A nossa paixão pelo mar é imensa. Click por Gonçalo Forjaz Trigueiros A nossa paixão pelo mar é imensa. Click por Gonçalo Forjaz Trigueiros

Itens relacionados

sábado, 21 março 2020 16:28

POR UMA QUESTÃO DE CIVISMO - FAZER SURF ?

Nesta altura em que Portugal está em estado de emergência...

 

A vida é mesmo assim, bela, imprevisível e cruel por vezes, mas num grande numero de ocasiões depende do nosso comportamento social para que tudo fique mais simples e seguro. E sem dúvida que é o caso que estamos a viver neste momento em Portugal e no Mundo.

Com a Pandemia provocada pelo COVID 19, devemos adoptar medidas e comportamentos adequados para que consigamos ultrapassar esta situação da forma o mais eficaz e tão rápida quanto possível.

Muitas dúvidas surgem sobre como proceder em relação ao surf durante estes próximos tempos. O decreto promulgado pelo Presidente da República a passada sexta feira refere que:

 

"A generalidade da população tem o “dever geral de recolhimento domiciliário” durante o estado de emergência, mas pode sair à rua em várias situações e os carros particulares só podem circular para as deslocações previstas no decreto divulgado esta sexta-feira.


O decreto do Governo que concretiza as medidas do estado de emergência devido à pandemia de Covid-19 estabelece “o dever geral de recolhimento domiciliário”, significando que a generalidade da população deve evitar sair de casa além do necessário e o estipulado. Nesse sentido, a generalidade da população pode sair de casa para aquisição de bens e serviços, para trabalhar, procura de emprego ou resposta a uma oferta de trabalho, por motivos de saúde, para dar assistência a pessoas vulneráveis ou idosas e para acompanhar menores.

Segundo o decreto, é possível também sair de casa para atividade física, mas não em grupo, deslocações de curta duração para momentos ao ar livre, participação em ações de voluntariado social, saídas para cumprimento de partilha de responsabilidades parentais, participação em atos processuais junto das entidades judiciárias e entrega de bens essenciais a pessoas incapacitadas ou privadas de liberdade de circulação."

 

Ou seja, algumas alíneas acima poderão levar à interpretação de que uma ida à praia para o surf desde que não se esteja acompanhado e caso seja por pouco tempo seja possível. Por outro lado também todas as capitanias em Portugal fizeram um edital para proibir as atividades de grupo, desportivas, lazer, culturais, sociais e lúdicas nas praias. Aqui e mais uma vez podemos perceber que não é possível fazer as actividades acima descritas em grupo. Mais uma vez surge-nos a dúvida sobre a prática do surf individualmente, mas tal como a nós surfistas também as restantes pessoas que usufruem da Praia em outras actividades de Desporto e lazer ficam com essa mesma dúvida.

Posto isto colocam-se aqui algumas questões pertinentes:

será que a ida ao surf, neste momento delicado, vai de alguma forma influenciar as pessoas que nos rodeiam?

Será que vai contribuir para difundir mais o vírus COVID 19 e pandemia?

Será que devemos dar esse exemplo enquanto cidadãos?

Será que ao termos a atitude de surfar levará a que todas as restantes pessoas, que efectuam outras actividades de desporto e lazer vão querer seguir o mesmo caminho?

 

Este momento é um teste à nossa humanidade, amor, solidariedade, capacidade de manter a calma, a serenidade e também o respeito e consideração pelo próximo. Neste momento crítico para a nossa sociedade e economia valores mais altos se levantam !

 

Vamos manter a união e em conjunto ultrapassar este grande desafio que temos pela frente !

 

 

*Por Pedro Almendra Ribeiro

 

 

 


Perfil em destaque

Scroll To Top