Vasco a voar entre os pontões da Caparica. Vasco a voar entre os pontões da Caparica. Foto: Arquivo Pessoal

Itens relacionados

quinta, 20 setembro 2018 15:57

Vasco D’Orey

Mais um jovem surfista português a ser revelado… 

 

Novo valor do surf nacional chega-nos da margem sul, das praias da Costa de Caparica, e deixa-nos alguns conselhos bem interessantes. Vasco D'Orey é o novo Perfil da Semana by Surftotal a dar sinal. Fica a conhecê-lo um pouco melhor. 

 

Idade?

17 anos.

 

Praia local? 

Surfo principalmente na Praia do Marcelino, também frequento as outras praias da Costa de Caparica. Mas dependendo das condições do mar também surfo na Fonte da Telha, São João e Cova do Vapor.

 

Estudos?

Encontro-me no 11º ano de escolaridade.

 

Anos de surf? 

Prático surf há sensivelmente 4 anos.

 

Quiver?

Mattashapes 5’6, Roberts surfboards 5’8 e Polen Surfboards 5’9.

 

Porque escolheste praticar surf?

Sempre adorei a praia, o mar e o desporto. Sempre morei perto da praia e foi quase inevitável não experimentar! O surf deixa-me mais descontraído e de mente aberta! 

 

“O surf deixa-me mais descontraído e de mente aberta!”

  

 

Pico preferido?

No meio de tantas ondas é difícil escolher! Mas posso dizer que a Praia Grande (Sintra) é o meu pico favorito!

 

Última surfada memorável?

Foi em São João! Era uma esquerda incrível! Drop super cavado à frente de pontão do Inatel! Só expressos! Metro perfeito, sem vento… a onda era formada por picos triangulares que surgiam uns a seguir aos outros. Onda sempre com parede e com power!

 

Maior susto?

Foi no inverno do ano passado. Nós já sabíamos que ia entrar um swell grandinho. Eu e o meu tio Francisco acordámos por volta das 5:30 da manhã para aproveitar ao máximo sem crowd! Chegámos e não vimos ninguém dentro de água, mas achámos que era normal por causa das horas. Entrámos em frente à piscina, estava a remar para fora e o leash estava sempre a enrolar-se nos meus pés, mas eu nem liguei. Estava a chegar lá fora e entra um set gigante que rebenta mesmo à minha frente (2,5m). O leash estava enrolado na minha perna e a prancha a ser puxada para baixo com a força da onda! Eu tirei o leash, mas continuei preso… já não sabia onde era a superfície e estava a ficar sem ar. Não sei como, mas consegui desenrolar o leash e vim à superfície, mas desta vez sem prancha! A minha sorte ou azar foi a prancha ter aguentado a maior pressão na minha perna e ao emergir estava mais perto. Caso contrário, tinha de remar muito até alcançar a costa. Fiquei ileso por sorte, só com a perna um pouco marcada!

 

Última viagem de sonho?

Ida aos Açores, São Jorge, Fajã de Santo Cristo! Um point-break com ondas perfeitas, água quente… uma biodiversidade gigante! Adorei o estilo de vida das pessoas daquela aldeia! Não existe eletricidade, tudo funciona com geradores! E a água vem toda de uma cascata!

 

“Quando acabo um fim de semana de competição

sinto que aprendi alguma coisa”

 

 

Competição ou free surf?

Competição, sem dúvida! Adoro a adrenalina de um heat! E o facto de poder fazer isso com os meus amigos e treinador! Gosto de competir, porque quando acabo um fim de semana de competição sinto que aprendi sempre alguma coisa e que tive uma evolução no meu surf!!

 

A tua frase favorita? 

“Nós somos aquilo que pensamos” de Buda - Lei da Atração.

 

O melhor conselho que já recebeste?

Estou constantemente a receber, não há um que seja melhor. Todos são importantes!

 

Quem é a tua grande inspiração nacional e internacional?

A nível nacional, o grande Frederico Morais. A nível internacional, o John John Florence.

 

Se não fosses surfista o que serias?

Muito possivelmente skater, pois é algo que faço diariamente.

 

Mensagem a deixar?

Gostava de agradecer a todas as pessoas que sempre me têm apoiado desde o início da minha ainda pequena carreira. Gostava de pedir, por favor, a todas as pessoas para terem cuidado com o lixo nas praias. É horrível estar na água e ver lixo ao nosso lado. Já para não falar dos animais que morrem todos os dias por estes nossos descuidos. É um pequeno gesto, às vezes ao apanharmos o lixo que não é nosso estamos a zelar pelo interesse dos próximos!  

 

“Gostava de pedir a todos para terem cuidado com o lixo nas praias”

 

 

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top