Pedro Moreira Rato tem vindo a viajar pelos 4 cantos do Mundo Pedro Moreira Rato tem vindo a viajar pelos 4 cantos do Mundo Arquivo Pessoal
sexta-feira, 09 julho 2021 14:14

A opinião de Pedro Moreira Rato sobre os 10 anos de Reserva Mundial de Surf da Ericeira

 Pedro pertence ao núcleo SOS da Ericeira com assento no Concelho da Reserva Mundial de Surf ...

 

Pedro Moreira Rato, vulgo Rato da Ericeira, é praticante de surf e pertence ao núcleo SOS da Ericeira com assento no Concelho da Reserva Mundial de Surf. A Surftotal esteve à conversa com Pedro que de uma forma algo original e metafórica nos respondeu às questões.

 

 

 

O que são as Reservas Mundiais de Surf ?

As Reservas Mundiais de Surf são um projecto internacional que tem como principal objetivo a preservação das zonas de surf, incluindo os habitats que as rodeiam. Estas reservas são eleitas pela Save the Waves Coalition com base em critérios rigorosos como a qualidade e consistência das ondas na zona em questão, a sua riqueza e a sensibilidade natural, a importância das ondas para a cultura de surf local e respetiva história, e, por fim, o apoio da comunidade local na candidatura a Reserva Mundial de Surf. A partir desta consagração, os locais passam a dispor de uma ferramenta pública que devem usar para proteger as suas ondas, tornam-se guardiões da Reserva Mundial de Surf.

 

 

 

A Ericeira recebeu esta distinção em outubro de 2011:

A Reserva Mundial de Surf da Ericeira estende-se entre as praias da Empa e de São Lourenço, numa faixa costeira que concentra sete ondas de classe mundial num espaço de apenas quatro quilómetros: São Lourenço, Coxos, Crazy Left, Cave, Ribeira d’Ilhas, Reef, e Pedra Branca.

 

 

 

10 anos de Reserva Mundial de Surf da Ericeira

 

Em reconhecimento dos 10 anos da Reserva Mundial de Surf da Ericeira, a Surftotal entrevistou diversas personalidades do mundo do surf ligadas de alguma forma à Ericeira e à Reserva.

Esta é a segunda de uma série de entrevistas exclusivas que tem o objetivo de clarificar e auxiliar a melhorar a gestão da Reserva Mundial de Surf da Ericeira.

 

 

 

 




10 ANOS DA RESERVA MUNDIAL DE SURF DA ERICEIRA – CINCO PERGUNTAS



Surftotal: Qual a sua interpretação do conceito de reserva mundial de surf, e para quê deve servir?

Pedro Moreira Rato: Permitam-me a liberdade de raciocínio na invenção de uma metáfora nas respostas a este questionário para que a percepção real das verdadeiras intenções dos criadores da Reserva Mundial de Surf da Ericeira possa ser mais amplamente entendida.
Exposto, vejam a extensão de costa de 4kms em questão, como uma zona de culto, agora  Reserva Mundial de Surf da Ericeira, onde várias pessoas a utilizam para praticar a sua “fé” no seu dia a dia já ao longo de muitos anos.
Dai o final propósito dessa Reserva será a manutenção e criação de condições para que esse santuário se mantenha o mais natural e intacto possível, deixando que a energia desta zona, tanto dentro como fora de água, possa continuar a influenciar positivamente tantos “fiéis”.

 

 

 

 

"Permitam-me a liberdade de raciocínio na invenção

 

de uma metáfora

 

nas respostas a este questionário..."

 

 






Surftotal:   Baseado na resposta à primeira pergunta, como avalia a Reserva de Surf Mundial da Ericeira? Quais os erros e acertos destes dez anos de existência?

Pedro Moreira Rato: Considerar preservar e manter um Santuário destes, reconhecido internacionalmente e procurado por fieis do mundo inteiro, foi um “must” no entanto apesar dos alertas e de apontados cuidados a ter para evitar uma massificação e degradação deste Santuário medidas mestras continuam por implementar para controlar essa massificação e seus efeitos nefastos bem como evitar ganâncias de exploradores comerciais dentro dos espaços da Reserva, por exemplo: escolas de surf, especuladores imobiliários, etc.





Surftotal: Para si, o que define a sustentabilidade de um destino de surf? Na sua opinião, Ericeira é um exemplo positivo ou negativo na questão da sustentabilidade?

Pedro Moreira Rato: Sustentabilidade de um destino de surf é aquele que se mantém ao longo dos tempos intacto na sua forma natural, reconhecido e procurado pelos seus “fiéis” onde estes possam sempre praticar com qualidades e segurança.
No caso da Ericeira corre se o risco de se perder essa traça natural por via de construções dentro da área da Reserva diminuindo os espaços verdes, colocando carga nas falésias e consequentemente aumentando a poluição tanto dentro como fora de água, para não falar da crescente falta de qualidade do surf pelo aumento excessivo do crowd desde que se instituiu a Reserva bem como da segurança que é posta em causa por muitos inexperientes que se aventuram em picos e condições para as quais não estão preparados muitos pela mão das escolas de surf.

 

 

 

 

 

"Consideramos de maior importância a implementação de estatuto no Plano Jurídico Nacional

 

por forma a preservar este Santuário..."

 

 

 

 

 






Surftotal: Em que medida considera importante a criação de um estatuto jurídico para a RSM da Ericeira, em termos equivalentes ou similares ao enquadramento que rege os Parques Naturais?

Pedro Moreira Rato: Pelo que foi exposto consideramos de maior importância a implementação de estatuto no Plano Jurídico Nacional por forma a preservar este Santuário de uma forma ecológica para que a Reserva Mundial de Surf da Ericeira possa continuar a ser vista como um destino de excelência e assim continuar a ser procurada e utilizada por muitos e bons anos permitindo que a própria vila da Ericeira se mantenha sustentável beneficiando também e evitando as consequências de políticas com resultados efémeros.




Surftotal: Como avalia a participação pública por parte da sociedade civil, nomeadamente da comunidade surfista nas tomadas de decisões sobre a RSM da Ericeira?

Pedro Moreira Rato: Os principais utilizadores de uma forma altruísta pensam a manutenção deste espaço melhor que ninguém, dai a disponibilidade dos surfistas para construirem a verdadeira Reserva Mundial de Surf da Ericeira ser por demais essencial.
O trabalho continuado destes para a concretização e implementação de uma Reserva de facto no Plano Jurídico Nacional com tudo o que lhe está associado e a desmistificação da ideia peregrina errada do valor directo em milhões gerado por um pico/onda continua a ser fundamental.
Concretamente neste segundo caso fazer ver que uma onda vale mais pelas consequências geradas nos seus “fieis” utilizadores ao nível: do bem estar, produtividade, foco, vida saudável, gerador de valores ecológicos, respeito, experiências de vida, etc. trará mais benefícios potenciando a sustentabilidade da Reserva Mundial de Surf “à la longue” do que os milhões fáceis, rápidos e efémeros.

Itens relacionados

Perfil em destaque

Scroll To Top