julian Wilson (AUS) 7.30 def. Michael February (ZAF) 7.10

Heat 8: Kanoa Igarashi (JPN) 15.26 def. Frederico Morais (PRT) 11.10

Heat 9: Griffin Colapinto (USA) 13.50 def. Joel Parkinson (AUS) 12.94 

Heat 10: Adriano de Souza (BRA) 15.07 def. Wade Carmichael (AUS) 13.60 

Heat 11: Michel Bourez (PYF) 12.50 def. Connor O’Leary (AUS) 6.43 

Heat 12: Michael Rodrigues (BRA) 15.00 def. Jordy Smith (ZAF) 14.40

 

 

Round 4

Nesta fase, que é agora de eliminação direta (apenas perde o 3.º lugar do heat), destaque uma vez mais para Owen Wright - vencedor da prova em 2017 - que alcançou o maior score do dia, 17.00 pontos (8.00 + 9.00), e se vê numa ótima posição para alcançar novamente um grande resultado. No mesmo heat, Mick Fanning fazia a despedida do evento ao terminar em terceiro. Na despedida de Snapper o tricampeão mundial ofereceu a prancha a um jovem fã que o aguardava à beira de água (vídeo em rodapé).  

Na bateria seguinte foi a vez de Mikey Wright sucumbir frente a Ace Buchan e Filipe Toledo. Michael Rodrigues e Griffin Colapainto também agarantiram o apuramento e juntaram-se a Tomas Hermes nos 1/4 de final. 

 

Heat 1: Owen Wright (AUS) 17.00, Tomas Hermes (BRA) 11.20, Mick Fanning (AUS) 10.43

Heat 2: Filipe Toledo (BRA) 15.70, Adrian Buchan (AUS) 14.60, Mikey Wright (AUS) 11.20

Heat 3: Julian Wilson (AUS) 15.97, Griffin Colapinto (USA) 13.83, Kanoa Igarashi (JPN) 11.67

Heat 4: Michel Bourez (PYF) 13.97, Michael Rodrigues (BRA) 13.83, Adriano de Souza (BRA) 13.53

 

 

No alinhamento do 1/4 de final constam três australianos, um taitiano, um americano e três brasileiros. Austrália e Brasil são definitivamente as maiores potências do surf mundial, mas vale realçar que duas das presenças brasileiras são “rookies” (estreantes) o que nos levar a crer que o Brasil é também melhor na formação e na preparação do futuro do desporto. 

 

QF 1: Owen Wright (AUS) vs. Adrian Buchan (AUS)

QF 2: Filipe Toledo (BRA) vs. Tomas Hermes (BRA)

QF 3: Julian Wilson (AUS) vs. Michael Rodrigues (BRA)

QF 4: Michel Bourez (PYF) vs. Griffin Colapinto (USA)

 

Para as senhoras o dia foi de folga, uma vez mais, mas quando voltarem à água são as meias-finais que terão lugar: 

 

Heat 1: Lakey Peterson (USA) vs. Malia Manuel (HAW)

Heat 2: Sally Fitzgibbons (AUS) vs. Keely Andrew (AUS)

 

Com as condições a ficarem piores em Snapper Rocks, à medida que o swell sobe devido ao ciclone tropical, poderá haver a possibilidade da prova mudar para Kirra Point, algo que já não acontecia desde 2013 - e na altura foi um autêntico espetáculo. 

 

Snapper pode mesmo ficar fora de controlo. Contudo, só saberemos mais logo, por volta das 21 horas, quando será dado o novo “call”. Parece-nos que esta vai ser uma noite de muito trabalho (na Austrália). 

 

Acompanha a ação em direto, a partir das 21 horas, neste LINK

 

Perfil em destaque

Scroll To Top