Abilio Pinto a Shapear Abilio Pinto a Shapear

Itens relacionados

sábado, 01 agosto 2020 16:06

"Acho que a influência dominante no Surf português é anglo-saxónica." Abilio Pinto

O Big rider e Shaper residente na Ilha da Madeira faz este ano 35 anos de carreira como Shaper....

 

 
Nascido no Porto, Abílio Pinto, irmão mais novo de 4 rapazes, já leva mais de 40 anos de ligação ao surf, como praticante, como shaper faz este ano 35 anos. Uma data assinalável.

Surfista atirado a ondas gigantes, talvez um dos maiores big riders de sempre em Portugal, Abilio cedo começou a surfar, aos 10 anos de idade, tendo como referência o seu irmão mais velho de nome Zé Pinto. A Surftotal aproveitou esta importante data na sua carreira de Shaper e fez-lhe uma entrevista onde podemos perceber um pouco da sua história assim como a sua opinião sobre temas actuais do surf e da sua cultura.

 

 

 

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

"A minha primeira prancha foi feita em 1982/83, não sei ao certo.

 

Queria ter uma prancha feita por mim e em Portugal..."

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

Abilio Pinto na Ilha da Madeira

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

"Quem me influenciou foi o meu irmão Zé Pinto que já tinha a marca dele

 

chamada Spider, com o logo do homem aranha..."

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

 

 

 

Abilio Pinto(Prancha Golfinho com marca Piel)  num dos únicos Campeonatos de sempre que houve na Onda dos Coxos durante o ano de 1990. / Click por João Valente

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

"Trinta e cinco (35) anos de carreira é brutal

 

mas eu não reparo muito nisso..."

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

Surftotal: Abilio conta-nos como surgiram as Billy Boy Surfboards? quando e como foi feita a primeira prancha?


Abilio Pinto: A minha primeira prancha foi feita em 1982/3, não sei ao certo. Queria ter uma prancha feita por mim e em Portugal, em particular no Porto, não havia material de surf. Comecei então a shapear. Fiz uma prancha em foam amarelo que podíamos adquirir numa fábrica em Espinho. Foi fibrada com resina de poliéster usada na construção de barcos. Fazia para mim e para os amigos. Em 1985, comecei oficialmente a shapear as Golfinho Surf Designs. Só mais tarde é que se viriam a chamar Billy Surfboards.

 

 Abilio Pinto com duas das suas ultimas criações

 


Surftotal:Que influencias tiveste? de quem e o que te levou a fazer a 1ª prancha e posteriormente a fazer a marca?


Abilio Pinto: Quem me influenciou foi o meu irmão Zé Pinto que já tinha a marca dele chamada Spider, com o logo do homem aranha. Ele já shapeava desde os anos 70. No Verão de 1977 peguei numa prancha dele feita em madeira e fiz a minha primeira onda na praia da Sereia da Costa Verde. Eu tinha 10 anos quando me apaixonei por este desporto de deslizar nas ondas chamado surf. No início dos anos 80 o meu irmão e uns amigos fizeram as primeiras pranchas em fibra. O Zé Pinto shapeou as minhas pranchas durante alguns anos. Eu estava sempre atento ao que ele fazia e dizia. Ele foi-me dando dicas e comecei a fazer as minhas próprias pranchas quando tinha 16 anos. Quando fiz 18 anos pude escolher o que fazer e fui estudar à noite para ter tempo livre e começar com a Golfinho Surf Designs. Ser Shaper passou então a ser a minha profissão. Até aos dias de hoje.

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

"Acho que a influência dominante no Surf português

é anglo-saxónica."

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

 Abilio Pinto na Ilha da Madeira

 

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

"Ser shaper não é só uma profissão, é uma arte..."

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 


Surftotal: 35 anos é um marco a que poucas empresas ligadas ao mundo do surf se podem orgulhar de contar. Que balanço fazes destes 35 anos em relação a estares inserido na industria do Surf?

Abilio Pinto: Trinta e cinco (35) anos de carreira é brutal mas eu não reparo muito nisso. Talvez por ainda estar muito ativo, a surfar regularmente, principalmente durante o Inverno. Aqui na ilha da Madeira as ondas são muito boas e poderosas, eu diria das melhores do mundo. Estou também a dar cursos de shape e aulas de surf onde acabo por estar sempre rodeado de jovens. Em relação à industria do surf, tive a sorte de atravessar todas as fases de desenvolvimento de construção de pranchas e a toda a evolução que os shapes tiveram ao longo destas décadas.

Nos anos 70 dominavam as single fin e as twin do australiano Mark Richard. Nos anos 80 aparecem as tri-fin do também lendário australiano Simon Anderson e as quadriquilhas do brasileiro Ricado Bocão que as apresentou ao mundo no Havai, e por último, o master Tom Curren que com o seu estilo de mestria e elegância com power à mistura, apresentou novos shapes ao mundo colocando o Shaper Al Merrick como um dos melhores shapers da época. Os anos 90 viram o Kelly a levar o surf e os shapes a outro nível de performance e power, e os shapers havaianos com as suas super-guns. Penso que viver estas fases, viajar e aprender me tornou um Shaper versátil.

Tive o privilégio de surfar no Havai e ver uma super final do Pipe-Masters Banzai, em 1993. Foi a despedida do circuito mundial de surf do australiano Tom Carrol, num Pipeline Banzai 2º reef perfeito. Na final estavam o Kelly Slater, o havaiano Larry Rios e o lendário Derek Ho, que venceu essa final e se tornaria o primeiro havaino a conquistar o título mundial de surf. Nesse mesmo ano estive na fábrica da Blue Havai que fazia as pranchas do campeão mundial sul-africano Martin Potter, e fui à Africa do Sul onde estive com o Shaper Peter Daniels em Durban, dias a fio a vê-lo shapear. Foi nessa altura ele fez as pranchas do Tom Curren para o filme The Search da Rip Curl, filmado em Jeffrey´s Bay. Em Jeffrey´s Bay estive também a shapear com o lendário Glen Darcy e a surfar altas ondas. Em 2001 visitei a Califórnia onde absorvi muito da sua indústria super actualizada na construção de pranchas em PU e em epóxi. Acho que a indústria das pranchas evoluiu muito na última década graças ao Kelly. Não tiro o mérito a outras marcas, mas penso que ele tem revolucionado os designs até à actualidade. A indústria das pranchas massificou com a produção no oriente e isto tem retirado o feeling para ir ao shaper e desenvolver uma prancha personalizada. Eu continuo a fazer os meus shapes à mão e quando dou cursos para formar novos shapers, ensino  as bases para eles entenderem como retirar um shape de um blank e a originalidade de cada shape. Depois, se quiserem podem usar as màquinas. Não tenho nada contra, pelo contrário, tem as suas vantagens. Mas é fundamental perceber como tirar o shape de um blank manualmente porque ser shaper não é só uma profissão, é uma arte. Dou muita importância a este trabalho, treinar novos shapers, e passar o conhecimento ás novas gerações. Acho que a indústria das pranchas de surf está a adaptar-se aos novos mercados de consumo.

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

"Em relação ao comportamento dentro de água, penso que agora

 

há menos respeito na maior parte dos picos em Portugal..."

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

 


Surftotal: Como consideras que está a cultura do surf no nosso País? falando um pouco de exemplos praticos do comportamento das pessoas dentro de água, do numero de escolas e do reconhecimento do surf na sociedade?

Abilio Pinto: Em relação ao comportamento dentro de água, penso que agora há menos respeito na maior parte dos picos em Portugal. As escolas têm crescido com pouca supervisão. Quanto ao reconhecimento do surf na sociedade portuguesa, evoluiu nos últimos anos, penso que devido á exposição das pessoas a eventos mundiais de surf, inclusive na Nazaré, à proliferação de surf camps e escolas, e ao trabalho dos atletas como o Tiago Pires (o “Saca”, ex-atleta do world tour), ou o Kikas (actualmente no world tour), e da seleção nacional de surf. Tudo isto fez mudar a visão que a sociedade portuguesa tinha em relação a nós.

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

"Penso que uma grande maioria das pessoas que fazem surf

sabem que prancha usar..."

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 



Surftotal: Que influencias consideras que o surf e surfistas em portugal têm mais? Anglo saxonica? Brasileira? Outras?  está-se a fazer tb uma propria cultura lusitana?

Abilio Pinto: Acho que a influência dominante nos portugueses é anglo-saxónica. Ainda olhamos muito para os atletas americanos, havaianos e australianos. No entanto, os atletas brasileiros recuperaram muito nos últimos anos, porque realmente o seu surf é incrível. Em relação á cultura lusitana, penso que estamos a criá-la.  Temos tudo o que é preciso: pessoas como o speaker Nuno Jonet, o escritor-editor João Valente, ou o jornalista Miguel Pedreira, assim como muitos outros, e todos os atletas como o Tiago Pires ou o Kikas, o Blanco, o Antunes Junior e outros mais, têm deixado um legado e estão a escrever a nossa história nos oceanos.

 

 Abilio Pinto na Ilha da Madeira

 


Surftotal:: sobre as Pranchas consideras que os praticantes de surf já têm mais a noção da prancha que é apropriada para estes ? ou ainda há muita falta de conhecimento e a ideia que as pranchas dos pros é que são a referencia e todos querem ter uma assim?

Abilio Pinto: Penso que uma grande maioria das pessoas que fazem surf sabem que prancha usar. Há muita informação disponível através dos shapers, das escolas e de algumas lojas de surf. Todos vão aconselhando o melhor material a usar em relação ao nível de surf da pessoa. No entanto, essa ideia de que as pranchas dos prós é que são boas ainda anda aí. Não deixa de ser verdade, se souberes o que precisas. Tens que ter a noção de qual o material a comprar. Um shaper pode ajudar a descobrir qual é a prancha adequada ao nível de cada um.

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

"A Billy Surf Designs arrancará com nova imagem,

 

tem a sua fábrica na bela ilha da Madeira..."

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Abilio Pinto com os seus dois filhos e com as suas 4 pranchas acabadas de Shapear

 

 



Surftotal: A tua ultima prancha feita, quando foi? para quem foi? e suas caraterísticas?

Abilio Pinto: A última prancha que eu shapei foi para mim, uma Fish Tail 6´5´´ x 21 ½ x 2 ¾ com 4 canais. Faz parte de um conjunto de 4 pranchas que fiz incluindo uma Gun de 10 pés já para o próximo Inverno.  Essas pranchas estão nas fotos para celebrar os 35 anos de carreira e o lançamento do novo logotipo da Billy Surf Designs Hand-Shape. Fica desde já um agradecimento ao designer e fotógrafo Nilton Baptista pelo seu excelente trabalho.

 

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

"Acho que a indústria das pranchas evoluiu muito

 

na última década graças ao Kelly Slater..."

 

 

 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

 


Surftotal: O que podemos esperar das Billy Surfboards nos próximos 10 anos?

Abilio Pinto: Para a próxima década a Billy Surf Designs arranca com nova imagem, tem a sua fábrica na bela ilha da Madeira e podem encomendar a vossa prancha personalizada comigo pelo telefone 933233579. Não são cobrados portes de envio. Podem também vir cá fazer o curso de Shape-Pro e começar uma arte e estilo de vida. Toda a informação está on-line na surf Total.

 

 

 

 




 

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top