banner topf
Miguel Almeida à frente na imagem seguido de Rui Felix, Vasco Ramalheira e Luis Ferreira são os fundadores da Refresh Miguel Almeida à frente na imagem seguido de Rui Felix, Vasco Ramalheira e Luis Ferreira são os fundadores da Refresh

Itens relacionados

domingo, 22 setembro 2019 12:59

EMPRESA PORTUGUESA GARANTE SISTEMA DE SURF WEBCAST NOS JOGOS OLÍMPICOS 2020

Portugal, a empresa Refresh e a sua tecnologia estão de parabéns.

Formada em 1995 com o objetivo de desenvolver um software de apoio aos Juizes para o Campeonato Mundial de BB que a Associação de Surf de Aveiro iria organizar em S. Jacinto, a Refresh é a entidade responsável pela recolha, tratamento e divulgação de pontuações de algumas das principais provas de surf mundiais. Nomeadamente as provas da ISA(International Surfing Association), na qual a Refresh garantiu essa mesma divulgação durante estes últimos World Surfing Games no Japão.

 

A Surftotal esteve à conversa com um dos seus responsáveis, Miguel Almeida, para apurar o que de facto tem vindo a ser o trabalho da Refresh, empresa que garantirá o sistema de pontuações para o Surf nos Jogos Olímpicos 2020 em Tóquio). Vamos perceber o seu trajecto e também a sua importância no cenário tecnológico por detrás dos julgamentos de surf. 

 

Surftotal: muitos parabéns pelas conquistas da Refresh em 1º lugar, é notável ver uma empresa Portuguesa com a tecnologia necessária para fazer os milhares de webcasts que têm vindo a acontecer no mundo do surf há já mais de 10 anos! 

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Obrigado pelas felicitações. Estou muito orgulhoso do que alcançamos e do que o futuro perspetiva.

 

 

 

"Atrevo-me a dizer que em conjunto com os nossos parceiros e federações licenciadas

para utilizar as nossas soluções, teremos já atingido mais de mil eventos."

 

 

 

Surftotal: Já agora e podemos começar por aí, Quantos webcasts foram até agora?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - O webcast propriamente dito (a transmissão via web das imagens vídeo) não fazemos. A nossa tecnologia REFRESH é responsável pela recolha, tratamento e divulgação de pontuações. Mais sobre isto umas perguntas à frente. Desde a sua estreia em 1996 que fizemos várias centenas de eventos. Atrevo-me a dizer que em conjunto com os nossos parceiros e federações licenciadas para utilizar as nossas soluções, teremos já atingido mais de mil eventos.

 

Surftotal: Como foi que tudo começou? remonta a que ano e como foi que se lembraram de fazer um sistema de notas ao vivo online nas competições de surf?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Em 1995 tinha acabado de me licenciar em Engª Electrónica e de Telecomunicações pela Universidade de Aveiro e constituíra uma empresa na área do desenvolvimento de software de gestão com um amigo de longa data e excelente programador, António Campos. Fomos então desafiados pela Associação de Surf de Aveiro a desenvolver para o ano seguinte (1996) um software de apoio aos Juizes para o Campeonato Mundial de BB que a ASA is organizar em S. Jacinto. 

Com o apoio técnico fundamental do Rui Félix demos início ao sistema que após alguns testes de escritório e terreno foi então utilizado pela primeira vez nessa prova com sucesso, desde esse momento até os dias de hoje o sistema tem tido uma atualização e desenvolvimento contínuo. Este desenvolvimento e expansão da marca "REFRESH" não teria sido possível sem a contribuição dos que são hoje os sócios da Refresh Technology Lda., formalmente constituída a 25 de Fevereiro de 2008 quando o volume de faturação e a necessidade de internacionalização assim obrigaram. O Luís Ferreira como chefe de juízes bodyboard da FPS, APB, ESF e ISA, e o Vasco Ramalheira como designer e organizador de eventos são esteios fundamentais deste projecto. E mais recentemente conseguimos trazer o Rui Felix para a sociedade, ele que esteve na génese da criação do sistema REFRESH.

 

Surftotal: Em que consiste o sistema da REFRESH? detalhadamente?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - O sistema da REFRESH começa por, com base nos atletas inscritos no evento, construir os heats e o formato de progressão na competição. Existem inúmeros modelos de progressão por onde escolher desde o mais simples de eliminação direta/única e baterias de 4 atletas até à final, até aos modelos complexos de dupla eliminação conforme utilizado nos mundiais ISA e ainda modelos de 6 atletas por bateria ou man-on-man. O nosso sistema de pontuações e gestão de progressão de evento consegue lidar com todos.

Durante a competição é colocado nas mãos dos juízes, terminais de introdução de notas na forma de tablets com touch-screen. A cada onda concluída por um atleta o juíz introduz a sua nota no tablet, que corre a nossa aplicação mobile, e que é depois transmitida para um computador onde o nosso software calcula a média da onda e a posição que o atleta ocupa na bateria a decorrer na água, mostrando ainda qual a pontuação que o atleta deve conseguir para melhorar a sua posição. Toda esta informação é colocada à disposição do speaker de praia que transmite aos atletas a informação necessária. É ainda possível disponibilizar, através da internet, o nosso scoreboard de competição que reúne num único local (website ou mobile app) toda a informação compilada pelo sistema: scores ao vivo de um ou mais palanques, baterias de uma ou mais categorias competitivas (masculino, feminino, juniors, ...), estatísticas e se for caso disso o ranking de países. Um bom exemplo pode ser visto na página oficial do World Surfing Games acabado de concluir: https://isasurf.org/wsg/2019/en/results/

Para complementar o sistema de pontuações dispomos ainda de um inovador e muito aclamado sistema de vídeo árbitro. Que permite ao chefe de juízes da competição acesso rápido a qualquer onda surfada na competição de forma a possibilitar aos juízes o rápido visionamento de uma onda acabada de concluir, mas mais importante do que isso a rápida comparação dessa mesma onda com uma qualquer de outro surfista de forma a garantir a correta e justa comparação de ondas.

 

"Está também preparado para apoio da Direcção técnica,

ligação à internet, social media e informação geral ao público"

 

 

 

Surftotal: Porque razão é tão único? 

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Por diversos motivos e a resposta poderá variar consoante o utilizador do sistema, sempre pretendemos que o nosso sistema REFRESH tivesse uma utilização abrangente e não se limitasse à utilização dos Juizes e a consequente divulgação para os atletas, está também preparado para apoio da Direcção técnica, ligação a internet, social media e informação geral ao público.

Recentemente um dos speakers oficiais da ISA refería-me que ao longo dos anos já trabalhou com muitos dos sistemas existentes no mercado, mas que nenhum lhe oferecia de forma tão clara tanta informação. Desde o heat que está a decorrer na água aos resultados oficias do heat anterior e o heat que deverá entrar a seguir. Um juíz felicita-me pela simplicidade de introdução das notas. Os chefes de juízes ISA referem que não existe outro sistema no mundo capaz de analisar tão profundamente as capacidades de julgamento do painel de juízes através dos seus relatórios detalhados.

Pessoalmente diria que em primeiro lugar está a nossa constante procura por soluções de vanguarda. Esta procura levou-nos a ser os primeiros a surgir com uma apresentação gráfica inovadora em ambiente Windows quando a concorrência se apresentava no velho sistema operativo MS-DOS. Fomos ainda os primeiros a apresentar uma aplicação móvel que possibilitava aos juízes a introdução de notas em terminais portáteis sem fios a cores e de ecrã táctil.

 

Surftotal: Que eventos de surf fazem parte do sistema de julgamento da REFRESH?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Eventos nacionais de vários países que não se limitam aos nossos parceiros /agentes, Liga MeoSurf (ANS), Circuito ALAS, Campeonatos Pan americanos (PASA), Campeonatos da Europa de Nações Open, Juniores e SUP (ESF), Europeu de Bodyboard (ETB), Circuito Mundial de Bodyboard (APB), World Surfing Games (ISA), World Júnior Surfing Championship (ISA), World Longboard Surfing Championship (ISA) e World SUP and Paddleboard Championship (ISA), Southeast Asian Games (PSC), Jogos Pan-Americanos (ODEPA) e em breve os Jogos Olímpicos (IOC).

 

Surftotal: Qual ou quais os principais clientes?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Nossos parceiros nos diversos países tais como Espanha, Alemanha, Itália, Reino Unido, Noruega, Chile, Argentina, Peru, Costa Rica, Venezuela, Guatemala, Porto Rico, China, Japão.

A Associação Nacional de Surfistas em Portugal, European Surfing Federation, Pan American Surfing Association, International Surfing Association e ATOS.

 

 

A WSL desenvolveu o seu próprio sistema para uso no WCT e WQS

pelo que muito pontualmente as organizações nos chamam para eventos "limítrofes". 

 

 

 

Surftotal: Já fizeram eventos da World Surf League? 

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Sim, de forma pontual mas sem grande expressão, a WSL desenvolveu o seu próprio sistema para uso no WCT e WQS pelo que muito pontualmente as organizações nos chamam para eventos "limítrofes". 

 

Surftotal: Neste evento nos ISA World Surfing Games, como chegaram a este patamar?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Em 2008 por imposição da organização local Portuguesa a ISA teve um primeiro contacto com o sistema REFRESH mas infelizmente e apesar da excelente prestação, não foi o suficiente para penetrar o que parecia ser um circulo fechado dominado pelo nosso concorrente principal brasileiro, a Beach-and-Byte. Tivemos de esperar por 2012 para através do Mundial de Bodyboard na Venezuela, onde tínhamos uma forte presença, conseguir novamente introduzir o sistema num evento ISA. O funcionamento irrepreensível do ponto de vista da estabilidade que impressionou o vice-presidente da ISA o Peruano Karin Sierralta, presente no evento, possibilitou uma aproximação mais sólida à ISA pois fomos chamados ao Peru em 2013 para então voltar a impressionar nos mundiais de Standup Paddle em Lima e de Longboard em Huanchaco. No ano seguinte, 2014, regressamos em grande à ISA na celebração do 50º World Surfing Games com a estreia do sistema de video árbitro ou vídeo replay, a estabilidade dos nossos sistemas, a incessante procura por apresentar soluções talhadas às necessidades destas provas, identificadas em conversas com a Direcção Técnica, Chefe Juizes, comunicação e Direcção Executiva cimentou a nossa relação com a ISA que nos elegeu como fornecedor exclusivo.

 

Surftotal: E nos jogos Olímpicos vamos ter o sistema da REFRESH a assegurar a transmissão de julgamento online?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Sem dúvida que sim. Desde 2017 que nos encontramos num longo e difícil processo de homologação do sistema que se aproxima do fim, para podermos trabalhar no exigente ambiente informático dos jogos olímpicos. Testes exaustivos na Suiça e um simulacro dos JO em Tóquio, na praia onde decorrerá a prova em 2020, já nos garantiu a satisfação e os parabéns do Comité Olímpico Internacional.

 

Surftotal: Como se viveram estes dias nos ISA WSG 2019, a prova mais especial da Isa de sempre?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Para além do facto do tradicional título de campeões Mundiais de Equipas e Individual estar em disputa, a prova pela primeira vez classificar atletas para os Jogos Olímpicos, dar as primeiras indicações dos Juizes (ISA e WSL) que deverão ser escolhidos para os JO, fez com que ocorressem a este evento um maior número de atletas, equipas e Juizes de nível bem superior que deu um carisma bem diferente para melhor deste Mundial de Surf.

Todas estas situações obrigaram-nos a dias de intenso trabalho, sempre com aquele nervoso miudinho pois estávamos muito conscientes da importância do evento e não queríamos falhar.

Felizmente chegamos ao fim com um sentimento muito positivo de missão cumprida.

 

Surftotal: Algo mais a dizer?

Miguel Almeida (Refresh Technology) - Com o surf a entrar nos jogos olímpicos e a presença da REFRESH neste palco estamos já a trabalhar com gigantes mundiais na área das tecnologias do desporto como a Swiss-Timing e a ATOS o que nos dá uma perspetiva singular da grandeza do mercado e por isso esperamos continuar a diversificar a nossa atividade regressando a desportos como o Skate, Kayak Surf e equitação onde no passado já "prestamos provas" como aconteceu no mundial de equitação de trabalho em Beja, o Red-Bull Skate Arcade em Lisboa ou os mundiais Kayak Surf nos Estados Unidos, Irlanda e recentemente no Peru.

 

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top