Itens relacionados

domingo, 07 janeiro 2018 00:42

"Há um certo estigma em relação ao SUP pelos praticantes de SURF"- Alexandre Tavares

"É legítimo. Temos pranchas maiores e entramos mais cedo na onda. Como tal temos de respeitar quem faz SURF. Não precisamos de apanhar todas as ondas."


Esta semana estivemos à conversa com Alexandre Tavares, praticante de Surf e de SUP.  Após uma sessão de SUP na praia dos Pescadores em Espinho, Alexandre fala-nos da sua experiência enquanto praticante de SUP Wave.

 

Nome?
Alexandre Tavares
 
Idade?
42 anos
 
Praia local?
Leça/Matosinhos
 
Anos de Surf e SUP (stand up Paddle)?
Faço surf desde os 15 anos de idade e comecei a praticar SUP de ondas (SUPwave) hà 5 anos.

Apoios ou Patrocínios?
Neste momento conto com o apoio da Kiber surfshop, da Crave surf e SUP boards, do SPOT fitness studio e tenho sempre total apoio da Onda Pura SUP center.
 
Porquê da transição do Surf para o SUP?
Sempre pratiquei Desporto ao qual estou ligado profissionalmente há cerca de 22 anos como Personal Trainer. Complementei sempre o Surf (que é de longe o meu desporto de eleição) com outras actividades como o Kung Fu, o Boxe ou a musculação porque por vezes o Surf não tinha a intensidade física que eu desejava. Por exemplo num dia de ondas pequenas passamos muito tempo parados á espera do SET. Como lazer é óptimo porque de facto não há melhor sensação do que estar dentro de água mas para quem vive 365 dias do ano a praticar desporto por vezes sentia que só os dias grandes eram verdadeiramente exigentes. Ora o SUP de ondas ao nível que faço (circuito Nacional SUPwave) é muito exigente em termos físicos. As pranchas são muito mais reduzidas do que as que normalmente associamos ao SUP (neste momento surfo com uma 7'6") o que torna uma surfada numa luta constante de equilíbrio. O esforço muscular a nível de pernas, abdominais , lombares é muito grande isto tudo associado á remada. E sendo assim todas as surfadas passaram a representar um verdadeiro treino físico a partir do momento em que optei pelo SUP
 
Dificuldades do SUP de ondas?
A primeira grande dificuldade do SUP é passar rebentações em dias grandes. Por norma as praias do Norte tornam-se muito difíceis acima dos 2,5m. Os canais ficam muito pouco definidos e no SUP levamos 'tareias' á séria. Outra grande dificuldade é a disputa pelo pico numa Praia muito concorrida. Ou seja tens de lutar pelo equilíbrio num Paddle mínimo e lutar ao mesmo tempo para te posicionares no pico. E ainda tens de ter o máximo de cuidado para não colocares ninguém em risco porque as pranchas de SUP podem magoar ou lesionar terceiros facilmente

 

             "É legítimo. Temos pranchas maiores

                   e entramos mais cedo na onda.

 

    Como tal temos de respeitar quem faz SURF."

 

*Alexandre Tavares a desfrutar das condições perfeitas na Praia dos Cagalhotos em Espinho. Click Wild Surf
 
O que pensas de haver um certo estigma em relação ao SUP pelos praticantes de SURF?
É legítimo. Temos pranchas maiores e entramos mais cedo na onda. Como tal temos de respeitar quem faz SURF. Não precisamos de apanhar todas as ondas. Eu por norma opto por me sentar na prancha e esperar a minha vez. Não preciso de estar sempre a remar. Estar sempre de pé, a remar ás voltinhas, intimida e pode criar mau-estar em determinados picos. E por outro lado devemos ter a consciência que um SUP pode verdadeiramente magoar os outros e portanto só deveriam surfar de SUP em determinadas praias quando tivessem um nível mais elevado
 
Como está o SUP a nível competitivo em Portugal?
O panorama competitivo divide-se em SUPrace e SUPwave. O SUPrace tem um nível de exigência física brutal. O SUPwave  tem um circuito nacional com um nível muito bom. Tem sido dominado por dois atletas o Diogo Queimada e o Rui Fialho, mas há 3 ou 4 atletas com um nível muito acima da média como o Pedro Casqueira , o Simao Manuel, o João Paulino ou o José Cirilo. Tudo atletas das zonas de Lisboa, Ericeira e Peniche.

E no Norte como está o Nível?
Durante os últimos anos fui o único a correr na íntegra o Circuito. No último ano surgiu o Salvador Nunes que tem grande potencial (tem apenas 18 anos). Mas é pena que não apareça mais ninguém do Norte porque sei que há praticantes com nível para correrem também o circuito como o Angelo Bernardo de Moledo ou o Nuno Sousa daqui do Porto. O problema é que o nível técnico do pessoal lá de baixo é muito alto, andam todos com pranchas mínimas e têm praias perfeitas para a prática do SUP

Quem são as tuas referências?
A nível internacional destaco claramente o Caio Vaz que é bicampeão mundial e que esteve por cá em Outubro. É um "extraterrestre" a surfar , parte a loiça toda e para além disso é super humilde e boa gente. A nível nacional o melhor que já vi a andar fui de longe o Bruno Grandela de Peniche mas que infelizmente deixou de praticar. Também gosto muito do estilo do João Maia também de Peniche. No SUP race destaco o José Cirilo que quando está em forma e focado é praticamente imbatível.

 

"As pranchas de SUP podem realmente magoar.

 

Não arrisquem porque podem pôr em risco a integridade física de terceiros."

 

*Alexandre Tavares a desfrutar das condições perfeitas na Praia dos Cagalhotos em Espinho. Click - Wild Surf

O que falta para o SUP crescer mais como desporto?
Faltam essencialmente campeonatos nas zonas onde o SUP tem núcleos mais fortes. Na Parede , em Peniche, na Costa da Caparica, em Matosinhos ou em Moledo. Faltam mais campeonatos de ondas e com uma boa organização. Por exemplo o ano passado o melhor campeonato em que participei foi um regional organizado pela Onda Pura com uma estrutura e organização simplesmente incrível. Falta tornar o circuito mais apelativo para os praticantes de nível médio porque de facto existe uma decalage muito grande entre os TOPs e mesmo entre os atletas do circuito e os restantes praticantes. Para competires tens de baixar muito o tamanho da prancha e isso requer muito esforço, muito treino e nem toda a gente está para isso.

Mensagem a deixar?
O SUP é um desporto muito completo a nível físico. Aquela ideia do que o SUP é para pessoas mais velhas, só para ondas pequenas e que só dá para surfar com autênticos 'barcos' não corresponde á realidade. Experimentem porque é um excelente treino de pernas e pode perfeitamente complementar o Surf. No entanto devem ter o máximo cuidado em praias com muito crowd , porque as pranchas de SUP pode realmente magoar. Não arrisquem porque podem pôr em risco a integridade física de terceiros. Se não se sentirem á vontade não entrem em praias onde o nível e experiência de surf requeridos é elevado. Mas acima de tudo divirtam-se porque o Surf ou o SUP é exatamente isso.

Por fim gostaria de agradecer as fotos desta sessão á Wildsurf que estão com uma qualidade incrível!! Tanto fora como dentro de água!! As fotos dentro de água fazem toda a diferença e é difícil encontrar fotógrafos que tenham material ou que se disponibilizam a ir para dentro de água!! Obrigado Vitor mais uma vez e parabéns pela qualidade da página tanto do Instagram como do Facebook. Parabéns também á SurfTotal por ser o site de referência do Surf Nacional e por esta oportunidade.

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top