terça, 16 maio 2017 09:04

Como agir ao ser apanhado num agueiro

Com o verão à porta, estas dicas são deveras pertinentes… 

 

Ontem foi resgatado mais um banhista, na Praia do Castelo, Costa de Caparica, que tinha sido apanhado por um agueiro. Por sorte, a equipa da Estação Salva-vidas de Cascais do ISN encontrava-se no local, em patrulha marítima, e acabou por dar uma resposta rápida e eficaz não havendo baixas a assinalar. 

 

No entanto, urge ensinar e compreender o fenómeno dos agueiros de forma a que os banhistas e restantes utilizadores das praias portuguesas possam agir, cada vez mais, em conformidade, caso sejam apanhados desprevenidos numa situação idêntica. 

 

Os agueiros, ou correntes de retorno, são correntes geradas perpendicularmente ao longo de toda a costa, por ação da ondulação e da topografia do fundo. Podem aparecer junto de molhes, afloramentos rochosos ou ao longo das praias (a intervalos regulares). Estas correntes podem ser muito fortes, arrastando o banhista, desprevenido, para zonas afastadas e mais profundas da praia.

 

Os agueiro podem ser fatais e causar a morte por afogamento. O banhista deve sobretudo não entrar em pânico, nem tentar vencer a corrente. Pelo contrário, deve pedir ajuda e nadar lateralmente até deixar de se sentir o efeito da corrente. 

 

Depois, deve tentar sair da água num local afastado desta corrente. Em suma:

 

- A pessoa deve mater-se calma e tentar flutuar;

- Não entrar em pânico;

- Nadar paralelamente à praia;

- Apanhar uma onda para voltar a terra. 

 

Respeita o Mar e os avisos nas praias e dos seus responsáveis. Vamos partilhar esta informação em prol de todos. 

Em baixo, um vídeo produzido pela Surf Life Saving Australia que também ajuda a explicar as correntes e agueiros ao longo da costa. 

 

 

--

>> Vê também: DICAS ESSENCIAIS PARA SAIR DE UM AGUEIRO

 

Itens relacionados

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top