banner topf
Tomás Fernandes Tomás Fernandes WSL / Damien Poullenot

Itens relacionados

terça, 01 outubro 2019 16:52

Tomás Fernandes - entre o QS 10,000 na Ericeira e o título nacional 2019 à vista

À conversa com o número 1 do ranking nacional / Liga Meo Surf 2019

 

 

Nascido e formado nas ondas da Ericeira, Tomás Fernandes, 23 anos de idade, cedo se afirmou como um dos jovens talentos portugueses e desde então tem vindo a trilhar o seu caminho no mundo do surf. Apoiado numa linha de rail e pressão, que sempre se destaca a quem observa, nos últimos anos tem vindo a tentar a sua sorte no mundial de qualificação mantendo sempre debaixo de olho as competições nacionais. Aproveitando a sua participação no QS10000 da Ericeira, e a liderança do Ranking Nacional, estivemos à conversa com Tomás:

 

 

 

"Basicamente um surfista para chegar ao CT

tem de ser um atleta de alta competição completo"

- Tomás Fernandes -

 

 

*Tomás Fernandes é o líder do ranking nacional / Liga Meo Surf 2019 - Click por Pedro Mestre

 

 

Surftotal: Ola Tomás. Vamos começar pelo QS 10000 na Ericeira. Conta-nos como foi a tua participação. (Como aconteceu o convite e a tua prestação).

Tomás: Olá, fui convidado pela Despomar/Billabong Portugal que é o meu patrocinador principal e também o patrocinador do evento, assim tive o privilégio de entrar no Prime e aproveito mais uma vez para lhes agradecer. Sobre a minha prestação ela não foi de todo aquela que eu desejava, preparei-me muito para esta prova e sendo local de Ribeira de Ilhas ambicionava fazer aqui um bom resultado e acima de tudo mostrar bom surf  tal como fiz na etapa da ANS deste ano e noutros eventos que participei aqui, mas infelizmente não foi isso que aconteceu. Posso pensar que muitos surfistas do CT também perderam na mesma ronda que eu mas eu queria muito ter ido mais além.


Surftotal: Qual a tua opinião sobre o nível de surf este ano durante a competição? Os surfistas foram postos à prova em condições “extremas”

Tomás: O nível de surf estava altíssimo, basta pensar que só do CT participaram mais de 10 surfistas nesta etapa e os restantes surfistas do Top 100 são todos muito bons e qualquer um deles pode ganhar, basta ver que o Samuel Pulpo ainda há pouco tempo não tinha seeding para entrar nesta prova e neste momento é nono no ranking. Sobre as condições tivemos de tudo, mar enorme e desafiante e vários dias perfeitos, mas nós surfistas profissionais temos de estar preparados para todas as condições, uma coisa é certa Ribeira é das praias mais consistentes do mundo e se formos analisar as etapas do World Junior, as provas da ANS e todos os QS feitos aqui até hoje vamos sempre recordar dias memoráveis.

 

 

"Acho que qualquer um ambiciona ganhar a liga Meo"

 

 

 

 

 

 

Surftotal: Podes comentar esta afirmação por favor: "um surfista profissional que ambicione um lugar no CT tem de se tornar um atleta de alta competição e todas as obrigações que isso acarreta”.

Tomás: Basicamente um surfista para chegar ao CT tem de ser um atleta de alta competição completo, não basta comer bem, não basta ter talento, não basta treinar muito, tem de ser o mix de tudo isto e ter um poder psicológico muito forte, as pessoas pensam que ser surfista profissional é uma profissão que é só viajar, ir a sítios bonitos, que se ganha muito dinheiro, puro engano. Por exemplo sais de Portugal e vais para a Austrália fazes 30 horas ou mais de avião, chegas e tens um heat de 20 minutos e perdes.  Passado 5 dias estás logo  noutro campeonato e tens de "dar a volta" e esquecer a derrota pois não tens tempo para recuperar. Depois há as questões financeiras, a maior parte dos atletas não ganham sequer para pagar as despesas, temos viagens, estadias, treinadores, inscrições, seguros e muito mais. Eu tenho a sorte de ter a Despomar que me tem apoiado desde sempre e apoio familiar que me ter permitido correr o circuito, mas tenho de controlar as minhas despesas e escolher as provas onde posso ir com o orçamento que tenho. Como vêem os que chegam ao CT são super atletas pois tiveram que superar tudo isto.
 

Surftotal: Tomás conta-nos agora como tem sido a tua carreira no surf! Pontos mais altos e pontos menos altos?

Tomás: No ponto de vista de resultados posso enunciar como pontos mais altos os títulos nacionais de esperanças sub 12, 14, e sub 18, Bi campeão nacional pro Júnior, depois as três etapas que já venci na liga, o titulo de vice campeão europeu de surf e o terceiro lugar no World Junior alcançado aqui na Ericeira onde perdi nas meias finais contra o Italo Ferreira que se tinha qualificado para o CT nesse ano. Como pontos menos altos, todos os campeonatos em que entrei e que perdi e não fiz bom surf. Ninguém gosta de perder e se vou a um campeonato só quero o primeiro lugar, mas acredito que se perder e fizer bom surf e o outro surfista for melhor eu aceito, mas perder porque não faço bom surf fico mesmo incomodado. 


Surftotal:  Aproveitando esta ultima questão e porque sabemos que estas na luta pelo titulo nacional, qual a importância da Liga Meo na realidade do surf competitivo nacional?

Tomás: A liga Meo é um campeonato super competitivo que nos ajuda imenso a ganhar ritmo  para o circuito QS. Se pensarmos que na liga competem Frederico Morais, Vasco Ribeiro, Gony, Marlon, Miguel Blanco e muitos mais, todos eles são surfistas que podem vencer provas do QS logo temos de estar no nosso melhor nível para ganharmos uma etapa, se vencermos cá faz-nos acreditar que também podemos vencer lá fora.

 

 

 

"Quero manter as minhas prioridades actuais, ser feliz,

e ser reconhecido por ser uma pessoa com bons valores"

 

 

 



Surftotal: É um título que ambicionas hã muito? Se sim porquê?

Tomás: Acho que qualquer um ambiciona ganhar a liga Meo, mas pode ou não ser o teu objectivo principal e até ao ano passado pensava na liga e claro que queria ser campeão mas o meu foco estava nos QS, este ano decidi abrandar nos campeonatos no estrangeiro e fazer menos provas dedicando-me mais à liga, tendo colocado como objectivo o titulo nacional. Fui falar com o meu patrocinador e recebi o seu apoio, assim com o meu treinador Zé Seabra tracei um plano e até agora está a dar certo. A razão de querer ser campeão tem a ver com a resposta da pergunta anterior, se ganhar este circuito com o nivel de surfistas que ele tem é porque posso ganhar provas do QS e isso vai-me dar confiança para o futuro.


Surftotal:  Falta uma etapa para acabar a época e se saber quem é o campeão nacional. Como te sentes? Muita pressão?

Tomás: Sinto-me óptimo, tenho duas vitórias, um segundo e um nono com estes resultados em qualquer ano já tinha sido campeão por antecipação mas o Miguel Blanco também tem estado muito bem e ainda tem hipóteses. Sobre a pressão eu estou à frente no ranking por isso será o Miguel que terá de me ultrapassar e ir atrás do resultado sem margem para falhar, eu tenho de surfar e pensar heat a heat em fazer melhor que foi o que tenho feito este ano e claro no fim quero trazer o título para casa.

 

Teresa Bonvalot e Tomás Fernandes vencem 1ª etapa Liga Meo Surf 2019


Surftotal: Agora falando da tua carreira internacional, conta-nos os teus principais objetivos para este ano?

Tomás: Como disse eu este ano estou mais focado na liga Meo e na evolução de manobras em que não sou tão forte. Se o Prime da Ericeira tivesse corrido bem ainda pensava ir ao Havai fazer os últimos campeonatos de 10 mil pontos do ano, mas assim não irei.


Surftotal: As tuas pranchas, fala-nos um pouco dos teus dois modelos preferidos. Performance tamanho características:

Tomás:  Tenho patrocínio da Al Merrick e por isso vou experimentando vários modelos, uso geralmente 5’11 mas ando a fazer testes com vários modelos  que eles me vão propondo. É um privilégio poder ter ao meu dispor pranchas com tanta qualidade.

 

 

"O surf para mim é tudo e não sei viver sem surfar"

 




Surftotal: Como te vez daqui a 5 anos? Enquanto pessoa e enquanto surfista profissional?

Tomás:  Não sei como estarei nem o que serei daqui a 5 anos mas sei que lutarei para alcançar os meus sonhos, quero manter as minhas prioridades actuais ser feliz e ser reconhecido por ser uma pessoa com bons valores.


Surftotal: Algo mais a dizer?

Tomás: Primeiro dizer que o surf para mim é tudo e não sei viver sem surfar, depois aproveitar para  agradecer a todos os que me tem apoiado, patrocinadores, família, à minha namorada, amigos e também a vocês por esta entrevista e por outros apoios e desafios do passado, lembro-me que fui à Wave Garden há uns bons anos, graças ao vosso convite e adorei.

*Todas as fotos no corpo da entrevista por Pedro Mestre

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top