Itens relacionados

quarta, 29 agosto 2018 07:56

Ericeira recebe a Taça de Portugal de Surfing no início de setembro

A Taça de Portugal de Surfing 2018 vai disputar-se entre os dias 5 e 9 de setembro na praia da Foz do Lizandro...

 

É já na próxima semana que a Ericeira vai servir de palco à “prova rainha” do calendário competitivo do surf nacional, a Taça de Portugal de Surfing 2018, que vai juntar mais de uma dezena de clubes e diversas modalidades (Surf, Bodyboard e Longboard) nas ondas da Foz do Lizandro, um beach break consistente e que permite a existência de palanque duplo, enquadrado por arribas imponentes e pelo verdejante vale da Senhora do Ó.  

 

Miguel Barata de Almeida, Presidente do Ericeira Surf Clube (ESC), afirma constituir “uma enorme honra para a Ericeira receber pela primeira vez a grande festa anual dos clubes”. Este dirigente, que tem expetativas elevadas para a prova – principalmente no que toca às condições de ondas –, deixa votos para que “a disputa seja leal e dentro das melhores práticas de fair-play”.

 

O Ericeira Surf Clube, que celebra 25 anos de existência, vai organizar as duas próximas edições dum evento realizado sob a égide da Federação Portuguesa de Surf (FPS) e que reunirá centenas de atletas e staff ao longo de cinco dias de competição numa das melhores linhas de costa, a nível nacional e internacional, para a prática dos desportos de ondas.

 

Para João Aranha, Presidente da FPS, estão criadas todas as condições para que esta seja mais uma aposta de sucesso numa competição com mais de 20 anos de história: “Vai ser uma semana muito intensa onde as equipas de cada clube vão competir pelos troféus individuais e de equipa” num palco excecional e com uma grande variedade de boas ondas.

 

O Clube Recreativo e Cultural da Quinta dos Lombos (CRCQL) venceu o título coletivo na anterior edição da Taça de Portugal de Surfing, realizada o ano passado, enquanto o Ericeira Surf Clube (ESC) é o actual Vice-Campeão por equipas.

 

Este ano o ESC assume pretender alcançar o topo do pódio em termos absolutos. “Em 2016 ficámos em 3.º e em 2017 em 2.º, a menos de 100 pontos do Campeão. Seria perfeito podermos celebrar numa das nossas praias este título que em muito reflete não só o talento dos atletas como também dos seus treinadores e o árduo trabalho que a Direção tem feito nos últimos anos”, declara Miguel Barata de Almeida.

 

Um dos atletas que mais contribuiu para o resultado do ESC em 2017 foi Henrique Pyrrait, que ambiciona revalidar o título individual de Surf Sénior e contribuir para o sucesso das suas cores. Para Neco, o fator casa poderá ser importante, “mas a nossa maior vantagem é termos uma ligação muito forte com o Clube.”

 

Para acompanhar, na Foz do Lizandro, a partir de 5 de setembro. 

Perfil em destaque

Scroll To Top